terça-feira, março 31, 2009

Global Progressive Fórum


Começa depois de amanha o Global Progressive Forum, iniciativa conjunta da família socialista, social-democrata e trabalhista europeia (Internacional Socialista [IS], Partido dos Socialistas Europeu [PES], Fundação para os Estudos Europeus Progressistas [FEPS] e Grupo Parlamentar do Partido Socialista Europeu no Parlamento Europeu).
Esta iniciativa, que pretende promover o debate sobre os grandes temas da agenda progressista contemporânea, tem passado ao lado da agenda das gentes pensantes locais, que se mostram mais interessadas em debater e discutir se a ópera (ou não) do CCB deveria ter começado mais cedo. Imagino que a importância de tal episódio do CCB seja realmente elevada. Afinal, quando não há oposição, inventa-se. Adiante.
Este fórum terá treze workshops e três sessões plenárias, cobrindo temas como as alterações climáticas, a pobreza mundial, os direitos das mulheres, globalização e migrações, da fome ou do trabalho, para destacar algumas.
No entanto, e se me permitirem, queria destacar duas sessões. Uma relativa às questões da nova governança mundial (esta com a presença da Maria João Rodrigues) e principalmente a sessão inaugural do Fórum, sobre uma globalização progressista (que contará com a presença de Bill Clinton, Poul Nyrup Rasmussen, Josep Borrell, Martin Shulz, Juan Somavia e Sharan Burrow).
O site do GPF transmitirá o Fórum em directo, e haverá liveblogging e twitting de bloggers convidados (Tiago, desculpa) e de agentes institucionais (PES, Grupo Parlamentar do PES).
Esta é uma verdadeira oportunidade de seguir alguns dos debates que marcam a agenda progressista europeia (e mundial). É um debate necessariamente incompleto, mas que tem a virtude de congregar os principais actores e instituições que hoje moldam a nossa contemporaneidade política.
Este Fórum também oferece a ocasião de conhecer o trabalho da família socialista, social-democrata e trabalhista europeia (e mundial), e de perceber que a verdadeira alternativa progressista ao estado do mundo actual está ali. Não numa qualquer renovação neo-liberal ou neo-capitalista, não na esquerda radical anti-patronato ou na direita neo-autoritária; mas nas novas leituras da social-democracia contemporânea.

estado de graça

Acho extraordinário que o José Sócrates ainda esteja, depois de quatro anos duros de governação, em algum «estado de graça». E, pelo que leio por aqui parece ser essa a leitura do «episódio CCB» (ver Adolfo Mesquita Nunes e Pedro Picoito, por exemplo).
Bom, a ser assim há que congratular o Primeiro-ministro. Decerto será inédito, mesmo a nível europeu – eu arriscaria – verificar que um Primeiro-ministro em exercício consiga chegar ao inicio do seu quarto ano de governação ainda em estado de graça… Olhem que nem o Obama conseguirá tal feito.

Também acho realmente extraordinário que se junte este fait divers ao do cigarro da Venezuela (quando é que foi mesmo?). Será este verdadeiramente o estado da oposição política hoje em Portugal? Ópera & Cigarros. É disto que se ocupam os comentadores atentos da nossa praça?
E o que é que fazem com o resto do tempo?

Chegou ao Público o Eleições 2009

Caros Lojistas,

já chegou ao público o Blog Eleições 2009 do Público.
Visitem e comentem http://blogs.publico.pt/eleicoes2009

sábado, março 28, 2009

Liberte os presos políticos

Grupos pro-democracia da Birmânia estão enviando uma petição para o Secretário Geral da ONU Ban Ki Moon pedindo a libertação dos prisioneiros políticos. Apóie esta luta:

Assine a petição

(recebido por email)

 


A líder do movimento pró-democracia e ganhadora do Prêmio Nobel da Paz, Aung San Suu Kyi passou mais de 13 anos presa pela junta militar da Birmânia (ou Mianmar). Ela e milhares de monges budistas e estudantes estão presos por protestar pacificamente a ditadura militar brutal do seu país. Esta semana temos a oportunidade de ajudá-los - mesmo à distância.

