sexta-feira, novembro 30, 2007

Roménia 2007


O Carlos já me tinha lembrado para colocar um post por aqui, sobre as recentes eleições europeias romenas.

Acrescento que junto com o acto eleitoral houve um referendo sobre a alteração do sistema eleitoral. A proposta tinha a intenção de consagrar os circulos uninominais em detrimento do sistema de representação proporcional em vigor.


Publico recente troca de e-mails.

Comrades,
We have the final results of the european elections that took place on Sunday, 25th november:
28% - PD (PPE)
23% - PSD (socialists - us)
13% - PNL (Liberals - ALDE)

Its a good result. In polls, 1-2 weeks ago, we had like 19-20% and PD was rated @ 38%. :) We'll have 10 MEPs. Romania has 35 MEPs.
Best,
Andi


------
Andi,
This was a very good result, no?
How about the electoral law referendum? Did you change it?
I'll put this info in our blog.
Congratulations
Best
José


-------
Jose,
Its a good result, indeed. We had the referendum for changing electoral system to uninominal elections. It was our project from 2005. But the president Basescu made the referendum stealing our ideea - he's a populist :)

The outcome is that only 26,51% of voters presented, 81,36% voted yes and 16,17% were against. The referendum is not valid because less than 50% of total voters came to vote.
The government has its own electoral project - voted by parliament and sent to president to be promulgated. The president can send back the law to parliament only once. If the parliament send it again, he is obliged to promulgate it.
So, its a matter of weeks until we'll have the electoral law changed.
Best,

Andi
O Andi Cristea faz parte da equipa que preparou, para o PS Romeno, estas eleições europeias.

International pole

Dear friends,
This week in Annapolis, US President George W Bush announced a fresh Middle East peace process. Israel and the Palestinian Authority will "make all efforts" to reach a final agreement by the end of 2008. More meetings are planned in Paris, Moscow and the region. But are these talks a major advance toward peace, or a dangerous smokescreen?
Today, we're launching a global interactive poll -- to see if we, citizens around the world, can do any better. Together we will decide the direction of a powerful global campaign on the Israeli-Palestinian conflict over the coming months, pressing leaders on all sides to make the changes necessary for peace. Just click below to participate in the poll (it should take around 3 minutes), or to view other people's responses:
This poll will decide Avaaz's course on the Israeli-Palestinian conflict -- an urgent global crisis where hope may soon run out. Many diplomats are warning of "devastating consequences" if this peace process is not genuine. But each of us has the chance to make our voice heard, and to act.
There are already over one and a half million people in the Avaaz network. Coming together in this interactive poll, many thousands of us around the world can share our views and look for consensus on the way forward. Some discussions can be difficult. But it's important to have them, and to listen to each other, because then our campaigning together will become all the stronger.
The Israeli-Palestinian conflict is an old problem -- but we are a new global force for democracy. If we can no longer rely on the politicians, generals and diplomats, maybe people power can help tackle the dynamics that have undermined peace before. We can hold our leaders accountable for doing better. And if we agree a way forward, our campaigning could achieve a lot more.
It all starts with this interactive poll -- so click below to share what you think, and find out what others have said: http://avaaz-annapolis.questionpro.com
With hope and determination,
Paul, Galit, Ricken, Graziela, Pascal and the rest of the Avaaz team

quinta-feira, novembro 29, 2007

Lisboa Cool e Informada



Lisboa Cool e Informada
Ensaio aberto Tudo tem que mudar Tiago Guedes Ponto de encontro: Negócio. Ponto de partida: construções. Afinal o que conhecemos, uma miscelânea de textos? Poderemos conhecer verdadeiramente sem nunca termos experienciado!? Quando falamos acerca de um país estamos a reflectir uma cultura? Seis intérpretes partem numa viagem, são uma espécie de um só até se perderem uns dos outros. E agora, será que tudo irá mudar? Reflexões que Tiago Guedes lança neste espectáculo, ao introduzir-nos no processo de construção da percepção que temos das coisas, e à aplicação dessas imagens no conhecimento da realidade. Porque a nossa opinião tem o seu peso, vai haver um ensaio aberto ao público antes da estreia em 2008. P.S. rumo ao Bairro Alto com paragem no nº9 da rua O Século. / Suzanne Marivoet
onde
Centro Cultural O Século, Rua d'O Século, 80
quando
29 Novembro às 19h
quanto
Entrada livre

Inauguração Visual Street Performance
Vocês não vão querer perder isto. Chega a Lisboa a maior exposição de street art que esta cidade já viu. A Visual Street Performance, mostra anual dos trabalhos de RAM, MAR, VHILS, HBSR, KLIT, TIME, HIUM (+ convidados, que este ano incluem nomes como Maclaim ou PRM, a mais antiga crew portuguesa) inaugura hoje com novo formato. E em grande. Além do espaço, que vai surpreender muita gente, haverá na abertura uma interacção artística muito especial: a Red Bull Scra’Bisco. O que significa isto? Interacção da pintura ao vivo com Live Djs e Vjs, que projectam em sincronismo live a imagem e som dos artistas envolvidos. Parece complicado mas não é. É, é muito à frente. E divertido. Todos à Braço de Prata. /Jane
onde
Fábrica Braço de Prata, R. Fábrica Material de Guerra Poço do Bispo
quando
inauguração 29 de Novembro às 22h até 15 de Dezembro
quanto
Entrada livre

Exposição Arte Non Stop
De regresso a Lisboa a quarta edição do Arte Non Stop. O projecto visa a integração num espaço e momento de várias vertentes do universo das artes. Arte exposta e executada convivem este fim-de-semana em Santos. Os projectos seleccionados entre pintura, fotografia, vídeo, instalações e performance, música, teatro, dança e circo misturam-se nas noites de no Teatro A Barraca em duas noites intituladas “Território” (sex) e “The weethermen” (sab). O prazo de inscrições terminou na passada quarta feira (21). Para os distraídos ou atrasados fica o convite ao convívio criativo que no mínimo pode trazer ideias a trabalhar para o próximo ano. E para os outros… também. / NunoT
onde
Teatro A Barraca, Largo de Santos 2
quando
30 Novembro e 1 Dezembro das 21h às 02h
quanto
N/D
Festival de Microfilmes de Lisboa
Micro micro micro. Mega festival de microfilmes. 3 minutos. Máximo. Formato digital. Por telemóveis ou câmaras fotográficas. Além dos filmes seleccionados (de entre 500 chamadas de atenção), mostram filmes de 10 personalidades convidadas e alguns filmes de festivais estrangeiros. Para visualizar no S. Jorge. Hoje e amanhã. Com júri e votos de prémio de cidadania. /Vera Morgado
onde
Cinema São Jorge, Av. da Liberdade
quando
1 e 2 de Dezembro
quanto
N/D

Festival Portugal Jazz
É no CCB a grande festa de celebração da primeira edição (2007) do Portugal Jazz. A “Jazz ao Centro Club” ocupa o grande auditório por um dia para contaminar o público com o gosto pela revolução musical do século XX. Pois que o saber não ocupa lugar, começa-se cedo (às 11h) com uma acção educacional gratuita e dedicada a todos os jovens com idades compreendidas entre os doze e os oitenta e oito anos, na qual um quarteto (sax, piano, baixo e bateria) executará e comentará trechos famosos da história do jazz. Para a noite (21h) fica reservada a festa da música com quartetos da Escola de Jazz do Barreiro, Hot Clube de Portugal e ESMAE, e, para fechar, o big band da Orquestra de Jazz de Matosinhos, de regresso a casa após a sua estreia no Carnegie Hall (NY). / NunoT
onde
CCB, Praça do Império Belém
quando
4 de Dezembro às 21h
quanto
10€ sentado 6€ em pé

Workshops Open Day de Escrita Criativa
Hoje o dia faz-se de escrita! O centro de cursos Companhia do Eu traz à Casa Fernando Pessoa um Open Day de vários workshops de Escrita Criativa. Tudo começa às 17h: “Autobiografia: escrever-se é criativo” com Alexandre Nave. Segue-se às 18h “Escrita criativa: escrever com os sentidos” com os poetas Pedro Sena-Lino e Alexandre Nave. Às 19h45 “Escrita criativa: despalavragens Começar por escrever novo e diferente a partir de novas palavras”. A fechar a noite pelas21h “Escrita criativa: criar personagens”. A participação em é gratuita e um aperitivo do que vos espera nos vários cursos da Companhia do Eu. Não percam ainda pelas 19h, o lançamento da Agenda do Eu, e de Museu de História Sobrenatural, de Pedro Sena-Lino. Descubram um novo vício e mantenham-no! /Catarina Medina
onde
Casa Fernando Pessoa Rua Coelho da Rocha, 16 (Campo de Ourique)
quando
3 de Dezembro das 17h às 22h
quanto
Participação gratuita

Uma Nova Europa?



