domingo, outubro 14, 2007

Fraco, fraquinho...


Este congresso do PSD, não?

Nem os directos do líder passaram... poucas intervenções... pouco sumo.

Se não fosse a Manuela a picar um pouco a coisa, nem se dava pelo acontecimento.

Exagero. Claro que exagero.

Ainda houve Morais Sarmento, Santana Lopes, Aguiar Branco, o sempre eléctrico Ribau, e o grande Carlos Magno nos comentários na RTP N. Alguém me explica porque é que esse grande jornalista não tem mais tempo de antena? Ele tem uma intervenção simultaneamente irónica e pessimista, que mistura no seu grande conhecimento político e à vontade no meio e entre os actores. Do melhor que tenho visto.

O Ricardo Costa é bom, gosto dele; e o António José Teixeira também é muito sólido, O problema é que, com Meneses, ambos não conseguem disfarçar a azia que ele lhes causa. O que torna a apreciação e o comentário de ambos demasiado tendenciosos.

A TVI acho que nem foi ao Congresso.

Eu estive a tratar de listas de deputados... de 1942.

[repararam com certeza que este é o XXX congresso em 33 anos de existência do PSD. Que pobres 3 anos que não nos proporcionaram momentos de faca e alguidar, bem à moda laranjinha...]
[este post saiu no Público]

2 comentários:

Ricardo Revez disse...

Prefiro o A. J. Teixeira. O Ricardo Costa tem um estilo muito populista de fazer comentário, o que, por vezes, lhe dá um ar de chico esperto.

Rui Pedro Nascimento disse...

Três anos em média, pois no tempo do Cavaco devem ter feito congressos de 2 em 2 anos. O que nos restantes dá uma média superior a 1 por ano.

Pesquisar neste blogue