sexta-feira, maio 30, 2008

O papel da União Europeia no Afeganistão


Tenho o prazer de convidá-lo/a para participar numa Audição Pública sobre "O papel da União Europeia no Afeganistão", que terá lugar no dia 6 de Junho, às 15.30h no Centro Jean Monnet, em Lisboa.

Esta audição contará com a presença de FRANCESC VENDRELL, Representante Especial da União Europeia no Afeganistão desde 2002 e antigo Representante Especial do Secretário Geral da ONU para aquele país.

O Afeganistão encontra-se numa encruzilhada. Seis anos após a queda dos Taliban, e apesar de alguns sucessos notáveis, nomeadamente nas áreas da saúde e da educação, o Afeganistão não está mais seguro, entre outras razões porque a comunidade internacional não conseguiu enquadrar o esforço militar no Afeganistão numa estratégia de reconstrução e estabilização coerente. O terrorismo, a impunidade dos senhores da guerra, a produção e o tráfico de heroína, a opressão das mulheres e a fragilidade das instruções democraticamente eleitas, continuam a pôr em perigo as precárias conquistas da era pós-2002.

Esta audição pretende discutir as lições a tirar dos erros cometidos pela comunidade internacional, o papel da União Europeia no futuro do Afeganistão e as perspectivas para uma acção mais concertada entre UE, NATO e EUA naquele país.

Espero poder contar com a sua presença.

Com os melhores cumprimentos,

Ana Gomes
Membro do Parlamento Europeu

Vou tentar (acho que dá...)


quinta-feira, maio 29, 2008

Um pouco de História

A batalha de Trancoso, também conhecida como batalha de São Marcos ocorreu no final de Maio do ano de 1385 quando forças que obedeciam ao rei João I de Castela invadiram Portugal.

A invasão castelhana, foi uma medida de represália que se seguiu à proclamação em Coimbra em 6 de Abril de D. João, mestre de Aviz, como D. João I, rei de Portugal e Algarves. A aclamação oficial de D. João I como rei de Portugal foi vista como uma afronta directa ao rei de Castela, que pretendia acrescentar Portugal aos seus domínios.
As forças castelhanas, constituiram-se como força punitiva, com o objectivo de destruir os lugares por onde passassem. Os castelhanos entraram por Almeida e tomaram Trancoso, tendo avançado posteriormente na direcção de Viseu, cidade que foi saqueada e queimada.
Após terem saqueado a cidade, as forças castelhanas, estimadas em 3.000 homens, voltavam para o seu território com o produto do saque, quando se deparam com forças portuguesas, reunidas apressadamente pelos alcaides da região.
As forças castelhanas, carregadas com o saque e cansadas da marcha, optaram inicialmente por evitar o combate, mas tal mostrou-se ser impossível dado as forças portuguesas, estimadas em 2.000 homens terem conseguido impedir completamente a passagem ao exército castelhano.
Sem possibilidade de evitar o combate as forças castelhanas não podiam ficar paradas, porque isso só dificultaria a sua situação e decidiram atacar. Os cavaleiros desmontaram e todo o combate se deu a pé.
A escolha do local por parte das forças portuguesas parece ter sido especialmente importante, porque ao impedir as forças castelhanas de escapar, sabendo que estas não poderiam receber qualquer tipo de reforço nem apoio, condicionaram os castelhanos a ter que atacar tão rapidamente quanto possível.
Sabe-se que todas as tentativas castelhanas de quebrar as linhas portuguesas falharam. Sabe-se também que o numero de mortos entre o exército castelhano foi enorme.
Acredita-se que por ser uma expedição punitiva, e pelo facto de por isso as forças castelhanas terem pilhado e destruído os lugares por onde passaram, os castelhanos atraíram sobre si a ira e a raiva dos populares e dos nobres da região.
Poucos castelhanos escaparam, e todos os nobres castelhanos que seguiam no exército foram mortos, tendo apenas um sido poupado para contar a história.
A vitória de Trancoso, é também importante pelo facto de ter sido resultado não das manobras militares do Condestável do reino D. Nuno Álvares Pereira, mas sim da resolução dos portugueses da Beira, quer da nobreza quer do povo, que pegaram em armas por sua iniciativa para lutar contra o rei de Castela.
Perante as notícias da perda praticamente total do seu exército, o rei de Castela entendeu que sem um exército verdadeiramente poderoso não seria possível vencer Portugal. Dois meses depois, o próprio rei marcharia sobre Portugal, à frente do maior exército de que havia memória nos países Cristãos desde há muitos séculos.
Um exército tão grande, que poderia garantir a Juan de Castela o domínio de Portugal.
Esse poderoso exército passaria à história, em 14 de Agosto de 1385, num lugar chamado Aljubarrota.

O planalto da batalha de Trancoso, foi declarado Monumento Nacional e o dia 29 de Maio, é Feriado Municipal naquela vila portuguesa.

Só nos anos 80 do século XX se confirmou que a batalha se deu a 29 de Maio de 1385, por se ter descoberto num museu de Barcelona, uma lápide tumular, em que se faz referência a um nobre castelhano, morto naquela batalha naquela data.

Escorregadio

Uniproject

É com prazer que lhe fazemos uma pré-apresentação da Uniproject.

Trata-se de uma comunidade alternativa de multisserviços com potencial para integrar infraestructuras e pessoas das mais diversas áreas.
A nossa principal fonte de sustento será através das empresas que aderirem aos nossos programas e serviços, sendo que parte do lucro será canalizado para o apoio de causas altruístas e ONG's.

A Uniproject inclui uma escola de línguas e de outras matérias (Unischool), um spa de base ayurvédica (Unispa), uma bolsa de serviços (Unitroca) e uma produtora de eventos (Unique), entre outras coisas.

A partir do dia 5 de Junho o nosso website estará operacional em www.uniproject-community.org, mas é a sua participação que nos fará mover.

Para já apresentamos os seguintes workshops, a decorrerem em Junho e Julho, em Lisboa e no Porto. 5% do valor angariado nestas actividades será entregue a uma das instituições que apoiamos. Poderá eleger qual a instituição a ser ajudada a partir de uma lista no nosso site, no decorrer dos referidos meses.

Introdução à arte do Origami
(28 de Junho, Cascais; 26 de Julho, Porto)(Também em Inglês, Francês e Espanhol)
Era uma vez uma folha de papel colorido que se transformou em… tantas coisas que é impossível contar. Venha ver e participar desta divertida e relaxante actividade que está longe de ser apenas uma brincadeira de crianças.
Consulte o flyer em anexo.

Óleos de acordo com a Ayurveda
(29 de Junho, Cascais; 20 de Julho, Porto)(Também em Inglês, Francês e Espanhol)
As propriedades terapeuticas dos óleos são conhecidas desde tempos imemoráveis. A fórmula para fazer quaisquer tipos de óleos de acordo com a Ayurveda será assim transmitida ao longo do dia e através de alguns apontamentos.Ao longo deste workshop irão aprender técnicas simples e prácticas para fazer óleos com os mais diversos efeitos curativos e aplicações.
Consulte o flyer em anexo.
Esperamos por si

quarta-feira, maio 28, 2008

A dive into the Portuguese manifesto2009 activities

In one of my last posts I gave some general thoughts on the manifesto2009 and the PES activists. Today I want to tell you our idea for the development of both in Portugal and in the Portuguese Socialist Party.
I am involved with the PES activists since the Oporto PES Congress late 2006 because I believe that the time has come to start building a truly European Socialist Party. It will be a long process, as I said, but it will be worthwhile, I’m sure. This building process has to happen in a three way dimension: firstly, the international one, secondly the domestic and, finally, the internal one.

