sexta-feira, janeiro 04, 2008

O Lisboa-Dakar foi cancelado! Porquê? De quem é a culpa?

Numa primeira abordagem, e com os factos disponíveis, torna-se na minha opinião incompreensível que o Lisboa-Dakar tenha sido cancelado. Não só representa uma grande cedência a ameaças terroristas, algo que é inimaginável no mundo actual, como todas as alternativas permaneciam viáveis. Como todos os Dakars anteriores, poderiam ser facilmente excluídas as etapas da Mauritânia, poderia se desviar o trajecto, aliás como já anteriormente com o Dakar-Dakar, um Dakar "light" que mesmo que não incluísse areia, nunca seria a subjugação e subserviência que esta cedência a terroristas representa.

Se basta matar alguns terroristas europeus em África nas vésperas do Dakar para que este seja cancelado, então dificilmente haverá a partir de agora um rally que não seja cancelado, como disse Paulo Camacho na SIC.

Escreveu-se hoje uma página negra no desporto mundial, e na luta contra o terrorismo.

Resta esperar que não tenham sido as querelas do governo Francês com as muitas questões espinhosas que têm em África, entre as quais pelos vistos com a Mauritânia, que esteja por detrás desta subserviência a terroristas.

Enfim, mais actos incompreensíveis no mundo em que vivemos...

 

2 comentários:

Rui Pedro Nascimento disse...

8 etapas em dezasseis, sendo estas 8 as mais difíceis e, logo, as decisivas tornam a decisão de, excluindo a Mauritânia, cancelar o Dakar óbvia. Mas levantas questões pertunentes, lá isso levantas...

Paulo Dias disse...

Bom... Tinham sempre a Tunisia, que consegue manter um nivel de dificuldade elevado na transposição das areias... E não é a um dia antes da prova começar q se levantam questões de segurança... Tiveram muito tempo para o "decidir"... Como ficam os pilotos privados com o investimento que fizeram... Há que acautelar esse tipo de principios. Não será apenas o dinheiro da inscrição... Há muita coisa por contar...

Pesquisar neste blogue