sexta-feira, setembro 05, 2008

Import - Export


Morreu neste sábado, aos 69 anos de idade, um dos maiores defensores dos direitos das minorias em toda a América Latina. Foi, com certeza, o mais valente batalhador pelos direitos de gays e lésbicas que já teve o México. Gilberto Rincón Gallardo foi dirigente do Partido Comunista Mexicano e do Partido Socialista Unificado do México. Em 1989, fundou o Partido da Revolução Democrática, com Cuauhtémoc Cárdenas. Foi candidato a presidente do México em 2000, com uma campanha que colocou no centro da discussão a discriminação por motivos de deficiência física ou de orientação sexual. Era o presidente do Conselho Nacional contra a Discriminação.
(continua aqui)

Este é, alegadamente, um espaço para falar muito de sondagens. E sei que me tenho coibído de o fazer. Como expliquei recentemente no Público (28/8), para mim, as sondagens relevantes num sistema colegial, como o norte americano, são as estaduais. Evidentemente que uma vantagem de 10 pontos nas sondagens nacionais traduziria mais ou menos um esmagamento eleitoral de um dos candidatos. Mas como não sabemos o bounce que resultará da RNC nas sondagens nacionais, prefiro manter-me fiel a monitorizar o que se passa nos estados.
(continua aqui)


A escolha da até então desconhecida fundamentalista, criacionista e ex-secessionista Sarah Palin, do Alaska, para a Vice-Presidência, foi uma tentativa de matar esses dois coelhos com uma cajadada só. A mulher está à direita de Médici e, sendo uma fundamentalista religiosa, mobiliza a base evangélica do Partido Republicano, que andaria em cacos de vidro por ela. O cálculo foi que, sendo mulher, capturaria uma parcela dos votos de mulheres independentes ou democratas que simpatizavam com a candidatura Hillary. Nada indica que este cálculo tem funcionado, como já prevíamos, aliás. Os números da Gallup mostram que, desde a escolha de Palin, McCain aumentou, é verdade, o seu apoio entre mulheres republicanas, de 85% para 90%. O problema é que para cada eleitor que chegou, um independente pulou para o lado de Obama. Desde a escolha de Palin, McCain perdeu votos entre as mulheres independentes e democratas.
(o post completo pode ser consultado aqui)

Sem comentários:

Pesquisar neste blogue