A triptych project

The international dimension concerns your connections with other PES activists at an European level and I have to say that we have witnessed this last year important measures in that way. The Sofia Council was an important landmark as the activists took part as full members of the PES family. Following this, the Vienna meeting on the manifesto2009 will be another important milestone, to consolidate the Activists dynamism.

Regarding the... continue a ler aqui

terça-feira, maio 27, 2008

Ana Pinto on the Manifesto 2009 Project

NA SENDA DE MAIO DE 68, A LIBERTAÇÃO DAS REPRESSÕES SOCIAIS E POLÍTICAS POR MEIO DO EROS EM PRAXIS

De João da Mata, em Londres, recebo a notícia e o impacto da mesma na imprensa do Brasil

SÃO PAULO - O médico psiquiatra, psicanalista e escritor Roberto Freire, de 81 anos, morreu na noite de sexta-feira, 23. Ele ficou conhecido na década de 1970 por criar, com base nos estudos de Wilhelm Reich, a Somaterapia, método revolucionário de psicanálise que busca a saúde e a harmonia emocional. Freire estava internado no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo. A causa da morte do psicanalista não foi divulgada, a pedido de sua família. O corpo do escritor foi cremado por volta do meio-dia deste sábado, 24, no Crematório da Vila Alpina, na capital paulista.

Freire se considerava um anarquista, referencial ético em que baseava a Somaterapia, uma terapia corporal e em grupo, baseada nas pesquisas de Reich. Defendia a sexualidade, o prazer e a liberdade. Para ele, o racional e o lógico não eram suficientes para se entender a vida social e seu impacto sobre a individualidade.

Freire escreveu mais de 20 livros, vivendo seu auge de sucesso nos anos 70 e 80. Um de seus maiores best sellers foi Cléo e Daniel, publicado em 1966 e que teve por muitos anos uma grande repercussão entre jovens. O livro ganhou uma adaptação para o cinema com Sônia Braga, Myriam Muniz e John Herbert. Freire escreveu ainda Sem Tesão Não Há Solução, de 1987, talvez um de seus livros mais importantes e que defende a liberação de repressões sociais e políticas por meio do sexo. Vendeu mais de 200 mil exemplares. Outros sucessos do escritor: Coiote, Ame e Dê Vexame e Sem Entrada e Sem Mais Nada.

Além de escrever romances e livros de ensaios, Freire integrou a equipe de roteiristas de séries de televisão como Malu Mulher e a primeira edição de A Grande Família, ambos na Rede Globo. Ainda na Globo, Freire teve um quadro de sucesso no programa TV Mulher, que ficou no ar de 1980 a 86, com participação também da atriz Regina Duarte, revelou Marília Gabriela como apresentadora, Marta Suplicy como sexóloga, Clodovil Hernandez tinha um quadro como estilista, entre outros participantes.Em 1992 foi criado um grupo de pesquisa e ação da Soma, terapia anarquista que nasceu para combater a idéia então vigente na sociedade de controle e redução do prazer, o que a longo prazo, segundo Freire, origina as neuroses. Este grupo de somaterapeutas, chamado de Coletivo Brancaleone, foi supervisionado desde então pelo próprio psicanalista. Freire se definia como "militante do tesão".

***

Em Lisboa, Barcelona, Valência e noutras capitais europeias, a terapia de Roberto Freire começou, em 2007/2008, a ser divulgada e praticada por João da Mata.

Intro

Texto escrito no Blogue / site do Euromanifesto.

intro

I am very happy to be the blogger of the week. It is not every day that one has the opportunity to be an active part of a project as the one the PES is promoting. I am talking about the Activists Project and the Manifesto 2009. Most of the people that read and consult this blog already know all about these projects, but I would like to take a moment and think about them.
Initial questions: what is the PES? It is the Party of the European Socialists. But is it really a party? Is it not the PES a confederation of national parties rather than a Political Party in classical terms? If we think about it and compare the party structures at a national and European level, we rapidly come to the conclusion that at a European level we are light-years away from the national organizations as they exists. Of course that one could say that we don’t need such an organized and complex party structure, because we don’t have to be prepared to exercise power. We, as PES, are not running to govern nothing. We don’t run to manage local administrative government; as we don’t run to put forward any kind of European cabinet. We leave that responsibility to the national parties, both regarding the local and European affairs. So, what can we do as PES?
Continue a ler aqui

sábado, maio 24, 2008

CINCO FILMES

Dá-me a Cinemateca a oportunidade de indicar cinco filmes que gostaria de ver. Um honra que me é dada (entre outras pessoas) por ser amiga da Cinemateca. Sou, de facto, frequentadora assídua há mais de três décadas. Já passamos - a Cinemateca e eu atrás - por vários locais, nomeadamente por um belo "sítio intermédio", no Palácio Foz, enquanto duraram as obras no edifício da Barata Salgueiro. À laia de despedida, temporária, do velho edifício que iria ser remodelado, vi o fantástico "Last Picture Show" ou "A Última Sessão", de Peter Bogdanovich com Jeff Bridges, Cybill Shepherd, Randy Quaid, Ben Johnson, Timothy Bottoms.

Aprecio muito a obra e a pessoa do seu Director, João Bénard da Costa. Escreve com profundidade, escolhendo as linhas fundamentais, sobre cada filme. Fá-lo soltando afectos que nos aguçam a mente. Quando fala dos filmes, a sua voz tem o tom da emoção e a espessura da história. Mais não me atrevo a dizer porque o nome diz mais do que eu, simples amante da 7ª arte, aqui pela 7ª colina de Lisboa. Por que não editar um livro com o conjunto das Folhas da Cinemateca escritas por João Bénard da Costa?

A minha escolha não poderia deixar de incluir Visconti, Bergman e Pasolini e, ainda, Erice. Nem Ozu, Kurosawa ou Fellini ... No entanto, numa tentativa de rever os meus realizadores preferidos e de ver filmes que nunca vi ou que vi há muito tempo, de realizadores de quem gosto muito, acabei por elaborar uma lista que obedece aos dois critérios e exclui Pier Paolo Pasolini, apenas porque as reposições dos seus filmes (bem como de outros grandes realizadores) têm satisfeito a minha gula. Assim de repente, poucos nomes femininos de realizadoras me vêem à cabeça: Agnès Varda ("A Respigadora", fantástico!), Susan Sontag. Mas não vou estabelecer quotas.

1. El Sur, de Vitor Erice (ou, em substituição, O Espírito da Colmeia);

2. O Tango de Satan, de Béla Tarr (ou, dada a sua duração, de 7 horas, em substituição, talvez O Homem de Londres);

3. Notti Bianchi, de Luchino Visconti (ou, em substituição, o divinal Senso) ;

4. O Tambor, de Volker Schlöndorff (baseado na obra homónima de Gunther Grass) ;

5. Um Ingmar Bergmann ... um filme dos menos passados na Cinemateca (A Hora doLobo .. não vi) ;

Não direi que estes são "Os Filmes da minha Vida" pois seria parafrasear Bénard da Costa e porque, de facto, nem todos o serão e, inversamente, outros que não constam desta lista são-no ("Odisseia no Espaço"). Muitos filmes são acessíveis por outros media (Kubrick, Lars von Trier, muito do Nouveau Cinema) embora a magia da escuridão e do silêncio de uma sala de cinema seja, isso sim, cinema.

POURPALER. COMUNICAÇÃO OFICIOSA, COMUNICAÇÃO PRÉVIA

Palavra francesa. Significa o esforço, levado a cabo por duas ou mais partes, com o objectivo de possibilitar futuras conversações.

Pourparler será a comunicação oficiosa que prepara caminho para conversações oficiais.

Os diplomatas, os políticos e outros actores no terreno (os sindicalistas, por exemplo) sabem que, tão importante quanto a comunicação entre duas entidades, é a relação entre elas.