Como sabes acredito no projecto socialista. Acredito que uma Nova Europa Social é não só possível mas necessária, e que somente uma nova frente socialista a poderá implantar. Agora, a realidade obriga a matizarmos esta premissa. Em primeiro lugar concordo com o que dizes sobre o panorama europeu da esquerda; se bem que entre as «duas Europas» encontramos diferenças abismais (Europa Ocidental e de Leste).

Na Europa Ocidental, a esquerda esta muito fragilizada, encontrando-se no meu termo, não definido, entre uma direita liberal e populista e uma esquerda radical, atraente e populista. Pior, quando somos governo, por razões que podemos discutir no futuro, não conseguimos passar nem a ideia nem a imagem de que somos «Bom Governo», sendo atacados à esquerda por não sermos sociais e à direita por não sermos liberais. Pergunto: não podemos ser os dois? Liberais-Sociais?

A realidade na «nova Europa» é bem distinta, pois os partidos socialistas são, na maioria dos casos, herdeiros do comunismo; havendo quem, com alguma razão, não lhes deposita confiança de liderar estes novos países para uma nove realidade política e social. Dizia-me no outro dia, em Sofia, o líder da comunidade gay búlgara que nunca poderia votar num partido que o perseguiu durante toda a sua vida. Ele, que até podia ser de esquerda, está a fundar um novo partido, de «centro esquerda», exactamente porque não se revê no projecto e trajecto que o PS Búlgaro lhe oferece. Esta situação obriga a que se assista a uma grande fragmentação política dos sistemas partidários da maioria dos países ex-comunistas; levando a que os quotidianos da política nestes países sejam bem distintos dos que estamos habituados no burgo nacional (ou Ibérico). Bom, esta é outra questão a explorar.

Resta-nos, e com isto termino Carlos, trabalhar segundo as nossas ideias e valores. Os meus estão na família socialista. E acho mesmo que temos óptimos projectos, óptimos líderes e equipas. Falta, por vezes, um maior cuidado na formulação de políticas, de comunicação articulada e de selecção de pessoal político.Não esquecemos que o PES, como projecto de Partido Socialista Europeu, está nos seus primeiros passos com alguma ambição assumida; e não apenas como ponto de encontro de lideres e eurodeputados.

Vamos continuar esta conversa?

Podemos tentar envolver alguma malta, não? Que tal o Pedro Delgado Alves ou o Celso Guedes de Carvalho

Debate Republicano

Via Arrastão, cheguei ao debate Youtube Republicano. A ver aqui.
[Rui e Carlos, é para vocês...]

panteras rosa acção directa transrevolução 11-2007-lisboa

panteras rosa acção directa transrevolução 11-2007-lisboa

Arquivo


The PES Council through the eyes of PES activists

The PES Council through the eyes of PES activists

Published Tuesday, November 27, 2007 at 13:01
by Editor in Hub Only (30 views and 1 comments)
One of the PES activists from Portugal has been blogging from last week's PES Council! Find videos and hour by hour reports at ‘Loja de Ideias’.
‘Blogmog’ was also present in Sofia – read about her experiences here.
Thanks to the PES activists for all their efforts!

A política não pode ser isto…


Vejo com alarme na blogosfera (Daniel Oliveira e Carlos Castro, confirmado aqui) que o empréstimo que a CML está em vias de contrair, tão necessário para alavancar a recuperação da credibilidade da Câmara, pode vir a ser chumbado pela Assembleia Municipal dominada pelo PSD (ou PPD); como, aliás, já o foi em reunião da vereação.
A acontecer seria das maiores irresponsabilidades políticas assistidas nos últimos largos anos, existindo ou justificada apenas como «pirralha política» ou mau perder eleitoral.
Não quero acreditar que o PSD (ou PPD), partido geralmente com elevado sentido de responsabilidade, procure ganhar na Assembleia Municipal o que perdeu no verão.
Esta possibilidade levanta-me algumas reflexões.
1 – numa altura em que se debate a reforma do sistema eleitoral dos executivos camarários (evoluindo para executivos monocolores – de que discordo) porque não se equaciona a Assembleia Municipal? Não é normal o exagerado poder que os presidentes de Junta têm na estrutura institucional da CML. Podem, até, estar representados no órgão deliberativo da CML, mas poderem votar? É anacrónico, anti-democrático e distante do que se quer das democracias modernas.
2 – Que tipo de política é esta que, perdendo nas urnas, procure reverter o sentido do voto em instâncias dominadas por membros não eleitos (Presidentes de Junta) ou membros eleitos num ciclo eleitoral e político diferente do que agora governa a autarquia. Concordo, como vêm, com o Daniel Oliveira, quando considera uma «estupidez» não se ter reforçado a legitimidade da Assembleia Municipal, apesar de órgão autónomo.
Por fim a decisão de António Costa.
Apetece dizer: deixem-no trabalhar! Deixem que seja possível aplicar o plano de solvência financeira com que concorreu – e ganhou – as eleições intercalares de Julho.
Não creio que se saiba, com seriedade, do estado calamitoso da CML, e da importância estratégica do empréstimo. Ele irá permitir, tão só, que se paguem uma série de dívidas, a médios fornecedores, a dezenas de empresas que correm o risco de fecharem (muitas já o fizeram) porque dependem destes pagamentos, e não podem estar 1, 2, 3 anos sem receberem.
Chumbar este empréstimo é cortar as pernas ao executivo camarário. Será esta, decerto, a intenção do PSD (ou PPD), mas a que custo? A demissão do Presidente da CML? Uma câmara em autogestão por dois anos? Novas eleições? nomeação de uma Comissão Administrativa? Ou da intervenção do Governo?
Não acham que Lisboa necessita de uma certa acalmia? De que seja respeitada a vontade do eleitorado?
Não acham que Lisboa deve deixar de ser uma qualquer experiência irresponsável, ou um brinquedo para estragar nas mãos da direita» a mesma direita que por diversas vezes já provou não ter a competência para gerir os afazeres da capital?
Repito: deixem que se trabalhe em Lisboa.

A solução Portela+Montijo pode servir o país durante mais 10 anos, mas não o servirá daqui a 20.

Temos de definir, agora, a localização de um novo aeroporto, que poderá começar a ser construido por fases muito lentamente e sem pressas, não porque seja urgente, mas porque é absolutamente necessário conhecer esta localização para estudar e resolver convenientemente os dificeis problemas da nossa futura rede ferroviária de bitola europeia, nomeadamente, o da travessia ferroviária do Tejo e o do TGV para o Porto.

Enquanto não definirmos a localização do NAL (Novo Aeroporto de Lisboa) o futuro do país em matéria de Ordenamento do Território é um ponto de interrogação e somos um país em suspenso.