Mesmo correndo um enorme risco ativistas da Birmânia se pronunciaram esta semana pedindo a libertação imediata de Aung San Suu Kyi e de todos os prisioneiros políticos do país. Eles apelaram também pelo apoio da comunidade internacional pois só assim eles terão chances de combater a junta militar. Com a crise econômica a assistência humanitária internacional é cada vez mais necessária na Birmânia, portanto os generais estão se tornando mais vulneráveis à pressão internacional. É aí que nós entramos, estamos coletando um enorme número de assinaturas na petição para o Secretário Geral da ONU Ban Ki Moon, pedindo que a Birmânia se torne uma prioridade da ONU. Assine a petição no link abaixo e depois divulgue esta campanha para todos os seus amigos.

http://www.avaaz.org/po/free_burma_political_prisoners

Os ativistas da Birmânia querem coletar 888,888 nomes para a petição. O número 8 tem um simbolismo importante na cultura deles e a junta militar é extremamente supersticiosa. Como a situação deste país não é divulgada na mídia internacional, precisamos divulgar esta campanha para o maior número possível de pessoas para alcançar esta quantidade massiva de assinaturas.

O aumento da pressão internacional está funcionando, em dezembro 112 ex-presidentes e primeiros ministros de 50 países enviaram cartas para o Secretário Geral da ONU Ban Ki Moon pedindo para ele pressionar a junta pela liberação dos prisioneiros políticos. Em fevereiro, 20 prisioneiros políticos foram soltos logo após a visita de uma delegação da ONU ao país.

A junta militar teme as consequencias da mobilização online coordenada e sua influência sobre a ONU: mais de 160 exilados da Birmânia e grupos em 24 países estão participando da campanha. Porém ainda precisamos de um grande número de assinaturas para chamar a atenção do Sr. Ban Ki Moon. Clique abaixo pelo fim das prisões e da brutalidade militar:

http://www.avaaz.org/po/free_burma_political_prisoners

Este é um momento em que podemos fazer a diferença. Vamos apoiar os corajosos ativistas pró-democracia da Birmânia que hoje estão presos e exilados, para que eles tenham sucesso em acabar com a violenta repressão militar do seu país.

Com esperança e solidariedade,

Alice, Ricken, Pascal, Graziela, Veronique, Iain, Paul, Luis, Paula, Brett e toda a equipe Avaaz

Saiba mais:

Birmânia: oposição denuncia prisão de cinco partidários de Suu Kyi:
http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1369523&idCanal=11

ONU pede libertação de presos políticos em Mianmar:
http://g1.globo.com/Noticias/Mundo/0,,MUL1046293-5602,00-ONU+PEDE+LIBERTACAO+DE+PRESOS+POLITICOS+EM+MIANMAR.html

Quem é Aung San Suu Kyi:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Aung_San_Suu_Kyi

Mianmar/Birmânia:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Myanmar

------------------------------------------------------------




SOBRE A AVAAZ

Avaaz.org é uma organização independente sem fins lucrativos que visa garantir a representação dos valores da sociedade civil global na política internacional em questões que vão desde o aquecimento global até a guerra no Iraque e direitos humanos. Avaaz não recebe dinheiro de governos ou empresas e é composta por uma equipe global sediada em Londres, Nova York, Paris, Washington DC, Genebra e Rio de Janeiro. Avaaz significa "voz" em várias línguas européias e asiáticas. Telefone: +1 888 922 8229
Você está recebendo esta mensagem porque você assinou "G8: Assuma a liderança no combate ao aquecimento global" no 2008-06-25 usando o email claudioanaia@hotmail.com. Para garantir que os nossoas alertas cheguem na sua caixa de entrada, porfavor adicione avaaz@avaaz.org na sua lista de endereços. Para mudar o email inscrito, sua língua ou outras informações pessoas, clique aqui:https://secure.avaaz.org/act/index.php?r=profile&user=1c480dff94d0940a009fe8f79b755adb&lang=po ou clique aqui para remover o seu email da nossa lista.