Precedendo negociações, pourparler tem como objectivos:

1. reconhecer a existência mútua e legítima de cada uma das partes;


2. estabelecer uma relação de partida, mesmo que, naturalmente, a relação venha a transformar-se no decurso de conversações;

e, assim:


3. a relação de partida vai desenhar um quadro dentro do qual cada parte ocupará um lugar;


4. geram-se relações que podem ser variadas, indo de um grau de grande simetria a um grau de grande assimetria;


5. a assimetria verifica-se quando uma das partes possui algo que a outra não possui, como por exemplo, uma força de guerra ou uma legitimação internacional;


6. pelo contrário, uma relativa simetria pressupõe que qualquer das partes tem, à partida, recursos que, não sendo necessariamente da mesma natureza, podem ser equivalentes numa negociação - uma das partes poderá ter uma legitimação internacional, a outra a possibiliddae de, através das futuras negociações, conquistar um lugar no concerto das nações;

Estes aspectos pragmáticos da comunicação são fundamentais para o diálogo entre os povos e as nações. Antes de dialogar, há que estabelecer um quadro claro de relacionamentos. No campo político e noutros campos institucionais. Só depois de "pourparler" as partes poderão "parler". Trata-se de uma mediação prévia e oficiosa, entre interlocutores cujos canais de comunicação estão fechados, por não reconhecimento mútuo (um país que não reconhece a existência de outro) ou por conflito (aberto ou fechado). Não sei como traduzir, para português, a expressão "pourparler" e a derivada "pouparleur". Fica a questão, para ser elucidada por cientistas políticos. Lembro-me do célebre telefone entre duas potências - USA e URSS - aquando da Guerra Fria. Mesmo em tempo de Guerra, a comunicação tem de continuar.

Noutro blog, desenvolverei a importância da relação, no quadro da "pragmática da comunicação" tal como foi estudada pela Escola de Palo Alto. O estabelecimento de uma relação adequada é tão fundamental na política e na diplomacia, quanto o é nas organizações, nomeadamente na Escola, no Trabalho / Emprego e, ainda, a nível micro-social, na Famíla, no Casal. Quem negoceia, sabe. O comum dos mortais não sabe.

sexta-feira, maio 23, 2008

Somos todos africanos

Fotografia de Sebastião Salgado

VIOLENCES URBAINES EN AFRIQUE DU SUD (22 mai 2008) Depuis dix jours, la population d'Afrique du Sud assiste, effarée et impuissante, à la violence extrême déployée contre les résidents étrangers des bidonvilles. Tout a démarré le 11 mai à Alexandra, l'emblématique bidonville situé en proche périphérie de Johannesburg, à côté du quartier d'affaires ultra-moderne de Sandton. Les agressions ont rapidement été répliquées dans d'autres quartiers, faisant 42 morts et un grand nombre de blessés, semant la panique. Plus de 16 000 personnes ont quitté leur shack, cherchant refuge dans les églises, les postes de police, les écoles... La police a arrêté 400 personnes. Les agresseurs s'en prenaient aux étrangers qui vivent sans papiers dans ces quartiers, ayant fui notamment la répression politique et la crise économique du Zimbabwe, et qu'ils accusent de leur voler emplois et logements. Dans une attitude désormais classique de déni, le gouvernement de M. Thabo Mbeki s'est empressé de pointer du doigt une sinistre « troisième force » - rappelant qu'en 1994, des éléments pro-apartheid avaient jeté de l'huile sur le feu entre l'African National Congress (ANC) et l'Inkhata Freedom Party, pour provoquer des violences présentées comme inter-ethniques. De son côté, l'ANC, désormais dirigé par M. Jacob Zuma, attribuait la responsabilité du chaos aux « échecs du gouvernement »....

Lire la suite de cet article inédit de Philippe RIVIÈRE: http://www.monde-diplomatique.fr/carnet/2008-05-22-Afrique-du-Sud ainsi qu'une sélection d'articles de nos archives.

Nota: texto que me foi enviado por email, pelo meu amigo e camarada Virgílio Amaral, com quem partilho ideias e amizades há década e meia.

Se o virem num salão, não apostem!

quarta-feira, maio 21, 2008

Reforma Dourada...

(Recebido por email)

Amorim, a filha de Eduardo dos Santos e o Banco BIC

Segundo notícia do Jornal 'Público', Américo Amorim e uma das filhas do presidente angolano, Isabel dos Santos, vão abrir mais um banco em Portugal, o qual será presidido por… Mira Amaral. Trata-se do 'Banco Internacional de Crédito de Angola'. Várias questões decorrem desta notícia… Desde logo, Mira Amaral, o mais conhecido e rico de todos os reformados de Portugal que numa conhecida história de uma reforma da CGD em levou 18 mil euros mensais por se 'reformar' depois de apenas 1 ano e meio de trabalho… Alías, a esta pensão milionária de 18 mil euros (3231 euros) aos quais ainda soma ainda hoje mais 1800 euros de pensão como deputado e onde deixou muitas saudades pela sua inacção e sonolência constantes.

Agora eis que o 'reformado milionário mais famoso de Portugal' retorna à superfície, num Banco, de novo, e acumulando mais um vencimento para a sua lista já extensa de prebendas e rendimentos… E chefiando um Banco com capital de Amorim, um dos maiores empresários portugueses que assim se esquiva de novo a fazer um investimento produtivo e desperdiça o seu Capital fundando mais um Banco, que é mesmo algo de que estávamos mesmo a precisar… Enfim. Amorim gasta o seu dinheiro onde quiser, embora lhe possamos sempre questionar o critério…
Agora sempre gostaria de saber de onde vem o Capital que a família Eduardo dos Santos, e nomeadamente a sua filha Isabel dos Santos… Sabe-se que controla um bom lote de acções da PT, mas que começou a forrar o mealheiro num contrato de uma empresa sua para a 'limpeza e saneamento' de Luanda no valor anual de… 10 milhões de dólares. Sabendo-se que Luanda é uma das cidades mais limpas de África, vê-se que a eficiência foi um dos critérios de selecção da 'Urbana 2000″ de Isabel dos Santos… A filha de Eduardo dos Santos detém 25% do Banco Internacional de Crédito, juntamente com Américo Amorim, a empresa de telemóveis Unitel, uma empresa de móveis portuguesa, empresas ligadas à exploração de diamantes e à hotelaria, quer em Angola, quer em Portugal… De onde vem todo este Capital? Será que o facto de o seu pai, José Eduardo dos Santos, o presidente 'vitalício' de Angola ser um dos homens mais ricos do mundo (e o seu povo, um dos mais pobres) tem algo a ver com a origem mais ou menos turva desta fortuna?

Campanha eleitoral

Tenho seguido, à distância, a campanha interna do PPD/PSD. Tenho visto os sites, os blogues e mesmo algumas das entrevistas e...parece que falta alguma coisa... não sei...

Não vão haver debates entre os candidatos (pelo menos os 3 principais)? Não vai haver mais troca de ideias, apresentação de projectos? Desculpem-me os sociais-democratas, mas é inevitável a comparação da grande eleição partidária da História portuguesa - a de do Partido Socialista em 2005. Aí foram apresentadas ideias e projectos bem distintos, defendidos por gentes da categoria de um Manuel Alegre ou de um João Soares (e apoiantes, entenda-se). Essa campanha interna gerou momentos de grande qualidade política colocando-a, por vezes (e com a devida distância), ao nível do que de melhor se faz nos EUA.