O nosso problema, neste momento, é, assim, ou o de investir na base do Montijo para a transformar num terminal para receber companhias “low cost”, como parece recomendar o estudo da Universidade Católica ontem divulgado, ou investir numa primeira pista de um aeroporto em Alcochete que poderá resolver todos os nossos futuros problemas aeronauticos.

Se o não fizermos, daqui a 20 anos, estaremos inevitavelmente atrofiados face à Espanha que está muito avançada na construção de um novo aeroporto a Sul de Madrid que terá 4 pistas. (28 Nov. 2007)

António Brotas
Professor Jubilado do IST

A ler...


Esta excelente nota do Pedro Delgado Alves, sobre a fuga da corte para o Brasil.

Esta importante lembrança do José Medeiros Ferreira sobre Cabora Bassa.

Divulgação / Convite


quarta-feira, novembro 28, 2007

MAn - Sporting

Ouvi o que Soares Franco disse sobre Carlos Queiróz...
E o respeito que tenho pelo sporting, pela instituição desportiva, que enaltece o Portugal desportivo, não trazem dignidade nem tranquilidade, estas as palavras tão usadas pela SAD do Sporting.
Ficar indignado e acusar alguém que no caso é português, embora represente um clube estrangeiro, no caso o Manchester United, de destabilizar o clube por dizer que os red devils acompanham os jogadores do sporting, enfim...
Será que o sporting e o senhor Soares Franco têm vindo a ser destabilizados desde o Ronaldo... Desde o Dani...
Bom então estão explicados os maus resultados que têm apresentado.
Será que a equipa se deixa destabilizar pelas palavras do técnico adjunto do Man? Será que isso explica a derrota e a impossibilidade de o sporting ficar afastado da passagem à segunda fase da liga dos campeões?
A minha critica assenta apenas na mediocridade que um dirigente Português teve após o terminus do jogo desta terça-feira entre o Man-Sporting. Ter postura e saber estar não é só uma posição, um status, tem de se mostrar com atitude...
<< Á mulher de César não basta ser séria, há que o ser>>
Atacar um Homem que sempre defendeu o sporting e que sempre se mostrou digno e respeitador, e que sobretudo tem dado significado ao futebol português é algo cobarde...

Soares Franco falou... E obteve esta resposta por parte de Carlos Queiróz...


«Foram afirmações duras, injustas, incompreensíveis e só a frustração de o presidente do Sporting não sentir que o clube está na fase final da Champions pode justificar isto. Também gostaria de ver o Sporting na segunda ronda e na liderança do campeonato e compreendo a sua frustração. Há uma grande mudança no Sporting e sempre que acontecessem estes momentos de insucesso é bom ver o presidente do lado do seu treinador. Lembro-me do tempo em que, quando as coisas corriam mal, os treinadores eram sempre os culpados.»
«Culpado, eu? Agora que estou no Manchester? Podia ter sido o Boloni ou o Peseiro, escolheram-me a mim. Gostaria de separar as coisas. Só falo de Soares Franco. Por vezes, a partir de determinadas horas do dia, não sabe o que diz. Não fiz insinuações, só afirmações. Nunca coloquei dúvidas sobre o interesse em jogadores. Foi uma opinião técnica. Há jogadores do Sporting que jogam na selecção de Portugal e merecem o meu aval.»
«Foi de uma desonestidade intelectual... procurou divergir as atenções das pessoas em relação ao sucesso que toda a gente gostaria de ver no Sporting. Eu trabalho no Manchester, não no Sporting. Já não espero desculpa. Ele é grande, mas não é grande coisa. Não é a primeira vez que isto se passa comigo. Estou um pouco farto desta postura. O senhor Soares Franco não tem nada a ver com o Manchester nem eu com o Sporting.»
«Não fica bem a uma pessoa que é presidente do Sporting. Não tive a felicidade de ter nascido numa posição em que não preciso de trabalhar, onde se arranja tachos e colocações por cunhas, portanto, sou trabalhador e com muito gosto. Isto surpreendeu-me.»


Saber estar não nasce, aprende-se...

Olha nós... (II)

... Novamente no blogue do Manifesto de 2009.

É o José Reis Santos, sim. Vão até lá e deem uma palavrinha ao rapaz que ele merece.

Nova roupa, velho inquilino

Nova Sondagem.

Está fechada a Poll sobre o tratado de Lisboa. Eis os resultados:

Sim - 10 votos - 38%
Não - 2 votos - 8%
Não li - 6 votos - 23%
Já Li e Não Percebo - 2 votos - 8%
Aquilo é Intragável - 6 votos - 23%

Aproveita-se o momento para colocar uma nova pergunta:
Concorda com a nova lei eleitoral autárquica, que prevê que o partido mais votado passa a ganhar a maioria absoluta de vereadores?

O começo da melhoria?

Pode ser que este seja um sinal de melhorias nos próximos anos. Era bom para todos nós se se provasse que a política governamental estava correcta. E há que destacar que a subida é acima da média europeia (por muito pouco, mas mesmo assim acima).

terça-feira, novembro 27, 2007

Sessão 10 - Portugal: A transição, a Europa e o Futuro

Podem ouvir aqui as apresentações de António Costa Pinto e da Inácia Rezola.

Finito,

Acabou o I Curso de História Contemporanea do El Corte Inglès

Pois… tudo de bom tem de acabar, lá diz o ditado popular.
Pois julgo que acabámos «em grande». Mais uma magnífica sessão, com dois convidados de luxo, e um repasto digno de memória, ou não estivéssemos a ser recebidos por El Corte Inglês.
As intervenções foram, uma vez mais, de altíssima qualidade. Mesmo sem um prometido Data Show à Inácia Rezola (em virtude de termos mudado de sala), a especialista na transição portuguesa, e em especial no 25 de Abril, colocou-nos perante uma visão panorâmica dos principais acontecimentos deste processo decisivo para a nossa contemporaneidade.
Já António Costa Pinto, com a sua vasta experiência, levou-nos aos primórdios da integração europeia, não aos anos 80, mas ao pós-guerra; estabelecendo ligação, assim, com a sessão da Fernanda Rollo, sobre Portugal nos anos 50.
Para terminar, resta-me agradecer ao El Corte Inglés, quer pelo desafio da iniciativa quer pelas condições disponibilizadas (um grande abraço ao Roberto, à Susana Fernandes, à Cristina Savioti e especialmente à Susana Santos). Agradecer a todos os oradores, homens e mulheres, jovens investigadores e consagrados catedráticos, da FCSH da UNL, de Letras, de Lisboa, de Coimbra, do Porto, do ICS, do ISCTE, da ESCS. Sem eles, não teria sido possível ter colocado a bitola num tal elevado nível de conteúdo.
Por fim, queria ainda agradecer a toda a «turma», verdadeiros entusiastas da história que, num horário complicado, preencheram a sala de âmbito cultural num ritual espontâneo que surpreendeu muitos dos que convidámos a apresentar comunicação.
Numa altura em que se procura passar a ideia de que a cultura está fora dos círculos do quotidiano, que existe uma dissonância entre a sociedade civil e a sociedade académica, este I Curso do El Corte Inglês vem provar que não só esta ideia carece de fundamento, mas que o que faltam são mais iniciativas que possibilitem este tipo de encontros.
Termino, relembrando que a ideia original do curso era procurar construí um espaço de exposição, de informação e de reflexão; que permitisse não só uma visão perspectivada e panorâmica do nosso século XX, mas ainda permitir a inscrição destes novos quotidianos culturais.
Eu gostei. Muito.
Comentem aqui.

Olha nós...

... no blogue do Manifesto 2009.
1. Starting the day in Sofia
2. The PES Council through the eyes of PES activists

E ou muito me engano, ou ainda não terminámos...

