quinta-feira, novembro 13, 2008

A ler...

Devo dizer que concordo com a ideia de avaliação dos professores. Aliás, acho que a questão da avaliação é algo que deve ser estendida a mais áreas da função pública. Mas também entendo que esta chamada de atenção de António José Seguro deve ser levada muito a sério.


"Nunca me ouvirá em público dizer mal de um Governo do Partido Socialista, quanto à questão da arrogância, eu julgo que a arrogância não pode ser a marca de um Governo de esquerda"



P.S. - Esta afirmação foi feita dentro de uma reunião/debate duma secção do Partido Socialista. Não foi preciso dizer Ops! para a dizer, nem para ela ser conhecida.

14 comentários:

Elisiário Figueiredo disse...

Já reparei que Ops! está a incomodar e muito certos sectores do partido de Socrates, enfim !!!!!

Rui Pedro Nascimento disse...

A mim, pessoalmente, não me incomoda nada o Ops! Incomoda-me, isso sim, a vaidade e a suposta superioridade intelectual de alguém que, quando esteve no governo, demitiu-se admitindo a sua incompetência. Porque não escreve ele no Acção Socialista?

Elisiário Figueiredo disse...

Porque o conceito de Esq. que o Manel tem é mais abrangente, se queres derrotar a direita não é o PS só que o pode fazer, até porque o partido que se diz socialista tem lá dentro muita mas mesmo muita gente, a começar por Socrates, que não sabe o que é socialismo.

Rui Pedro Nascimento disse...

Não escreve no Acção porque tem um conceito de esquerda mais abrangente? Desculpa, mas não faz sentido. E não sei se reparaste, mas derrotámos a direita sozinhhos, da última vez! Claro que se estiveres a falar da Presidencia da República, aí sim! Mas então o homem que o assuma.

Embora não me pareça que ele a consiga alcançar sem os votos do eleitorado do PS.

Elisiário Figueiredo disse...

Não Rui não tem nada a ver com a Acção Socialista, tem a ver com o projecto Ops! as causas porque não escreve na AS eu não as sei, mas de uma coisa eu tenho a certeza deve ter as suas razões.

Elisiário Figueiredo disse...

Não o partido socialista não derrotou a direita, o que fez foi campanha e consequente politica de direita, ou seja, virou à Dta. para ganhar eleições.

Boavida disse...

Rui, concordo por completo e assino por baixo a frase sobre a "a vaidade e a suposta superioridade intelectual". Principalmente tendo em conta o quanto admirava as intervenções do poeta, antes de ele se ter atirado para ribalta da campanha presidencial, dos movimentos dos cidadões e das atenções efémeras dos media.
A melhor maneira de exprimir o que penso do Manuel Alegre: concordava mais com ele quando ele debatia com os militantes, do que agora que anda a pregar para as televisões.
Pelo contrário, gosto bastante da ideia teórica do Ops!, se bem que não concordo exactamente com o conteúdo em concreto.

Pedro Miguel Cardoso disse...

Se o António José Seguro queria que a declaração fosse reproduzida pela comunicação social penso que seria mais correcto não começar com o "Nunca me ouvirá em público dizer mal..." ou então assumir claramente perante a comunicação social o que pensa.

Prefiro a frontalidade do Manuel Alegre, apesar de concordar com o Sócrates quando diz que fazem falta os elogios do Alegre.

Elisiário Figueiredo disse...

Aquilo que António Costa diz ver:http://aeiou.visao.pt/Pages/Lusa.aspx?News=200811149007761
é que é preocupante, pois este tipo de políticos que só trabalha para os actos eleitorais é que me preocupam.

Paulo Dias disse...

Concordo mais com este ultimo comentario... preocupa-me os politicos q só trabalham para os actos eleitorais... A consequência de ter falta de credibilidade perante o eleitorado / cidadão, é o que traduz a falta de vontade das forças activas / vivas da sociedade, entre essas, os professores que não fazem um esforço em cooperar com uma mudança para um ensino mais concreto, objectivo, mas sobretudo humanizado e com percepção da realidade... Agir com arrogancia perante a desmobilização, quando assistimos a situações como a do Banco de Portugal versus Milleniumbcp versus BPN... Esse tipo de credibilidade é que põe por terra toda e qualquer mobilização em prol de um bem maior... NÓS...

Entre outros...
Talvez o Manuel Alegre, dentro das suas convicções, tenha por vezes comentarios que nós mais jovens, nos habituamos a recebe-los como, indesejaveis. Mas pergunto-vos se não é a diferença que dita a mudança, que questiona, atitudes, paradigmas? Que trás ao cimo as convicções ideologicas, convicções essas que foram bandeiras noutras lutas... Lutas pela liberdade... Podemos pensar que o "homem Manuel Alegre" é alguém com virtudes e defeitos como qualquer um de nós, no entanto, goste-se ou não se goste, ele tem sido importante para fazer entender ao Socrates que Socialismo é Socialismo...
Mais havia a dizer... Podemos abrir um topico de discussão sobre este tema, que acham?

Rui Pedro Nascimento disse...

Elisário,

Estamos de acordo em relação ao teu último comentário.

Paulo,

Para mim, a questão do Manuel Alegre passa pela sua ambição pessoal. Nada contra a sua ambição, perfeitamente legitima. Mas que o faça de forma aberta. Assuma que quer se recandidatar à presidência. Assim, como está a fazê-lo é que não!

Elisiário Figueiredo disse...

Rui

É evidente que Manuel Alegre pondera a hipótese de se candidatar à Presidência, no entanto as ultimas posições de Manuel Alegre nada têm a ver com isso, nada tem a ver com ambições pessoais, mas tão só aquilo que ele considera ser as politicas correctas de um partido que tem a palavra Socialismo no seu nome, os valores do Socialismo em Democracia onde estão ? nós sabemos que é prática dos Secretários Gerais do PS "colocarem o Socialismo na gaveta" mas que raio, tanto também não.

Pedro Miguel Cardoso disse...

Não me parece que o Manuel Alegre sacrifique as suas convicções em favor de qualquer tipo de ambição que possa ter. É uma qualidade que admiro num político.

Elisiário Figueiredo disse...

Pedro Miguel Cardoso

Até porque se assim fosse já tinha ido ocupar no estrangeiro algum dos lugares que lhe estão fartos de oferecer e com chorudos ordenados.

Pesquisar neste blogue