Esta campanha interna do PSD anda chocha, morna. Nem na blogosfera parece animar. Talvez lhe falte um Alberto João para apimentar a coisa, não sei…

O que se destaca são os ataques, as quotas, os apoios, o cacique. Ainda ontem, Pedro Santana Lopes dedicou 90% da sua entrevista à Ana Lourenço em ataques aos seus adversários. Ontem ainda, mas na TVI, era Luis Filipe Menezes a atacar Manuela Ferreira Leite; e tem sido constante a demarcação de Passos Coelho do PSD dos seus adversários…

Bem sei que as águas sociais-democratas andam, há muito, agitadas; de que estas três candidaturas representam tantas facções internas e o facto de todas serem competitivas aguça-lhes a raça do combate pelo poder (o que lhes trás combatividade, mas que necessariamente retira discernimento). Talvez seja essa uma das explicações do sucesso da campanha socialista: é que bem cedo se percebeu que seria Sócrates o vencedor, o que deslocou para o plano das ideias o discurso e a campanha. Como no caso laranja a competição ferve, até é natural que se queira ganhar, primeiro, e explicar o que se quer fazer depois.

Não sei, parece-me.

Esta questão levanta-se ainda outra reflexão (a responder no futuro): o que faz um líder do PPD/PSD eleito com menos de 50%? Que importância terão nessa situação os delegados ao Congresso? E como será o futuro Conselho Nacional?

Tema, certamente, a regressar.

Lisboa a abrir

HUMBERTO DELGADO - Cinquentenário das eleições presidenciais de 1958


Assinala-se este ano o Cinquentenário das Eleições Presidenciais de 1958, com a comemoração da candidatura do general Humberto Delgado, que, em Maio daquele ano, representou uma expectativa de mudança política para grande parte da população portuguesa. A CML, através da Direcção Municipal de Cultura, associa-se a estas comemorações com um programa conjunto de actividades, com contributos diversos dos seus equipamentos e serviços, direccionados sobretudo para a evocação histórica da campanha eleitoral realizada pelo General sem Medo em Lisboa. A Hemeroteca Municipal participa neste programa com a produção, a digitalização e a disponibilização em linha de um conjunto de documentos e conteúdos importantes para o conhecimento dumas eleições que, por pouco, não derrubavam o regime. Veja, aqui, o que esta biblioteca preparou para si e fique a saber um pouco mais sobre o impacto destas eleições na imprensa da época, sobretudo no jornal República, numa altura em que até os protestos contra a censura são… censurados.
Álvaro Matos (Director da Hemeroteca de Lisboa)

segunda-feira, maio 19, 2008

Para quem já esqueceu.

O arrepio é certo.
Venha McCain.

Jardim sai de cena


Outro excelente texto do Ricardo Fresco no PS Belém:


No cartoon do Semanário Económico desta semana, o enfoque principal prende-se com a não-candidatura de Alberto João Jardim à liderança do PSD. Provavelmente o pior bluff político dos últimos tempos, após sujeitar o seu avanço a uma vitória indiscutível, pois não acredito que o Sr. acreditasse que alguém iria recuar para o apoiar. Antes quero crer que esta incerteza só veio contribuir para a "balcanização" que o PSD atravessa actualmente, para a qual ele próprio ajudou, ao afirmar que "os candidatos se estavam a suicidar", ainda no início do processo eleitoral. Não saiu de cena sem deixar o seu apoio a P. Santana Lopes, o que também não surpreende ninguém. São duas faces da mesma moeda.

Mas o cartoon não deixa de ser uma imagem forte, insinuando a ida dos candidatos mais fortes pelo cano abaixo. Não sei se foi propositado ou não, mas o que está mais à tona, P. Passos Coelho, ainda tem sido o que conseguiu trazer algo de diferente. Não entrando no jogo dos ataques pessoais, optou por um discurso mais ideológico, situando-se numa posição mais liberal, fugindo do centro e ocupando um espaço político vazio. Independentemente do resultado que alcançar, consegue afastar-se da imagem de total descrédito de PSL e da desilusão que M. Ferreira Leite tem transmitido, pela erosão e total falta de ideias.
Ricardo Fresco

Sondagens Pouco Científicas

Terminou esta primeira sondagem da "nova era". E não se pode dizer que os resultados não são surpreendentes.

Não tanto pelo resultado de Pedro Passos Coelho - era esta a expectativa de grande parte dos membros deste blog - mas pelo resultado de Neto da Silva.

De qualquer forma, como parar é morrer, e o tempo agora é de selecção, a próxima é sobre o Euro, e vai estar aberta até à vespera...

É clicar...

sábado, maio 17, 2008

O Quadro de Uma Exposição


O Quadro

Guernica, 1937.

A Exposição

Abre a 25 de Maio de 1937 em Paris. Demorou 7 anos a preparar, tendo por lema a exaltação da Técnica. Dois pavilhões monumentais desafiavam-se, num face a face mudo de palavras, pleno de ódios, o da URSS e o da Germânia. Respirando modernidade, não passavam despercebidos o pavilhão finlandês, de Alvaar Alto, em madeira, pela sua arquitectura, e o pavilhão espanhol, lhano e discreto albergue do quadro Guernica.

O Acontecimento

O bombardeamento de Guernica, em 1937, numa Segunda feira, 26 de Abril, dia de mercado, por aviões alemães, destruíu 70% da aldeia basca e dizimou 1/3 da população. Só a 24 de Abril de 1999, o Parlamento alemão reconheceria a autoria do massacre como tendo sido obra das forças alemãs nazis (a Legião Condor).

O Pintor

Pablo Picasso, de origem espanhola, exilado em Paris. Pai do cubismo. Em 1937 atravessava uma fase conturbada, a nível pessoal e de trabalho, sentindo faltar-lhe a inspiração. Pinta, então, Guernica, que marcará o princípio de uma nova fase.


O Pavilhão Espanhol e os Compagnons Artistas

Na entrada do pavilhão espanhol, um mural fotográfico de soldados republicanos dava o tom político de um governo que lutava por uma Espanha livre. Paul Éluard escreveu um poema para acompanhar o quadro Guernica, Juan Miró pintou um quadro representando armas em riste, Alexander Calder apresentou, sob a forma de “mobile”, uma fonte pintada de vermelho, em alusão à República de Espanha. Os documentários de Luis Buñuel - Madrid 36 – e de Joris Ivens e Ernest HemingwayTierra de España – marcavam a actualidade. O clima artístico de Féerie, francesa, de Paris, da Esquerda internacional, envolvia o clima de Festa brava ibérica, dorida, sangrenta, de verdade e morte.


O Mundo Político e a Arte

Em França, o Front Populaire, liderado por Léon Blum, chegou ao poder nas eleições legislativas de Junho de 1936, três meses após a vitória da Frente Popular em Espanha, e na sequência de uma Greve Geral francesa (Maio/Junho), mantendo-se durante um ano. Uma das suas naturais divisas seria o apoio à causa republicana espanhola. O clima de euforia está sintetizado na frase de Marceau Pivert (professor e sindicalista) "Tout est possible”. Ironicamente, o Front viria a auto-dissolver-se no Outono de 1938, na sequência de divergências internas sobre a Guerra Civil Espanhola. O provérbio francês "Faire des châteaux en Espagne" parece cumprir-se como uma profecia.

Na Alemanha, em 1937, os Nazis expurgaram os Museus de quadros que consideraram "degenerados"; 650 obras foram especialmente seleccionadas para uma exposição "pedagógica" sobre “Arte Degenerada”, de entre as quais trabalhos de Wassily Kandinsky e de Marc Chagall. Neste mesmo ano, a já consagrada pintura de Kandinsky é apresentada no Jeu de Paume, na exposição “Origines et Developpement de l´Art Internationale Indépendant”. De origem russa, este criador repartiu a sua longa e plural actividade por Munich até 1914, pela URSS até 1921, por Weimar, no movimento Bauhaus, até 1933 e, posteriormente, por França.