Ainda Sófia

Da blogosfera vão-nos chegando relatos das odisseias em redor das tentativas de viagem para o Conselho.
Destaco duas.
Grosse déception by chourka on Friday, November 23, 2007 at 12:42
Les militants de Paris sont extrêmement déçus de n'avoir pas pu participer au Conseil du PSE en raison des mauvaises conditions climatiques qui nous ont empêché d'atteindre Sofia.
Pourtant, nous étions très motivés ! Pourtant, nous avions pris de nombreux documents pour présenter le travail réalisé dans la capitale française pour promouvoir le PSE en tant que parti de militants, mais aussi pour aider à la réflexion des délégués sur les 4 thèmes du Manifeste 2009.
Après plus de 24 heures passées entre les aéroports de Bucarest et de Rome, c'est le coeur gros que nous avons dû nous résigner à rentrer en France.
Chiuso per nebbia
Certo che Castagnetti è una potenza…! Aeroporto di Sofia chiuso per nebbia da ieri sera. Metà delle delegazioni al Consiglio del PSE bloccate negli aeroporti di partenza, compresi i francesi, Schulz e Papandreou. Ed ovviamente noi… Veltroni, che sarebbe arrivato oggi da Madrid, dirottato a Roma. Fassino proverà ad arrivarci domattina da Atene. Io e la Lanzillotta ripiegheremo su una chiacchierata sul Titolo V nel suo ufficio, tanto per non avere la sensazione di una giornata persa. Di perso, per me, c’è più di una giornata.
Innanzitutto, una quantità eccessiva (quasi insostenibile) di energia. Sono giorni che salto da un incontro all’altro, col mio bravo blocco degli appunti, e col cellulare che sembra un centralino, per parlare con tutti quelli con cui è bene che parli - per capire, ascoltare, prendere le misure, entrare in questo mondo “istituzionale” cercando di non fare il classico elefante nella cristalleria. E ieri la mia giornata era stata simile alle altre: qualche incontro, tante cose da leggere, tante telefonate, poi la presentazione del simbolo (a me piace. E’ semplice e nazional-popolare quanto basta). Tanto che, commentavo in ufficio prima di partire, i due giorni a Sofia mi sembravano quasi una vacanza, una piacevole parentesi – mentre fino a poche settimane fa mi sarebbe sembrato un momento di iperlavoro. Ecco, con questo spirito sono salita ieri sera sul volo per Sofia. Partito in orario, atterrato verso le 23.00 a Bucarest perchè l’aeroporto di Sofia era chiuso per nebbia. Lì abbiamo fatto rifornimento di carburante, e siamo ripartiti per Fiumicino. La motivazione ufficiale è stata che non c’erano alberghi disponibili, ma essendo un volo di italiani il dubbio di una ritorsione da parte delle autorità aeroportuali rumene c’è stato… Arrivo a Fiumicino alle 3 del mattino, 8 ore per arrivare alla casella di partenza. A letto alle 4, di nuovo in aeroporto stamattina per tentare di prendere un altro volo – invano. Dire che sono esausta è davvero poco.
In più, sarebbe stato bello esserci. Esattamente un anno fa eravamo al congresso di Porto con una delegazione numerosa, affiatata, vivace e varia. Alcuni di quelli che erano lì, oggi sono nell’esecutivo del Pd. Quest’anno la delegazione non sarebbe stata altrettanto numerosa (è un Consiglio e non un Congresso) ma sarebbe stata altrettanto affiatata e varia. Sarebbe stata la prima delegazione del PD al PSE, ci sarebbe stato Pistelli e la Lanzillotta insieme a Fassino e Vecchi. (Non ci sarebbe stato Mussi…). Veltroni avrebbe parlato nella plenaria di domani mattina, prima delle conclusioni di Rasmussen, e poi avrebbe partecipato al pranzo dei leader. Sarebbe stato bello, importante. Non sarebbe stato un passaggio formale, questo è corretto dirlo, perchè il partito membro del PSE in assenza di una modifica della membership sono i DS, he da un punto di vista propriamente formale esistono ancora. Ma è altrettanto corretto dire che la soggettività politica, anche rispetto alle famiglie europee, è passata pienamente al PD. Per questo abbiamo pensato che la presenza del PD tra i partiti membri sarebbe stato un atto politico indispensabile. Non un dato di fatto per scavalcare una discussione interna (che dovremo fare, e che resta aperta), ma un segnale di coerenza sia a chi ha votato il 14 ottobre (e che non capirebbe il persistere dei “vecchi” partiti accanto al nuovo) sia ai nostri interlocutori in Europa. Che siano del PSE o del PDE.E invece la nebbia ha fatto slittare tutto. (Ma sarà stato Castagnetti, o piuttosto Mussi...?)

divulgação

O DOMINGO ILUSTRADO (1925-1927)
Publicado em Lisboa, ao Domingo, “dia igualitário, em que a todos é distribuída a riqueza de repouso”, este semanário propunha-se servir “toda a gente”, com “predilecções gerais”. Por outras palavras, responder “às mil curiosidades vulgares e necessidades habituais do maior número; que seja de tudo e de todos (…). Não será o jornal de Lisboa ou do Porto – será o jornal de Portugal”. Da capital, interessava-lhe mais a beleza da cidade “do que os seus mexericos”. Manteve-se até Dezembro de 1927, e nas suas páginas encontramos a nata do jornalismo da época, bem como alguns dos melhores ilustradores, como Stuart de Carvalhaes, Carlos Botelho e Roque Gameiro. Razões de sobra para O Domingo Ilustrado passar a constar na Hemeroteca Digital, aqui. Para saber mais, leia aqui o verbete deste semanário que quis ser “jornal, revista, cinema, história, consultório, humorismo e sentimento”.


O “Vício da Liberdade”: Jornais e Panfletos Anti-Napoleónicos(1807-1815)
Para que a História não caia no esquecimento, evocamos aqui o Bicentenário das Invasões Francesas (1807-2007), revisitando a notável expansão que a imprensa periódica conheceu nesta altura, a par da disseminação de uma vasta e difusa literatura panfletária, sem precedentes na história editorial portuguesa. Veja aqui a efeméride que preparámos para si.

P.S. Como o prometido é devido, disponibilizamos aqui as conferências que Eurico Dias (UP/FL) e Graça Afonso (CML/DBA) apresentaram no âmbito das comemorações dos 150 anos do Arquivo Pitoresco (1857-2007).
Bicentenário das Invasões Francesas (1807-2007)
Mostra Documental e BibliográficaO “Vício da Liberdade”: Jornais e Panfletos Anti-Napoleónicos (1807-1815)
Mostra que tem por objectivo revisitar a notável expansão que a imprensa periódica conheceu nesta época, primeiro com a "terrível invenção dos jornais de Londres”, depois com o aparecimento de novos periódicos no país, a par da disseminação de uma vasta e difusa literatura panfletária (folhas volantes, libelos, panfletos, manifestos, na sua maioria anti-franceses), num fenómeno sem precedentes na história editorial portuguesa. Serão exibidas espécies provenientes do espólio da Hemeroteca e de colecções particulares, constituindo algumas delas autênticas raridades bibliográficas, fundamentais para perceber o debate de ideias que se seguiu às Invasões Francesas.Local: Átrio e Escadaria da HemerotecaEm exibição até 31 de Dezembro

Ciclo de Conferências
O “Vício da Liberdade”: Jornais e Panfletos Anti-Napoleónicos (1807-1815)
1.ª Conferência
Os Panfletos Anti-Franceses, subsídios para a sua história, por António Ventura (UL/FL). Data: 28 Novembro, 18 horas
Local: Sala do Espelho da Hemeroteca
2.ª Conferência
Invasões Francesas: o esgrimir das penas e os papéis incendiários, por Rita Correia(CML/HML). Data: 6 Dezembro, 18 horas
Local: Sala do Espelho da Hemeroteca
Mais informações aqui.