Para entrar em contato com a Avaaz não responda para esse email, escreva para info@avaaz.org. Você pode nos telefonar nos números +1-888-922-8229 (EUA) ou +55 21 2509 0368 (Brasil). Se você tiver problemas técnicos visite http://www.avaaz.org


Clara

Claro que já repararam na Clara.
É a nossa mais recente convidada. Julgo que será uma muito interessante mais-valia. Bem-vinda sejas, «nefertiti», diverte-te e diverte-nos. Faz-nos pensar e discordar. Escreve. Esta Loja acolhe-te com todo o prazer.
Até já.

sexta-feira, março 27, 2009

Eva Kyrolos: Primeira Mulher Presidente Câmara Egipto

Em Komboha, pequena cidade do sul do Egipto, foi eleita, ontem, a primeira mulher Presidente de Câmara. É advogada, cristã copta, solteira e tem 53 anos. Eva Habil Kyrolos.

Que semelhanças entre esta mulher e as já conhecidas candidatas socialistas a Presidentes de Câmara às próximas eleições autárquicas?

Força, vontade, orgulho, afecto, empreendedorismo e competência.

Força para mudar; vontade para concretizar; orgulho de participar e mostrar que também são capazes; afecto pelos munícipes; empeendedorismo nos projectos que se impõem realizar e competência no exercício das suas funções.

Quem duvida dos méritos associados a mulheres em cargos de decisão? Nem os egípcios, tal como afirma Osama Gamel, mecânico de automóveis em Komboha : "...sabe uma coisa? Ela é melhor do que um homem."

Eu diria, antes, que muitas mulheres podem ser melhores do que muitos homens.

quinta-feira, março 26, 2009

Para acabar de vez com a "estória" do Lucílio

Enganei-me: O primeiro post do Rui Ramos

Enganei-me. O primeiro post do Rui Ramos no Clube das Repúblicas Mortas é este e não aquele.

As minhas desculpas pelo engano.

Diogo Moreira

(obrigado a Ana Margarida
Craveiro pela correcção)

Luísa Viana Paiva Boléo

A Secção do PS do Bairro Alto (Lisboa) conduzida por Carla Madeira, indigitou, por unanimidade, a camarada Luísa Viana Paiva Boléo para encabeçar a lista da Freguesia de São Mamede, para as eleições autárquicas de 2009.

É uma escolha acertadíssima, numa Grande Senhora, com obra publicada e experiência na política local, sobre quem eu tive a oportunidade de falar neste blogue, a propósito do seu último livro, uma biografia sobre a Rainha D. Maria I.

Bem hajam, camaradas do Bairro Alto!

Direito de expressão

O Direito de Expressão é algo complicado de perceber. Por vezes é mesmo algo que chateia. Aqui ao lado, mais à esquerda, o Carlos Vidal do 5 dias pergunta o que é que o Vital Moreira tem a haver com o facto dos seus adversários ainda não terem decidido qual o cabeça de lista às europeias.

Não tendo eu nenhuma procuração para defender Vital Moreira (e ainda bem, uma vez que não sendo advogado só poderia fazer um péssimo trabalho) tenho no entanto a perguntar o Carlos acha que Vital Moreira não tem o direito de dissertar sobre esse assunto, ou outro qualquer que queira, no seu blogue onde só vai quem quer. Mas tendo em conta que isso é Direito de Expressão, pode ser mal entendido para aqueles lados.

Finalmente ele escreve!

Já pude apreciar, numa escola primária, a excitação da criançada com a chegada dos computadores Magalhães. Ontem foi a vez da Assembleia da República ter o seu momento Magalhães. Foi comovedor o entusiasmo infantil com que os deputados receberam os seus novos confortos e brinquedos tecnológicos. Falaram de Ítaca, lembraram a quinta do avô, e até se enganaram no nome do arquitecto que lhes fez a casa. É assim: dêem-lhes um computador novo e até os mais sábios e prudentes voltam a ser crianças.