A Segunda Grande Guerra

Começaria dois anos depois de Guernica e depois da derrota dos Republicanos, pelo Generalíssimo Franco, de seu nome Francisco, da Galiza. O quadro é exilado para os E.U.A., por ordem do artista, “até que Espanha seja uma democracia”, o que viria a acontecer na década de 80, ironicamente sob uma Constituição democrática mas não republicana. A dor, contida no quadro e nas terras de Espanha, espalhara-se, de 1939 até 1945, pela Europa fratricida, rasgada em duas. E foram os nossos irmãos do Novo Mundo que vieram apoiar a Europa democrática: soldados americanos e, especificamente na Holanda, soldados canadianos, desembarcaram ao longo da costa marítima europeia e ajudaram o Velho Continente a conquistar a paz.


O quadro das utopias

Todo o contexto social e político que antecedeu a obra – o feio desabrochar do nazismo e dos fascismos espanhol, italiano e português, por um lado, e as breves concretizações de utopias em Espanha e em França - e que lhe sucedeu, por longos e negros anos – a invasão da China pelo Japão (em Julho de 1937), a II Grande Guerra, a rápida ocupação da Austria, da Checoslováquia e de outros países até atingir a França, a visibilidade e as consequências do Holocausto, as ditaduras franquista e salazarista - contribuiu, por razões opostas mas por um único princípio, para que Guernica se tornasse no ícone de liberdade e de democracia, numa acepção amplamente partilhada, de anti-fascismo, de resistência, de denúncia das injustiças das Guerras que matam, ferem e exilam pessoas e povos, destroem aldeias e obras artísticas, e das efémeras utopias que feericamente proclamam “Tout est possible”.

Os elementos do quadro apontam para um imaginário complexo, onde estão presentes a força masculina e impetuosa do touro e a resistência feminina, telúrica e persistente, a luz e as trevas, a hispanidade exótica, quixotesca, mítica e romântica, o sofrimento e a força revolucionária de libertação de um povo, a Festa (a festa brava; a Festa política e social). O touro pode ser a própria Espanha que, olhada no mapa, com os seus relevos orográficos, se assemelha a "una vieja piel de toro" se não mesmo o Touro-Europa ferida/o pelo Cavalo da Guerra. Figurativo, o mural permite leituras múltiplas e controversas de cada uma e do conjunto das imagens, retorcidas pela perspectiva cubista. A hispanidade de 36-39, viria a cumprir, segundo alguns, a revolução, pela mão de ferro do galego Castro e pelo punho cerrado do argentino Che, reforçando o poder simbólico de Guernica, em Festa e em sangue. À Festa seria acrescentado o mitema da sensualidade da música cubana e reforçado o mitema do romantismo que se bate contra moinhos de vento (em África, na América do Sul) na figura de um Che, belo e jovem, de boina basca.

Guernica é universalmente legível, intrinsecamente e extrinsecamente, a partir de um ideário de liberdade (comungado ou contestado) e actualizada por todas e por cada uma das revoluções ocorridas ao longo de 70 anos. Por isso, se ao princípio foi apenas o Quadro de Uma Exposição, de uma luta política, transformar-se-ia no Quadro de um Século que se quis livre, o século XX, e que experimentou, primeiro pela palavra, depois concretamente, na terra e na carne, os mais diversos modelos de organização social e política, em várias partes do Mundo. Guernica palavra apresenta uma relativa homofonia com a palavra Guerra, dita em várias línguas românicas, cristalizando-as, lado a lado, no inconsciente colectivo. As Guerras continuam e Guernica mantém-se símbolo vivo. Guernica aldeia simbolizou, durante os longos anos da ditadura fascista espanhola, a guerrilha de libertação (basca e todas as outras) contra os totalitarismos. A guerrilha basca deixou de ter sentido. A Experiência social continua. “Tout est possible”?

A nenhum outro quadro, senão a "Guernica", teria sido possível representar, por condensação, como nos sonhos (segundo Freud) o século XX.

"A" Guernica, como familiarmente é designado, reifica o ideário de libertação e justiça do século XX e as atrocidades cometidas contra esse ideário ou em nome desse ideário.




Succession, Wassily Kandinsky, 1935 ...

sexta-feira, maio 16, 2008

bad questions to ask a transsexual


[via 5 dias]

Sócrates na Venezuela

Segundo texto do Ricardo (via PS Belém)
Sócrates na Venezuela
O Governo liderado por José Sócrates encontra-se em visita oficial à Venezuela, numa comitiva que ainda integra mais de 80 empresários das áreas mais díspares. A principal razão desta visita prende-se com o aumento das exportações portuguesas para aquele país, onde existe uma forte comunidade portuguesa, dos actuais 17 milhões de euros para 200 milhões, ainda em 2008.
A Venezuela é o 9º maior produtor de petróleo do mundo, não podendo faltar à mesa de negociações esta matéria-prima, em escalada de preços, mas que por lá apenas custa 2 cêntimos (!) por litro, constituindo-se como a gasolina mais barata do mundo. A Galp encontra-se em destaque, indo assinar um acordo bilateral, de compra de petróleo, diversificando ainda mais as suas reservas, por contrapartida de importações de produtos portugueses (bens alimentares, essencialmente), equilibrando a nossa balança comercial, numa fase desfavorável para as exportações pela valorização do Euro.
Esta visita pode ser acompanhada aqui.
Ricardo Fresco

Pluralismo Político

Mais dois excelentes textos do Ricardo Fresco no PS Belém:
Pluralismo Político
José Alberto Carvalho, em sede da Comissão de Ética, Sociedade e Cultura na Assembleia da República, manifestou-se "incomodado com o oportunismo que sentiu em relação às reacções do relatório da ERC" (Entidade Reguladora para a Comunicação Social). O responsável pela informação da RTP considerou ter havido um aproveitamento político do respectivo relatório.
Todos nos lembramos das insinuações do PSD relativamente à falta do contraditório, nomeadamente no que ao programa do Dr. António Vitorino diz respeito, "esquecendo-se", apenas para citar um exemplo, do programa do Prof. Marcelo, muito mais orientado pelo entrevistado, parcial e pré-agendado.
J. A. Carvalho também considerou inaceitável a existência de quotas para cada partido na televisão pública, impedindo a escolha livre dos meios de comunicação social dos seus critérios jornalísticos. Pelo que não é de surpreender, dada a actualidade política, da panóplia de convidados da esfera do PSD (Menezes, Santana, Ferreira Leite, Rui Rio, António Borges) que pela RTP têm passado nas últimas semanas. O Partido Socialista, como qualquer outro partido político, pode questionar a necessidade de tantas figuras políticas, mas ninguém se manifestou da forma deselegante e insinuosa como o PSD, sendo o pluralismo político mais um fait-diver deste partido sem rumo.
Ricardo Fresco

Andebol

Afinal também gosto de Andebol! Gosto mesmo muito de Andebol...

Por falar em Andebol, sabem quem é o novo Campeão Nacional?


E NINGUÉM PÁRA O BENFICA
NINGUÉM
PÁRA O BENFICA
NINGUÉM
PÁRA O BENFICA, OLÉ OOOHHH!!!

quinta-feira, maio 15, 2008

Guenica

Já que recentemente falávamos de Fascistas...

John Edwards endorses Barack Obama


Europa e o Mundo.


Este sábado organizamos a nossa segunda iniciativa do processo de consulta para o Manifesto do Partido Socialista Europeu para as eleições de 2009.
Vamos debater a «Europa e o Mundo».
Adianto ainda para anunciar que o nosso site, apesar de incompleto, já se encontra online.

One more Super

Mail enviado por Barack Obama (ou antes, pela sua candidatura):


Friend --
I have some very exciting news.

My good friend John Edwards is endorsing our campaign and joining our movement for change.

We're here in Grand Rapids, Michigan -- and if you receive this message in time, you can probably turn on your TV and be part of the moment.