Coisas da vida

Alguém se chateou...

Admito

Anda por aí uma daquelas gaffes reaccionárias reveladoras do quão estúpida e desadequada pode ser a mente humana e a vontade do sondbite imediato.
Pois parece que o actual líder da JPP, juventude do CDS-PP, veio acusar o lider parlamentar comunista, Bernardino Soares por incidentes no "Verão Quente" de 1975.
Esta acusação, barbara, complica ao se saber que o visado tinha 4 anos de idade.
A reacção na blogosfera não se fez esperar, desde o Tiago Ribeiro, ao Pedro Alves, à Shyz ou ao Daniel Oliveira, todos já baterem que se farta neste novo miúdo saído do forno do Caldas. A piada é que ninguém lhe deve de ter dito o que alguns do seu partido fizeram, não muito longe dessa data...
Por mim admito que, nascido em 1974, o ano de 1975 me traz gloriosas lembranças. Desde a Graça, por quem babava que era uma coisa louca; aos baloiçar ternurento com o que o meu pai me embalava, cada vez que cantava em punho erguido a Internacional. Admito ter, com o meu curto ano de idade, cuspido num ou noutro tipo com que me cruzava, ou porque o pólo às riscas me ofuscava os meus ainda frágeis olhos, ou porque não entendia nem as referências aos «outros tempos» ou a estranha mania de acabarem as frases com um «a bem da Nação». Levei anos a entender o que queria dizer; e ainda hoje estudo estes processos.
Bons tempos esses em que a estupidez não grassava, fugia. Para Brasis daqui e dali. Saíam, levavam o dinheiro e a estupidez.
Depois voltaram e fizeram filhos. Hoje alguns são líderes partidários.
Antes no Brasil, mas temos de os ter por cá...

segunda-feira, novembro 26, 2007

Balance from Sofia

Balance
The 2009 PES Council in Sofia ended. Three intense days came to an end last Friday under a powerful fog that covered Sofia. The last speeches, especially those of Bulgarian Prime Minister Sergey Stanishev (in a perfect English) and the one of Poul Nyrup Rasmusen were particularly brilliant and let us, European socialists, the impression that the European socialist project, and PES, is maturing every day.
The fact that it was the Bulgarian Socialist Party the ones with the responsibility of organizing this important reunion, after the Portuguese socialists in 2006, allowed Europe the opportunity to see, in two consecutive years, both ends of Europe, the western and the eastern. It allowed also experiencing the impact of Europe in a new incoming country facing one of most successful cases of European successful integration.
Bulgaria, in a sentence, reminds me Portugal before we entered the European Union: high hopes, eager to work and to be integrated, and a enthusiastic vitality that catches you. The Bulgarians, so it seemed, are humble people, honest and with a high civic sensibility. Remember that they lived under a totalitarian regime until the 90’s, and that their transitional process was not an easy one (as most of former communist countries). Even thought, they managed to maintained a certain positive civic attitude, appreciated in the fact that people in the streets, although their humility, are persecuting their regular live, with the difficulties that exists in today’s societies. They didn’t turn to crime, or begging or prostitutions, at least from what I could see in the city of Sofia. Another example can be drawn from the public transports. You don’t see any control in the trams, for example, and the tickets are supposed to be validated in some kind of manual machine, most certainly still a remembrance of soviet times. Although all this easiness, that in some European capitals would be taken as an invitation to free-ride, the Bulgarians, young and old, validated their tickets, in a prove of civism and ethics behaviour.
Even though, they still have a long way to go. They have their country to rebuild and it is very important that there is a socialist at the elm, because, as we see in other former communists countries, It is very important to maintain a strong social preoccupation in order to create a balanced society; and not that wild capitalists experiences, with high social cleavages, that we sometimes see in the eastern Europe countries.


Positive
The people, the council organization, Sofia and the weather, that allow us to have more time to talk between ourselves and to have more face time with leaders, delegates and guests. People, activists, politician, new friend, old friendships consolidated. The guys from Rainbow Rose. The Portuguese delegation and staff. Not because of my nationality, but Paulo Pisco intervention on the environment was one of the best ones the Council eared (It was recorded and showed here), and Gisela and Hugo on the PES Staff team. Hugo as a non-stop guy, always supervising and controlling; and Gisela, in the backstage, dealing with the internet, logistics and all (you can see her interview here). It was also very interesting to met most of PES Staff and be able to see Europe in the making as all these nationalities, all these young, highly motivated men and women working towards the same goal: to build in Europe a Social Experience that would transform the old continent in the best place to be, on Earth.

Negative

The weather, again, now because it didn’t allowed the Council to have the dimension we wanted, as much more than half the predicted attendance never showed up. For the activists this had a bigger impact as from the more than 100 expected, 10 turned out, 4 Bulgarians. The taxi drivers, as I explained here. I had another experiences, that I’ll talk in the next post, that sustained the impression that they are definitely a class of their own, with the necessary exceptions.

Overall
It was my fist abroad experience with the PES family. I had been in Oporto, but as I am Portuguese, it was more as an internal thing… To be able to meet so many bright people, so many people with shared interests was worth wile. Then, discover a new country, with so many traditions and history; a country proud of himself, with is eyes in the future and with high hopes on the European project, was such a wonderful feeling, that I would do it again tomorrow.
And Sofia is such an interesting city. I have to come back, at least to try out their slopes…
So, if not soon, I’ll see you in Madrid.

Last impressions of a Political Council.

Last impressions of a Political Council.
I haven’t seen any news coverage of the 2009 PES Council at Sofia, so I don’t know what spin the media made of it. From my perspective it was a success. Everybody already knows the weather conditions that prevented a full house plenary and the presence of more high rank officials; but, even thought, the level of the discussions and the quality time available more than compensated this unfortunate event.
The funny thing is that I’ve been told that the airport was build in that location by German engineers in II World War, exactly because of the fog condition (it would make the place easy to defend and invisible to enemy attacks).
The political contribute of this Council was very intense, as the Manifesto 2009 took off with attention and strength. Most of the plenary interventions were in accordance to the four main issues – Europe and the world, European democracy and diversity, New Social Europe and Save our Planet – with some very good ideas and interventions.
The fringe meetings, most of them regarding issues of this four major points, were very interesting, at least the ones I attended. I would like to isolate the «European democracy and diversity», not only because it was the meetings I went, but because of the quality of the interventions, especially the ones of Carlos Moreno and the Rainbow Rose organization.
This kind of organization proves to be a success. People are highly motivated to participate and the quality of discourse rises to a level of excellence. Definitely, we, European Socialists, have the ideas, project, the people and the team to build a new Europe.
A Europe with a different role in international affairs; with a strong environmentalist discourse; and with a new green Agenda. A Europe with an active and strong relation with their citizens; who embraces differences and diversity as a genetic mark of the socialist view of contemporary societies. A Europe that takes the responsibility to achieve the goals of the New Social Europe project and, with it, operates the necessary social changes that we need, in today’s Europe.
I want to be a part of this new Europe, and to see it from the beginning it’s a real privilege. Now, we haven’t build anything yet, there is a lot of work to be done, and the manifesto project is the one were we should gather our resources. The idea is to build a strong, straight forward, grass rooted manifesto. A Manifesto were all the European socialists could recognize themselves and that points towards this New Social Europe that we talk about.
It is not only possible, but needed, that Europe turns left next 2009 elections. With a strong socialist majority in the European Parliament I don’t have a doubt that the New Social Europe could be a reality.
In Oporto we were already talking of this need, in Sofia we continue to pave this road that lays ahead. This path will have its exposure at the 2009 European election, until then, we still have a lot of construction to do. Improve our ideas, our discourse, and our speech.
The Manifesto 2009 process will be a very important initiative to assure that the relation between the PES and its grassroots is a dynamic one, and a validated one. The Socialist Family is calling for our input, our ideas, our thoughts in Europe, in our Future.
The PES is the first European structure to try to think as a multinational party; with an European agenda, and with an integrated and articulated project between the PES, the national parties, the Activists movement, NGO’s and grassroots politics.
So, it is up to us to help and contribute.
You could contribute and be eared. Just log on to www.manifesto2009.pes.org, or connect to your party or the Activist movement in your county. Write a couple of ideas around the Manifesto 2009. Your idea will count.
Politics is still made for and by the people. It is not just economics. It’s the social as well. And only the socialist project can bring a new social justice and equilibrium to a too much liberal Europe. I believe in that. And I want to contribute for this change.

