sexta-feira, janeiro 11, 2008

Hibernação, Renovação, Eleição. Quarta parte.


Carlos,

É de facto impressionante. Não consegues responder a uma questão que te coloco. Bom, campanha deve ser mesmo isso.
Penso que não entendeste a minha avaliação sobre a permanência no poder; aliás, penso que não tens entendido muito do tenho escrito. O que te queria dizer é que é possível manter projectos com vitalidade política durante vários anos e várias eleições; procedendo para o efeito a regulares processos de renovação. A tua comparação com a prática da governação é, no mínimo, deslocada, em meu entender. Isto porque não vamos eleger nenhum governo de Estado. Estamos só a falar da eleição de uma Concelhia do PS. É certo que tem responsabilidades acrescidas porque é a Concelhia da Capital; e que pode desenvolver mais e melhores projectos. Estamos de acordo.
Lembro-te que não a Concelhia nunca foi a votos em Lisboa. Foi, sempre, o PS, e com candidatos muitas vezes avessos à vontade da Concelhia, como sabes. Mais, na melhor relação de há muitos anos, talvez na melhor relação que o Miguel Coelho teve com um candidato em Lisboa, o PS, apesar de não conseguir o resultado ideal, obteve das maiores vitórias da sua história (em Lisboa). Com a Concelhia sempre ao lado de António Costa.
Admito, como já te disse, que a Concelhia teve momentos menos bons, vários até; mas também soube produzir alguns de mérito. E o Fórum Cidade? Não foi uma boa ideia? Não o foi mais porque houve quem, como candidato, não o quisesse aproveitar. E porquê? Porque era mau? Em todas as áreas? Vai ver o que se está a fazer agora no Desporto na CML. E devo-te dizer que já estavam diversas equipas a trabalhar, e bem, no momento em que todos fomos requisitados para o combate eleitoral de Junho. E de onde julgas que vieram muitas das ideias do programa? Da secção de Alvalade? Não me recordo de nenhuma. Mas posso-te dizer várias que a secção de Belém apresentou em sede de Comissão Política e na Convenção Autárquica documentos com diversas propostas. Assim como também te posso recordar que muito do trabalho que o Fórum Cidade dedicou à Cultura encontrou eco no programa do António Costa (grupo que inclusive forneceu algumas candidatas à CML). Nada disto conta, Carlos?
E a Universidade de Verão? Também não lhe encontras qualidades? Lembras-te do painel de convidados? Do melhor que o Partido tem. E a organização? Recordas-te de reuniões dessas, com consistência e profundidade política em Alvalade? Eu não. Não basta arrolar contactos privilegiados. Há que desenvolver Ideia, Projecto; e não fazer conferencias avulsas. Isso, meu caro, tem interesse, como todos os eventos com bom convidados têm. Mas vale muito pouco no quadro político que há que desenhar hoje; pois não bastam pinceladas descoordenadas. Há, repito, que ter um plano.
Hoje, com os instrumentos que soube criar, a Concelhia do PS Lisboa tem todas as capacidades para poder elevar a fasquia da qualidade. Aquela que procuras. Para que tal seja Real, há que definir um projecto, com uma equipa e com um líder. Aqui divergimos fortemente, Carlos, pois tu resumes tudo à «juventude» do Teixeira ou aos péssimos momentos do Coelho; sem te dares conta que utilizas dois critérios na mesma comparação (queres me dizer que o Miguel Teixeira não tem momentos maus? Vamos, no próximo post escrutinar os últimos 13 anos da sua vida política. Que teve, sabes? E sabes por onde andou? Eu sei onde esteve o Miguel Coelho; e tu também, pois só sabes escrever disso).
Termino concordando contigo. Esta é uma óptima oportunidade de apresentar o que o PS Lisboa tem de melhor: nos candidatos, nas equipas e nos programas. A política não é, felizmente, cenário para one-man-shows. Há bem mais.

Rui,
Sinceramente, eu nem queria ter começado a campanha. Estava só a tentar brincar à Ciência Política e à Teoria Política. Pensei que podíamos desenvolver um bom debate. Mas, sabes, quando não se consegue manter um critério na avaliação ou na comparação política tudo se esfuma em sond bites fáceis de entender. Isso é campanha, pura. Imagino que assim seja difícil, a quem está de fora, entender o conteúdo das mensagens. É questionar a quem defende que Obama é renovação só porque é negro se se lembrou se reparar que Hilary é uma mulher, e que também pode apresentar alguma renovação. O que nunca acontece é o debate sobre os critérios de renovação. Critérios, escrutínio e Ciência Política, Rui. Era esse o meu interesse.
Espero que o debate melhore.

1 comentário:

Gustavo "Che" Gouveia disse...

nao é propriamente dificil saber onde é que o Miguel Coelho andou nos ultimos anos...

Pesquisar neste blogue