I'm deeply honored by John's support. He is a true leader who dedicated his career to improving the lives of ordinary Americans.

John ran a strong, principled campaign for president, focusing on a number of important issues where we share common ground -- universal health care, bringing our troops home from Iraq, and eliminating poverty in America.

The way he ran his campaign was also important. He ran in a way that reflected our shared conviction that we need to fundamentally change politics.

Like our campaign, John's campaign never accepted donations from Washington lobbyists or special interest PACs.

Let's welcome John Edwards to the campaign with an outpouring of the kind of grassroots support that is bringing our political process back to the people.

Make a donation of whatever you can afford now, and if you choose, include your own note to Senator Edwards. I'll make sure he gets them:
https://donate.barackobama.com/johnedwards


Thank you for all that you're doing,

Barack

Dia Mundial de Luta Contra a Homofobia

Para assinalar o Dia Mundial de Luta Contra a Homofobia, a Associação para o Planeamento da Família e a Associação ILGA Portugal (Intervenção Lésbica, Gay, Bissexual e Transgénero) promovem no próximo dia 17 de Maio, pelas 16h, no Fórum Lisboa (antigo Cinema Roma), um debate dedicado ao tema «Mulheres que amam mulheres: género, orientação sexual e discriminação».
Moderado por Fátima Palma (APF), o painel contará com as intervenções de Elza Pais (Presidente da Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género), das juristas Dinamene de Freitas e Margarida Lima Rego e de Luísa Corvo, em representação da Associação ILGA Portugal.
O debate será precedido da exibição de um episódio do filme 'If these walls could talk 2', que retrata a evolução da situação das mulheres lésbicas nos EUA.
Contamos com a vossa presença.
Cumprimentos
Sónia Duarte Lopes
Coordenadora da Delegação de Lisboa, Tejo e Sado

Finito

Já nem eu acredito.
(Nota:
Vera, o último video sobre a Hillary foi da minha responsabilidade. Admito que já vi, nesta campanha, peças de melhor qualidade. No entanto, e no espirito de divulgação da capacidade inventiva, criativa da sociedade politica americana, decidi colocá-lo online)

quarta-feira, maio 14, 2008

Dear MoveOn member

Dear MoveOn member,

We've found a powerful way to reach voters who think John McCain isn't as bad as George W. Bush. Our quiz game--The Bush-McCain Challenge--is a new twist on the old Pepsi-Coke Challenge. It's already spreading like wildfire on the Internet.

Now we're taking it to the streets! On Wednesday, May 28th, we'll set up Bush-McCain Challenge tables on sidewalks across the country. We'll ask passersby to see if they can tell the difference between Bush and McCain.

Can you sign up to give The Bush-McCain Challenge in Lisboa? Click here:

(When you click, you can also see an amusing video of folks giving the Challenge on the street.)

Hosting the Challenge is easy and fun! Just pick a spot with lots of foot traffic. We'll provide you with colorful posters, flyers, and all the questions to give folks the quiz--plus great ideas for making your table into a fun carnival booth if you get inspired.

Hundreds of thousands of people are playing The Bush-McCain Challenge online. It's the best way we've found to show voters that McCain is just like Bush.

We're running ads on CNN.com and other top news websites to promote the Challenge. And this week, we're launching mini-billboard ads in key states like Florida and Ohio.

Now you can help bring The Bush-McCain Challenge to Lisboa. Sign up to host a Challenge table on Wednesday, May 28th (and check out our fun video showing how it works):

Thank you for all you do.

--Noah, Anna, Lenore, Michael, and the MoveOn.org Political Action Team

Wednesday, May 14th, 2008

Support our member-driven organization: MoveOn.org Political Action is entirely funded by our 3.2 million members. We have no corporate contributors, no foundation grants, no money from unions. Our tiny staff ensures that small contributions go a long way. If you'd like to support
our work, you can give now here.

PAID FOR BY MOVEON.ORG POLITICAL ACTION,
Not authorized by any candidate or candidate's committee.

Rui, parece que é desta

terça-feira, maio 13, 2008

O presente na cidade. Moradores sem morada.


Algumas pessoas moradoras em Lisboa, nomeadamente no Bairro Alto, de entre as quais eu própria, presenciamos a vida dura de outras pessoas, também moradoras nesta cidade mas de um modo diferente do habitual e desejável: os cidadãos moradores sem-abrigo.


Gostaríamos de contribuir com humildade para diminuir a dureza de vida destes cidadãos moradores de Lisboa. De que forma? Criando uma Associação sem fins lucrativos (está em curso) e cujos membros estejam, por princípio e por definição, impedidos de auferir quaisquer rendimentos. Esta Associação terá por finalidade criar sinergias capazes de oferecer a alguns cidadãos, eventualmente de forma nómada, um abrigo por algumas noites. Sublinhe-se o trabalho de outras associações que contribuem, com grande generosidade, no sentido de apoiar estes moradores sem morada, distribuindo refeições.


De que necessitamos? De um prédio vago. De algum mobiliário. Do pagamento de despesas correntes - água, luz, gás. Do pagamento de vencimentos a uma pessoa que, não pertencendo à Associação, seja contratada para orientar a Casa bem como de vencimentos a empregados/as de limpeza.


Deixo aqui, em meu nome, um pedido de apoio dirigido à autarquia de Lisboa (com quem já iniciámos contactos prévios) bem como um pedido, mais global, a Empresas e a Empresários que queiram ser Mecenas deste projecto Solidário.


Que futuro?

O meu Mestre Vitorino Magalhães Godinho (aos Mestres basta-lhes o nome e o apelido, maiores que os títulos académicos ou outros) tem dado entrevistas à Antena 2, ontem e hoje. Sempre defensor de um ideário democrático e socialista. Socialista por "colocar o interesse colectivo à frente dos interesses particulares".

Aqui deixo algumas ideias soltas e desarticuladas, que foram muito bem equacionadas pelo Mestre. Corro voluntaria e gostosamente os perigos de o desvirtuar, pois quem conta um conto acrescenta um ponto, mais não seja por ser aprendiza do Mestre, por ter o meu próprio ponto de vista e por utilizar a minha linguagem, menos científica, eventualmente incorrecta e emotivo-impressionista, bem como as minhas próprias leituras do mundo e de autores.



1. é fundamental ter uma perspectiva diacrónica para entender a actualidade;


2. a era do capitalismo, tal como foi definida por Marx, já não existe; porque acabou o valor "trabalho" e porque acabaram as "empresas";


3. estas estão a ser substituídas por redes mafiosas detentoras de uma fatia de recursos que abarca praticamente a totalidade do bolo disponível no planeta;


4. a estratificação social em pirâmide - até aqui uma realidade, mesmo que concretizada em pirâmides de diversas formas, mais achatadas ou mais afiladas - está a ser substituída por uma estratificação em dois únicos estratos sociais: um minoritário (mais minoritário do que alguma vez fora?) constituído pelas redes mafiosas acima designadas, outro, amplamente maioritário constituído pelas restantes pessoas (todos nós que somos trabalhadores p.c.p ou p.c.o, pequenos empresários, talvez mesmo médios empresários e, também, os desempregados, os intermitentes, os precários, os "sem abrigo", etc ...);


5. a precariedade é um insulto à dignidade humana;


6. a precariedade leva ao desemprego; este faz diminuir o poder de compra;


7. coloca-se, por conseguinte, a questão do escoamento de bens e serviços, até aqui inexistente porque sustentada por uma classe média (como muito bem foi percebido pelo capitalismo do século passado que, por isso, passou a melhor remunerar os trabalhadores; estou a lembrar-me, por exemplo, do fordismo);


8. as redes detentoras do grande bolo planetário constituído por todos os recursos estão interligadas e determinam a vida económica de tal modo que, se um senhor do mundo financeiro fizer uma afirmação, as consequências são imprevisíveis e de grande magnitude (sim, magnitude como os terramotos);


9. o ponto anterior aponta para a possibilidade da aplicação da teoria do caos (Edward Lorenz, MIT) ao campo económico;


10. a estratificação em dois blocos dificulta, ao ponto extremo de poder mesmo inviabilizar, o exercício da democracia.