Poul Nyrup Rasmussen final intervention at 2009 Council

Poul Nyrup Rasmussen final intervention at 2009 Council- 1


Poul Nyrup Rasmussen final intervention at 2009 Council- 2


Poul Nyrup Rasmussen final intervention at 2009 Council - 3


Poul Nyrup Rasmussen final intervention at 2009 Council- 4


Poul Nyrup Rasmussen final intervention at 2009 Council- 5

Interviews in Sofia

Divulgação / Convite


É assim

Um fanático (futebolistico) é assim. A sua equipa não ganha há tantos jogos que eu já perdi a conta, mas ele prefere realçar a capa de um jornal que tem a foto da comemoração de um golo por parte do seu marcador, dizendo mal desse mesmo jornal.

Coitado do rapaz, não se consegue alegrar nem com a sua equipa nem com as desgraças dos outros. Lá em casa deve de haver uma grande cultura de melões!!!

Exposição Individual de Pintura de Henrique Tigo

O Presidente da Junta de Freguesia da Buraca, Jaime Pereira Garcia, tem o prazer de convidar V. Exa e família para a inauguração da Exposição Individual de Pintura de Henrique Tigo que se irá realizar no próximo dia 27 de Novembro de 2007 (terça-feira), pelas 15h no Espaço Cultural Fernando António Godinho, Largo Borges Carneiro n.º 3 –G, 2610 – 028 Buraca Amadora.
A exposição estará patente ao publico até dia 30 de Novembro e 50% das vendas revertem a favor da ARCAPS - Associação Com. Para a Reabilitação Psicosocial.

Sobre a obra de Henrique Tigo, J.P. Blanchon escreveu:
È sempre difícil comentar a obra dum artista no início da carreira.
Geralmente o jovem pintor anda à procura da sua via e de maneira muito versátil experimenta diversos caminhos sem aprofundar nenhuma deles, até encontrar o tipo de expressão onde se sente bem, mas as vezes leva longos anos.

Em paralelo trabalha as técnicas que melhoram com a experiência mas no seu percurso cria obras muitas vezes com alguns desequilíbrios por falta da integração harmonia delas (alias nunca ouvi falar dum escritor que realizou a primeira vez uma obra prima: porque seria diferente com um artista, o pincel substitui a caneta).

No caso do Henrique Tigo fiquei logo muito admirado, bem sei que tem pai Pintor (Bom) e que deve ajudar (mas o talento não é hereditário).
Desde o início o Henrique Tigo teve uma personalidade muito independente Para já demonstrou uma vitalidade fora do comum: é só ver o curriculum vitae do homem em 15 anos ( dá para duvidar que o dia só tenha 24 horas).

Já andava no próprio caminho: formas simplificadas que sugerem mais que definem cores básicas fortes que transmitem uma grande luminosidade aos trabalhos. O movimento é sempre presente através dos contornos seguros e puros sublinhando as formas e figuras, o que sempre anima o espectador e tira qualquer lassidão na visão das obras.

Com os anos pode-se ver a técnica progredir mas a simbologia do início continua igual. Afinal trata-se duma pintura alegre que transmite muito bem a boa disposição geral do artista (não é de deprezar em períodos de crise onde as pessoas estão tristonhas).
Aposto que daqui a uns anos, se continuar neste caminho, o Henrique Tigo deverá tornar-se um pintor bastante procurado.

Com a sua vitalidade não duvido que irão aparecer oportunidades favoráveis que ele próprio irá criar se não aparecer em naturalmente.

Resumo do Curriculum Artístico de Henrique Tigo
Henrique Tigo, é um Pintor - Livre dos novos tempos, nascido na década de 70 em Lisboa.
Foi Prof. de Pintura na Universidade - U.S.I.L.A de 2000 até 2003.
Licenciado em Geografia do Desenvolvimento Regional pela Universidade Lusófona de Lisboa, tem ainda o Curso de Gravura da Cooperativa de Gravadores Portugueses tirado em 2003 e em 2005 tirou o curso de Xilogravura de Cordel na Universidade Lusófona de Lisboa. Tirou o curso de Azuleijaria e Cerâmica com a Prof. Isabel Perdigão em 1995.
Foi director das Galerias de Arte FAUL´ arte em Lisboa 1995/96 e da Galeria A Tela na Amadora de 1993/2002.
Foi Comissário da Homenagem a H. Mourato. Criador, comissário e membro do júri da I Bienal de Artes Plásticas da Nazaré Prémio Thomaz de Mello 1999. Comissário e criador da I Exposição Colectiva de Artes Plásticas "Tributo ao Rei do Rock'n'Roll".
Tem exposto individual e colectivamente desde 1993, em Lisboa, Amadora, Barreiro, Nazaré, Sintra, Goís, Cadaval, Lourinhã, Setúbal, Sabugal, Borba, Moita, Portalegre, Arruda dos Vinhos, Região Autónoma da Madeira e em outras localidades.
Tem exposto internacionalmente na Itália, França, Espanha, Alemanha, Reino-Unido, Polónia, Japão e Brasil entre outros.
Está representado no Museu da Assembleia da República (Palácio de S.
Bento); Embaixada Portuguesa em Varsóvia na Polónia, Graceland - Elvis Museum ( Memphis - U.S.A); Museo Comunale d'Arte Moderna e dell´Informazione (Itália); Gendaikko Museum - (Japão); Museu Municipal de Santiago do Cacém; Museu República e da Resistência (Lisboa); Museu Municipal do Cadaval; Museu Sport Lisboa e Benfica (Lisboa); Sociedade da Língua Portuguesa (Lisboa); Biblioteca Municipal Camões (Lisboa); Biblioteca Municipal David Mourão - Ferreira (Lisboa); Fundação Mário Soares (Lisboa); Casa Fernando Pessoa (Lisboa); Alto Comissariado para a Igualdade e Direito das Mulheres (Lisboa); UMAR - Movimento para a Emancipação Social das Mulheres Portuguesas, Junta de Freguesia da Buraca (Amadora); Junta de Freguesia da Damaia (Amadora); Câmara Municipal de Sintra, Câmara Municipal de Arruda dos Vinhos; Com painel de azulejos na Antiga Escola Secundária Dona Maria I (Lisboa), Associação Cultural Encontros da Eira (Madeira); Associação 25 de Abril; Confederação Nacional dos Organismos de Deficientes, Bombeiros Voluntários da Pontinha, Amorc - Ordem Rosa Cruz, entre outras representações.
Em Outubro de 2004 em conjunto com o Pintor Carruço realizou a primeira exposição de pintura de artistas plásticos portugueses na Polónia.
Ilustrou a capas e livros. Ilustrador e Colaborador de vários jornais e revistas assim como Jornais on-line.
Coordenou os Pintores Lisboa e Sul do Tejo do I Gois'arte em 1997.
Ilustrou em parceria com o Mestre H. Mourato C.D e o livro de Musica Tradicional da Madeira "Aquintrodia" dos encontros da Eira.
Autor da peça de teatro "As Portas de Abril" levada a cena pelo Grupo de Teatro Passagem de Nível, em 1999, Autor de cartazes do VIII Congresso da CNOD.
Vem representado nos livros de Arte: Arte 98 de Fernando Infante do Carmo; 50 anos de Pintura e Escultura em Portugal da Universitária Editora e no livro Desenhos e Guaches de H. Mourato.
Em 2004 deu uma Palestra sobre Pintura Portuguesa Contemporânea na Universidade de Varsóvia - Polónia Realizou um Workshop de Pintura a convite da Câmara Municipal de Loures e da ISA no Jardim Álvaro Roxo e Castelo de Pirescouxe em S.
João da Talha a 12 de Março de 2005
Foi Presidente e fundador da Associação Escadote Cultural, fundada de 2001 até 2007

sexta-feira, novembro 23, 2007

Olha eu nos EUA (III)