Rui Ramos no Clube das Repúblicas Mortas

P.S. - Agora sim, podem ver os posts que são do melhor do que se pode ler.

Salazar e a Maçonaria

Apareceu na passada semana na revista Visão uma reportagem/notícia, que também pode ser visto num blog da Bertrand (a editora do livro), sobre um livro intitulado Salazar, o Maçon. A tese defendida no livro, como o título do mesmo indica, é que Salazar era Maçon.
Estou curioso com o livro e tenho a intenção de o adquirir, já que estou extremamente curioso de saber como defende o livro esta tese num tempo e com um chefe de estado (supostamente Maçon) que permite isto:

Citação brilhante de desconhecido

"authority can and must always act as a guide, but the only place where one can find out one's true identity is within oneself."

Retirada da página wikipedia sobre o Filme "Clube dos Poetas Mortos"

A Ler: Henrique Raposo - Aulas do Jojó

Seguindo este exemplo e aquele, acho que as aulas do Jojó vão ser dos maiores atractivos do Clube das Repúblicas Mortas.

Diogo Moreira

P.S. – Só ontem à tarde é que percebi o trocadilho do nome com o Clube dos Poetas Mortos...

Blogues Mistério Revelados

Desde o críptico recado de Vasco Barreto no Jugular (via Paulo Pinto), que se sabia que um novo projecto blogosférico estava a ser montado na nossa praça. Decerto que para todos aqueles que fazem parte da elite blogosférica nacional os contornos deste projecto (que se veria a revelar duplo) seriam do conhecimento geral há vários meses. Para nós, bloggers comuns, apenas o acima-mencionado recado de Vasco Barreto nos tinha alertado para as movimentações nesse sentido. Esse projecto viria a ser conhecido coloquialmente, entre mim e os meus, como o "blogue mistério".

Como verão eu estava enganado. Não era um blogue mistério. Eram dois.

Graças ao 5 Dias, apresento-vos então os dois blogues mistério de 2009 (até agora):

Revista Sábado - Blogue de Esquerda

(Bloggers: Luís Rainha, a Ana Leonardo, o José Mário Silva e Vasco Barreto)

Revista Sábado - Blogue de Direita

(Bloggers: João Miranda, Rui Castro, João Vacas e João Gonçalves)

Estamos a falar de excelentes bloggers da nossa praça, que estão associados a um projecto editorial interessante (Revista Sábado). É sempre bom ver como órgãos de comunicação social portugueses estão a aprender (finalmente) com os seus congéneres estrangeiros e a entrarem na blogosfera (seguindo o exemplo do Público).

Agora vamos à parte má.

Compreendo porque é que tão ilustres bloggers fizeram a mudança (associação institucional, etc..), mas os blogues em termos de concepção parecem-me fracamente maus. Não consigo lidar com aquilo. Muito pouco reader-friendly e sem RSS feeds (ou seja não se consegue seguir via Google Reader ou noutros agregadores). Tal como o Mar Salgado, estes serão mais dois blogues que não poderei acompanhar por não haver RSS feeds.

No entanto, ficam aqui os meus desejos de sucesso a todos os envolvidos.

Diogo Moreira

A Europa move-se! Os Europeus - NÓS! - também!

Cher(e)s ami(e)s,
Cher(e)s camarades,

Nous devons changer l’Europe. Et pour changer de politique en Europe, il faut changer de majorité politique au Parlement européen. Voilà l’ambition des socialistes européens.

Voter socialiste le 7 juin, c’est permettre dès le 8 juin une vraie alternance au Parlement européen et à la Commission européenne.

Les socialistes européens sont unis pour réaliser concrètement ce changement et remettre les citoyens au cœur d’une Europe plus sociale, plus écologique, plus solidaire. Je suis particulièrement fière que le Parti Socialiste français mène la première campagne européenne pour ces élections. Parce que les problèmes sont communs, les réponses sont communes et la campagne doit l’être tout autant.