Nota: em itálico estão as ideias do Professor Doutor Vitorino Magalhães Godinho.

Dream Ticket?



"Há muitos motivos para censurar este Governo!"

Sócrates e Pinho violaram proibição de fumar a bordo do voo de Lisboa para Caracas

Agora já conhecem a empresa onde trabalho...


O Renascer de um Problema

O homem já anda há mais de um ano em campanha. A mãe dele anda em campanha. Mas parece que a idade dele continua a ser um problema sério para quem vota.

Age continues to look like a major hurdle for McCain. Thirty-nine percent of Americans say they'd be uncomfortable with a president first taking office at age 72, far more than say they'd be uncomfortable with a woman (16 percent) or African-American (12 percent) as president.

sexta-feira, maio 09, 2008

Amanhã


divulgação

Admito. Tem bom aspecto.

Here We Go...

(via The Page)

Memo from McCain Adviser Salter


To: Interested Parties
From: Mark Salter, Senior Advisor
Date: May 8, 2008
Re: Senator Obama’s Attack Today


First, let us be clear about the nature of Senator Obama’s attack today: He used the words ‘losing his bearings’ intentionally, a not particularly clever way of raising John McCain’s age as an issue. This is typical of the Obama style of campaigning.


We have all become familiar with Senator Obama’s new brand of politics. First, you demand civility from your opponent, then you attack him, distort his record and send out surrogates to question his integrity. It is called hypocrisy, and it is the oldest kind of politics there is.


It is important to focus on what Senator Obama is attempting to do here: He is trying desperately to delegitimize the discussion of issues that raise legitimate questions about his judgment and preparedness to be President of the United States.


Through their actions and words, Senator Obama and his supporters have made clear that ANY criticism on ANY issue — from his desire to raise taxes on millions of small investors to his radical plans to sit down face-to-face with Iranian President Ahmadinejad – constitute negative, personal attacks.


Senator Obama is hopeful that the media will continue to form a protective barrier around him, declaring serious limits to the questions, discussion and debate in this race.
Senator Obama has good reason to think this plan will succeed, as serious journalists have written of the need for ‘de-tox’ to cure ’swooning’ over Senator Obama, and others have admitted to losing their objectivity while with him on the campaign trail.


Today, Senator Obama is complaining about comments John McCain made about a senior Hamas advisor stating that Hamas would welcome Senator Obama’s election as president. Indeed, on April 13th, senior Hamas political advisor Ahmed Yousef said, ‘We don’t mind – actually we like Mr. Obama. We hope he will (win) the election and I do believe he is like John Kennedy, great man with great principle, and he has a vision to change America to make it in a position to lead the world community but not with domination and arrogance.’


The McCain campaign has never suggested that Senator Obama supports Hamas’ agenda, but it is more than fair to raise this quote about Senator Obama because it speaks to the policy implications of his judgment.


Just today, the president of Iran, whom Senator Obama wants to meet with unconditionally, called the state of Israel a ’stinking corpse.’ Iran is the paymaster and state sponsor of Hamas.
In his victory speech this week, Senator Obama stated that ‘wisdom’ is meeting with our enemies, including Iran’s Mahmoud Ahmadinejad, North Korea’s Kim Jong Il, Venezuela’s Hugo Chavez and Cuba’s Raul Castro. John McCain couldn’t disagree more. Rather than giving tyrants and dictators the prestige of meeting with an American president, John McCain will instead meet with the champions of human freedom around the world and opposition leaders fighting for liberty .


We understand why Senator Obama doesn’t want to engage in a debate over leadership and judgment with John McCain, but the American people demand that debate take place.
These are serious times that call for a serious debate on the profound issues facing our future. John McCain is ready for that debate and we hope Senator Obama will one day get serious and join it.

quinta-feira, maio 08, 2008

No matter how you do the math, I'm still ahead


Não sei quem é o Todd (trabalha na MSNBC), mas a confirmarem-se os números que apresenta parece-me que chegámos ao fim do caminho. Se for o caso, parabéns ao Senador.

Devo no entanto realçar o seguinte: ainda faltam muitos superdelegados declarar apoio e as projecções para Novembro apresentam MaaCain cada vez mais competitivo, nomeadamente contra Obama (que não é competitivo em demasiados swing states), ao contrário de Hillary. Esta é uma questão (quem está melhor colocado - Estado a Estado, para bater MacCain no Outono) que estará a pesar na decisão de muitos seperdelegados e que, em minha opinião, ainda terá algum peso nas próximas semanas (sim, que Hillary não vai desistir…).

Independentemente desta situação, Obama, para um total esclarecimento, deveria retirar o veto que colocou sobre a reeleição de delegados no Michigan e na Florida. Como alguém dizia, numa destas maratonas eleitorais, os EUA têm 50 Estados, e não 48.

Europe Day

On Europe Day, the PES Group in the Committee of the Regions launches a photo competition on intercultural dialogue seen through the eyes of young Europeans!

In the framework of the 2008 European Year of intercultural dialogue, the PES Group in the Committee of the Regions (CoR) organises a photo competition which will enable young Europeans aged 18-25 to share their vision of the dialogue between cultures in their city and region. This competition will be officially launched on 9 May, Europe Day, and will close on 30 September 2008.

A jury composed by PES Group members, representatives of Agence Vu' and Notre Europe will select 6 the winning photographs among all the entries downloaded on the PES Group website. The six winners, each of whom will be awarded a prize consisting of a professional digital camera, will be invited to Brussels to participate in the Forum on Intercultural Dialogue, which will be organised on 26-27 November 2008, on the fringe of the CoR plenary session. An exhibition of the “Europe Works” project, accompanied by the photos of the competition, will be displayed at the CoR Headquarters from 24 November until 5 December 2008.

For more information on the photo competition and the modalities of participation, please visit the website of the PES Group in the CoR.

With socialist greetings,

Corina POPA
Communication team
Party of European Socialists
Parti Socialiste Européen
98, rue du Trône
B-1050 Bruxelles
Tel: +32 2 548 90 42
Fax:+32 2 230 17 66
www.pes.org

Vida Selvagem

quarta-feira, maio 07, 2008

SISMO NO JAPÃO

Não há registos de feridos nem de danos materiaisA região de Tóquio foi hoje abalada por uma série de sismos, o mais forte com a magnitude de 6,7 na escala aberta de Ritcher. Não há registo de vítimas nem desgastes materiais importantes, disseram as autoridades citadas pela televisão pública NHK. Via SICNoticias.

É impressionante como construindo estruturas mais sólidas, um bom planeamento da cidade, se podem evitar catástrofes de dimensões gigantescas.
Quando li esta notícia surgiu 0 pensamento que se em caso de uma catástrofe idêntica em Lisboa a sociedade civil saberia reagir de forma serena e ordeira…

Como reagia se soubesse da ocorrência de sismo em tempo real?

O Governo Civil e as forças vivas da Cidade deveriam educar a população com acções de formação activas, nomeadamente no que diz respeito às medidas de segurança a serem tomadas durante um sismo, e elaborando planos de emergência, para durante e após a ocorrência do sismo…

Espero que o Governo Civil, o Lnec, bem como todas as forças vivas e activas das cidades tenham de facto esse tal plano de contigência, elaborado e estruturado para situações de crise...

Como cidadão e tirando o senso comum, reflicto sobre o que sei sobre essas prevenções...