Já que a familia do loja se decidiu pelo catálogo politico no universo Norte Americano cá vai:


Your Political Profile:

Overall: 20% Conservative, 80% Liberal
Social Issues: 25% Conservative, 75% Liberal
Personal Responsibility: 25% Conservative, 75% Liberal
Fiscal Issues: 0% Conservative, 100% Liberal
Ethics: 0% Conservative, 100% Liberal
Defense and Crime: 50% Conservative, 50% Liberal

Dinner

Because of this post, I closed the council venue, and left alone towards the dining place. Somebody told me that it was at the National History Museum, the new-one-not-the-old-one. It was in the city limits, and I would need a cab to get there. Fog was worse them it ever was, you didn't see anything from one side of the street to the other.
After my first taxi experience in Sofia, I wasn’t seeing a good end to this journey. Fog and a 20 km trip did not seem as a good combination. The first cab I approached didn't spoke a word English. I tried to find someone in the street who could translate the address, so I could go. I did this and the guy refused to take me, insulting me in some strange ways. Luckily there was just another one behind. I was already running late.
The taxi drivers in Bulgaria are not as the ones in Portugal, fat old man, with the classic moustache, sometimes drunk and so on... no, the ones in Bulgaria are between 30-40 years old, they all go to the gym and are big as hell... This is the picture. You definitely want to be in their good side.
Anyway... I took this second taxi. The man was learning English for one year and I started to try to have something of a conversation. After the basic exchange of words and short sentences, it evolved to a football conversation, always a classic topic to engage with a foreigner taxi driver. Euro this, Euro that, Portugal - Figo -Ronaldo - Mourinho; Bulgaria - Barbatov - Petrov - ?...; I told him I went to see Bulgaria at the Euro 2004, in Portugal (they lost 5-0 against Sweden) and the fog was deeper and deeper.
As we drove outside city limits I started to wonder:
- Deep fog, trees, no transit, strange narrowed roads, a taxi driver and a yuppie tourist (that’s what probably people would think of us)... this is not ending well...I think I’ve seen such a movie…
The football continued. Now it’s Benfica and CSKA, Rui Costa, and our shared historical background. Benfica Portugal greatest, CSKA, Bulgaria greatest. we managed to see, I am not exaggerating, 5-10 meters ahead. All of a sudden he goes out of this narrowed main road turning to a no road path. I was thinking: - what about now? Is this it?
In a distance we saw some light. Fading. Football continued. We arrived at a gate, I saw some security and he stopped.
- It’s here. There is supposed to be a big building, house to the former soviet government, but with the fog we don't see anything.
The security guys approached me, I identified myself and they showed me the way: towards the lights...
The fare was 6 Lev 30 ; 3 euro 15 cents. (I paid almost 20 Lev from the airport, which was roughly the same distance) I gave him 10, we shake hands and anticipated a Benfica - CSKA next Champions League.
The reception was flawless, imperial style, big building, lots of ancient stuff (all with Bulgarian titles, with no translation whatsoever, so we didn't know what we were looking at), the traditional folk groups (15 mature women), and a very nice three string trio (young trendy girls).
Diner was a buffet, a good one, and ended around 22.30 because all the buses were leaving and we had no change of staying. Because I'm still in Portuguese time, I was leaving diner at 20.30, already eaten. The buses all had hotels as destinations, the hotels were everybody is hosted. I took one, randomly, that took me at the Council place, were I managed to get the last tram heading to the centre of Sofia, where I'm staying.
I arrived at the hotel and went to work thinking about this Benfica - CSKA in next year champions...

Dinner

Text will come during the day...


Portugal intervention in Sofia

quinta-feira, novembro 22, 2007

European democracy and diversity

European democracy and diversity
There were actually two fringe meeting dedicated to European democracy and diversity, one o the diversity subject, another on democracy. Zita Gurmai chaired both sessions.
With a good audience, the first hour was dedicated to the diversity problems that Europe is feeling today, mainly the ones regarding minority rights. The main idea was that if all the known laws were attended, the minority rights problem would never exists. It is a matter of enforcing policies that already are written. On this topic we call your attention to the contribution delivered by the Rainbow Rose organization, a guest at the Council.
Another topic was the value fight that we, socialists, are losing to the right wing parties, mainly because of its strategy to create think tanks, focus groups and so on dedicated to the construction of a political discourse. This articulated move, going on for the past 30 years, have already create an intellectual and political elite without the socialist counterpart. The idea of a European Foundation came in support if this undisputable need.
The second sessions was dedicated to «democracy», and I liked very much the intervention of a Spanish MEP, Carlos Carnero, who spoke about the necessity of creating an European party, to bring more Europe to the common citizen. He gave also the idea of presenting a Commission President candidate, supported by PES in 2009, as well as the candidate exchange experience that could exist in the next European elections.
With a lively and participated debate (where I also intervened) the session was closed and people were send to their hotels to freshen up to be presentable at the reception that will take place in 15 minutes.
Needless to say that yours truly is not going to the hotel, will not change or freshen up or anything else, and if he doesn’t finish this text soon he will miss the reception.
So… from Sofia we close the report for the day.

Video

JFK


Foi há 44 anos.

It started

It started

The 2007 Council began, despite weather conditions. Fog in Sofia led to the closing of the Airport and to the impossibility of 2/3 arriving. There are stories of delegates, activists and guests spread all over Eastern Europe, from Romania to other Bulgarian small Aero ports.
Well, the show must go on, so some say…
It’s with a 1/3 house that the works started, and it was with joy that I saw one of the panels be dedicated to the Childcare initiative. As you probably know, we in Portugal organized a very interesting session with Viera da Silva, Jorge Lacão, Zita Gurmai, and Edite Estrela, late April.
But we are not here to report on our initiatives, so, back to Sofia…
It was a very interesting session, in a very informal format, with Poul on stage interviewing Zita Gurmai, Ania Skrypeck, Claudette Baldacchino and Harlem Désir.
All of them had a strong message to share. I’ve already knew Zita and Ania speech; both of them top level, but to see more and more people talking about the importance of the Childcare programme is very ensuring and gives hope in the socialist project for Europe,.
Poul usually gives his grandson, age 6, as example of what Europe can and should be, and the Childcare campaign is no more then another opportunity to put the next generation together, with the common goal of building a New Social Europe, lead by socialists, towards a better tomorrow for the unprivileged and marginalized.
You can see the video of the session here.

Debate em torno do artigo «A quem serve o «bota-abaixo» do Serviço Nacional de Saúde»

O Le Monde diplomatique - edição portuguesa convida-o(a) a participar no debateorganizado em torno do artigo «A quem serve o «bota-abaixo» do Serviço Nacional de Saúde»publicado no número de Novembro do jornal.

O debate conta com as seguintes participações:Isabel do Carmo, autora do artigo, médica do Hospital de Santa Mariae professora da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa.

José Aranda da Silva, farmacêutico, ex-Presidente do INFARMEDe ex-Bastonário da Ordem dos Farmacêuticos.