O Serviço Nacional de Protecção Civil, em função dos seus objectivos e domínios de actuação e da cooperação dos serviços e instituições de investigação técnica e científica com os sistema de protecção civil, tem desenvolvido ao longo do tempo actividades conducentes ao conhecimento do risco sísmico refere-se às perdas esperadas para um determinado elemento exposto ao risco, durante um determinado período de tempo.
Os elementos em risco podem ser bens construídos, actividades económicas ou "risco sísmico e à sua minimização, a destacar:
Realização de exercícios;
Acções de informação e sensibilização da população e instituições;
Participação em missões de observação de sismos ocorridos em diversas partes do mundo para recolha de ensinamentos (sismo de 17 de Janeiro de 1994 em Northridge, Los Angeles, E. U. A.;
sismo de 7 de Julho de 1998 nos Açores; Turquia 1999);
Contribuição para a montagem da rede sísmica LAPSIS (IST);
Estudo das vulnerabilidades sísmicas de obras de arte (quatro viadutos pertencentes ao concelho de Lisboa);
Estudo do Risco Sísmico da Área Metropolitana de Lisboa e Concelhos Limítrofes Estudo do Risco Sísmico do Algarve, lançado em 2001.


Será que tem passado toda esta informação para a população?

Dava um interessante ciclo de debate!

Devemos estar atentos... Nunca se sabe...

Só mais uma chamada de atenção...

Para a primeira conferência do EuroManifesto 2009 . Já aqui tinhamos falado nisso, mas podem ver o programa detalhado aqui.

A Ler...

Change


Em grande forma, outra vez. Mesmo sem Hillary Clinton admitir, está feito. Barack Obama confirmou a nomeação.

América Update

1. Obama ganhou na Carolina do Norte
(mais de 20% de diferença; 30% dos votantes eram africo-americanos, onde Obama alcançou 90% dos votos).
.
2. Hillary ganha Indiana.
(a dúvida é se consegue apresentar uma margem na casa das dezenas).
.
Dá um prazer seguir as noites eleitorais nos canais americanos (até a Fox dá gozo... mas, de longe, a CNN arrepia...)
.
The race continues... e o campo de batalha (eleitoral) chama-se Super-Delegados (e Flórida)
[adenda. são 2.27 am, e Clinton vê Obama aproximar-se no Indiana. Se perder é Game Over]
[adenda 2. Excelente discussão no blogue do Nuno Gouveia]

Nós podemos. O inicio

Não tinha visto, mas o Buraka está ligado à crise do PSD.
Aqui o inicio.
(está demais o sketch. Concorrência?)


Gasolina?

Protesta-se muito contra o preço da gasolina, mas pagamos quase 4.600 € por litro de tinta de impressora! Impressionante (e a tinta de cor então...)

Vota BURAKA OBAMA



Quem é que diz que nós não podemos, porra?...

terça-feira, maio 06, 2008

Odivelas no Coração

Já tinhas conhecimento do Movimento Odivelas no Coração, Paulo?

Eu soube da existência dele através do Jorge Ferreira, no Tomar Partido!

Sondagens pouco científicas

Voltámos às sondagens pouco científicas. Recomeçamos este ciclo com a sondagem óbvia... não, não é o treinador do Benfica, mas sim quem é que acha que será melhor líder para o PSD?"

As hipóteses são os candidatos, como é natural...

É clicar, pessoal!

Convite




Após os resultados de hoje...


A campanha deve continuar, segundo os Democratas (principalmente se forem apoiantes de Hillary).

Ainda sobre a Liberdade de Expressão

Depois de ter deixado este post aqui, mais uma chamada de atenção para outra ameaça à Liberdade de Expressão.

Mas na Rússia já é habitual.

Pouco Porreiro, Pá!

A notícia já tem alguns dias, mas só agora a vi, pelo Blog dos Marretas:

"A junta de freguesia da Ericeira foi multada em sete mil euros utilizar óleos reciclados para mover os carros do lixo, em vez de comprar combustíveis fósseis, pelo que o Estado se considera lesado."



Assim não cumprimos com as quotas...

This Divided State


Documentário muito interessante sobre a Liberdade de Expressão. A clara demonstração que devemos estar sempre atentos aos ataques à Liberdade de Expressão. Mesmo na land of the free.

domingo, maio 04, 2008

Legelizit

Hoje estava a ir ter com um amigo meu, ali para os lados de São Mamede (entre o Príncipe Real e o Rato) quando foi alertado por um agente da autoridade que o trânsito estava cortado devido «à manifestação». Outra, pensei eu! que raio. Quem é desta vez. (e puz-me a pensar... o 1º de Maio tinha sido há dois dias, e os tipos já querem outra manif... não fazem mesmo mais nada...).

Rapidamente verifiquei que o meu raciocínio estava errado. Era a Marcha Global da Marijuana (que sempre pensei que se escrevesse Mariajoana).

Sou, desde há muito, acérrimo defensor da legalização total das drogas. E refiro-me a todas as drogas - leves e duras - e ao consumo e tráfico. Não entendo, de todo, porque é que os Estados dispendem recursos neste tema. Só vejo vantagens na total legalização.

Do ponto de vista filosófico, o que estamos a dizer é que confiamos na capacidade das pessoas poderem escolher o seu estilo de vida. São livres para o fazerem, desde que essa decisão incorra sobre si mesmo. Nesse sentido, não me incomoda nada que sujeito A consuma Marijuana, sujeito B Heroína ou sujeito C Cocaína. Desde que não me incomode...

São quantas as pessoas ditas normais que recorrem ao uso diário de drogas, receitadas e não? Quantos são os cidadãos ditos normais que só funcionam com uma dose diária de Fluoxetina, de Xanax, de Benzodiazepinas ou de Anti-depressivos, quer necessitem ou não?


O argumento da escalada das drogas (fulano A consome Marijuana no dia 1, e no dia 100 já está agarrado à Heroína) está longe de ser provado. Aliás, o que está comprovado é que o tráfico das drogas leves e duras anda lado a lado, o que leva o consumidor geral ao contacto entre ambas as variedades de drogas. Ou seja, é mais provável que traficante A, que vende Marijuana e Heroína (por exemplo), a certa altura retire a droga leve do mercado e inunde o mesmo da droga dura. Perante tal situação, é provável que o consumidor geral seja tentado a trocar de droga de escolha, caindo assim na dupla dependência da droga dura em cauda e da relação com o traficante.

Por este motivo, não antevejo que haja um aumento do número de consumidores; pelo contrário, a legalidade afastará muitos daqueles que procuram no consumo de droga o risco.



Por fim, se o Estado legalizar o tráfico das drogas pode, por um lado, aferir sobre a qualidade das mesmas (um problema na droga da rua); e, por outro, taxar este género de comércio. Assim não só encontrará nova fonte de receita (que poderá ser colocada em campanhas de sensibilização, em política desportiva, salas de chuto, por exemplo)

[a imagem reporta a marcha no Brasil, mas não importa, a ideia é a mesma]

[Shyz, não te vi por lá... também não te procurei nem fiquei muito tempo...]

sábado, maio 03, 2008

London

.
O discurso da vitória aqui.
-
-
FIRST AND SECOND PREFERENCE VOTES
Boris Johnson: 1,168,738
Ken Livingstone: 1,028,966
.
FIRST PREFERENCE VOTES
Boris Johnson (Tory): 1,043,761
Ken Livingstone (Lab): 893,877
Brian Paddick (Lib Dem): 236,685
Sian Berry, (Green): 77,374
Richard Barnbrook (BNP): 69,710
Alan Craig, (Christian Choice): 39,249
Lindsey German (Left List): 16,796
Matt O'Connor, (Eng Democrats): 10,695
Winston McKenzie (Ind): 5,389
.
.

(Ken Livinsgtone parece estar a passar o testemunho...)

Pesquisar neste blogue