O debate realiza-se na quinta-feira 29 de Novembro, a partir das 21h30, no novo espaçoda livraria Ler Devagar (Fábrica de Braço de Prata – Rua da Fábrica de Materialde Guerra, Lisboa: frente aos CTT do Poço do Bispo).
Clique aqui para ver a localização do novo espaço da livraria Ler Devagar.


Organização: Le Monde diplomatique – edição portuguesa.


A entrada é livre. Participe!
____________________________________________________________

Zdravei from Sofia!

Hello European campaigners,
Zdravei from Sofia!
I am - together with the rest of the Yourspace campaigning team - in Bulgaria for the PES Council. Right now a lot of socialists and social democrats from all over Europe are gathered in the National Palace of Culture to discuss the PES manifesto for the 2009 European elections.
During today and tomorrow there will be lots of possibilities for following the Council online:
Live-blogging on Yourspace!
The Yourspace crew and a team of PES activist bloggers will post hourly updates on the meetings and events on Yourspace. Log in with your usual username and password and you'll be able to give your comments in real time.
Watch PES TV!
Many of the Council's sessions are streamed 'near-live' on http://www.pes.org. The Council's opening and closing, the plenary debates and press conferences will be just a mouse click away!
I hope you’ll enjoy the PES Council!
Greetings from Bulgaria,
Rikke

Putting the Show


Putting the Show

Usually when I arrive at congresses and important venues everything is set, ready to go. TV and media, at their coverage, show us a done deal, a scenario prepared to be broadcast. I arrived one day before the Council starts, yesterday, which was a good thing because today the airport is closed due to weather conditions (what explains the few people at the council, the limited number of activists and the numbers of some delegations), and what I had the opportunity to see this backstage that allows the Show to exist.
Of course I helped.
People here, I must say, are so nice and kind, always helping and interested in trying to understand what you are trying to communicate. I think this Council will be a very good experience.

Arriving


Arriving

I arrived today at Sofia. It is a Big journey from Lisbon, reminding me that we, in Portugal, are really at the end of Europe.
I left home at 4.40 am, and arrived at 16 pm, local time, after a 3 hour stop at Munich. There I had a strange experience. Stepping out of the bus that took us to the Airport (from the plane), a policemen came to me, introduce himself, said he was from costumes, and ask me to carry a bag with me. I look at him, I look at his badge and I wondered:
– is this for real???
He then came to explain that they were training costume dogs to catch drugs, and that this will be a test.
Since I was in Germany, and he was doing it in open air, were everybody was seeing, I thought:
- It’s probably real. This is Munich, after all. I’ll have a go at it.
So, he gave me a bag, with the drugs (cocaine he said), and as, I was passing through costumes, this big German Sheppard, after smelling the bag, jumped at me. He was a big fella, and the god thing was that he was soon controlled by his keeper. What an original way to enter a country, I must say..
The German Sheppard passed the test.
After this adventure, and another plane trip, I arrived in Sofia. Freezing. Snow all over the place, showing me that the all the time summer weather we have in Portugal is not shared with the rest of Europe. We are still wearing shorts at home...
I went to the hotel, after being sightseeing with the taxi driver (all the taxi drivers are alike, aren’t they?...), took a shower and went straight to the Council venue.
After asking directions to a non English speaking population (most of the old people don’t speak English), and trying to read the Cyrillic-base signs, I managed to took the tram to the venue, but it the wrong way. Instead of a 5 minutes trip, it took me an hour through traffic, a bus change and a wonderful experience in Sofia transport system at rush hour.
I arrived.

quarta-feira, novembro 21, 2007

changing address

A loucura...

Isto é que é loucura no futebol...
(Atenção: o vídeo contém linguagem imprópria - Vejam até ao fim que vale a pena!)

video

Sócrates e a casa de Chávez

Já li no Palavra Aberta, no Blasfémias e no Insurgente palavras de repúdio ao Primeiro-Ministro por este dizer ao Presidente venezuelano para considerar Portugal como a sua casa. Revejam lá as imagens. Sócrates comete uma gaffe e o "considerar Portugal a sua casa" é a maneira que ele arranja de disfarçar a mesma.

Uma maneira muito infeliz, diga-se!

Turning Point?

Com as eleições primárias norte-americanas a terem períodos diferentes de eleição, a vitória mas eleições de cada estado torna-se ainda mais importante, pois permite que se crie uma onda de vitória e que pode alterar o resultado previsto nas sondagens mais, digamos, generalistas ou nacionais.

Assim sendo, esta notícia é muito preocupante para os lados de Hillary Clinton, e extremamente motivante para Barack Obama.

terça-feira, novembro 20, 2007

Clinton vs Obama

Pelas notícias vindas a lume do outro lado do Atlântico, parece que aquele que poderia ser o Dream Team democrata já não vai acontecer. Assim sendo, continuemos pois a esperar que Hillary vença o que tem a vencer até daqui um ano.

Mas quer era bom que eles mandassem as birras para trás das costas, era!

O dia de hoje.


O dia de hoje.
Imaginava-se uma sessão bem animada, uma vez que estaríamos a falar de mulheres para mulheres (uma vez que estas são maioritárias no curso). Pois bem, superou as expectativas. Batemos todos os recordes.Eu arriscaria dizer que tivemos não 2 mas 3 apresentações, tal a qualidade e intensidade do debate. Tenho pena que estejamos na parte final desta experiência. Parece que as pessoas começam a soltar-se definitivamente.
Sobre as exposições no concreto, Anne Cova transportou-nos, em primeiro lugar, para um espaço de teoria de interesse superior, deambulando pelos caminhos da autonomia dos estudos no femininos. Excelente a ideia da invisibilidade da mulher no estudo da História. Depois entrou no tema a debate, percorrendo aventuras e desventuras de uma organização feminina que acaba por existir quer na I Republica quer no Estado Novo.
Depois, Maria Antónia Palla, numa intervenção de emoção, memória, análise e prospectiva. Percorreu, entre lágrimas e sorrisos, o papel da mulher na segunda metade do século XX, colando e descolando o feminino da cronologia política, conforme ela ia acontecendo. Eleições, direitos, profissões, valores, educação. Maria Antónia acabou por desenhar um quadro bem completo do percurso da mulher portuguesa até aos nossos dias, não estranhando que o debate se tenha debruçado sobre o presente, o futuro e as consequências da nos nossos quotidianos .No fim, uma frase: que saibamos ser todos iguais nas nossas diferenças.
Foi uma excelente sessão. Obrigado.

Dear all,

Dear all,
the campaiging group is developing well and the manifesto consultation process is also on its way. But we shouldn't forget that in 2008, there are presidential elections in the US too. The results of this election will shape the future of transatlantic relations - and therefore also Europe - a great deal.
This was reason enough for us to start a poll amongst the centre left of Europe about which Democratic candidate you would prefer. Who do you trust most to set transatlantic relations onto a new path?
Go to our Social Europe Blog at http://www.dailypolitics.eu to participate in our poll.
Please also link to the survey from your websites and blogs so we can get as many people as possible to participate.
Thanks a lot!
Best wishes
Henning

PES Council 2007

segunda-feira, novembro 19, 2007

Spreading the word

Divulgação / Convite

CONVITE
Os Autores e a Fim de Século – Edições
têm o prazer de convidar V. Ex.ª para o lançamento do livro
O SEGREDO DA RUA D'O SÉCULO
Ligações perigosas de um dirigente judeu com a Alemanha nazi (1935-1939)
ANTÓNIO LOUÇÃ
ISABELLE PACCAUD
O livro será apresentado pelo sociólogo Alan Stoleroff
20 de Novembro, às 18h
Biblioteca Museu República e Resistência
Rua Alberto de Sousa, 10 A – Zona B do Rêgo, em Lisboa

Pesquisar neste blogue