Il faut donc créer le mouvement qui portera demain une majorité de gauche en Europe. Pour cela, nous avons besoin de vous.

Cette campagne doit être la votre !

En agissant sur le terrain, en mobilisant sur Internet, en diffusant nos idées auprès de nos concitoyens, en encourageant nos sympathisants à s’engager à nos côtés, vous pouvez contribuer concrètement, simplement et en fonction de vos possibilités, à ce changement.

Les peuples européens ont besoin de changement. Construisons le ensemble.
Martine Aubry

http://changerleurope.fr


(sublinhado meu)

quarta-feira, março 25, 2009

Existe algo no ar.

Existe algo no ar. Os nossos sentidos parecem estar mais agudos. Aquilo a que aos nossos olhos passaria despercebido está a ser agora revelado. As folhas das árvores parecem sussurrar verdades antigas, perdidas para a maior parte de nós. Os nossos ouvidos parecem ouvir novos murmúrios de conhecimento, sustentado opiniões vertebradas. O olfacto parece agudizar-nos com uma podridão que até agora era normal e habitual. Já não estávamos acostumados a que o nosso paladar provasse tais requintes da linguagem e do saber. E o tacto parece estar pronto a dar o seu contributo, palpando terreno num debate que será intenso, energético, viril, mas que acima de tudo contribuirá para um aumento do nosso conhecimento colectivo e da nossa sabedoria espiritual. Para além da ideologia e da política

E o que poderá ter motivado tais impressões da minha parte, perguntarão vocês. Será a aproximação das eleições de 2009, um combate ideológico e político duma importância tal que só terá comparação com o triénio 74-76? Será a proximidade da entrada em vigor dum novo blogue colectivo, um grupo magnífico de pessoas dispostas a contribuir para um verdadeiro debate de ideias, algo que em Portugal é muito raro? Será que estarei a dar em maluco?

Esperando que a última não seja verdade, tenho a vos dizer meus amigos que estão enganados. A razão mais simples, e muito mais feliz, deste meus sentimentos só pode ser verdadeiramente demonstrada por outra parte da minha personalidade. Que é baseado em alguém que muitos de vocês reconhecerão facilmente. Apresento-vos o anunciante deste post:

Eu estou a vê-lo! Ele está a chegar. Meus amigos, agitem as bandeiras, com determinação e força. Façam-no ver o nosso empenho e dedicação. Eu estou a vê-lo. Ele está a entrar. Demonstremos a nossa união e o nosso apoio gritando a uma só voz. E o que é isto? Ele não está sozinho? Ele vem acompanhado! Meu Deus, eu não aguento. Isto é demais para mim. Camaradas/Companheiro/as, tenho o enorme prazer de anunciar que a blogosfera lusófona acolhe de novo um dos seus filhos mais pródigos.

É ele que chegou! E não veio sozinho


Está de volta à Blogosfera no Clube das Repúblicas Mortas.

E não veio sozinho...

Diogo Moreira

Associações que não se devem fazer

A Esquerda Net publicou uma adaptação do famoso anúncio da Antena 1 que pôs a blogosfera lusa em polvorosa, e que originou um debate no Twitter e nos blogues, a vários níveis surreal. E digo isto, apesar de ter enorme apreço pelas várias pessoas que nele intervieram. Faço a ressalva, óbvia, de que todos têm direito à sua opinião. Mas algumas opiniões expressas fazem algumas associações que, a meu ver, deturpam o debate.

Tudo parece começar com este post de Vasco Campilho no 31 da Armada, em que se pergunta o que o Bloco de Esquerda tem contra os trabalhadores eslovacos, visto que o facto duma empresa portuguesa ter sido deslocalizada para a Eslováquia é transformada num apelo à manifestação do 1º de Maio.

Em resposta, Carlos Santos publica o seguinte post:

Com a falta de coerência que se lhe conhece, Vasco Campilho, PSD do 31, vem dizer aqui que a crítica do Bloco à deslocalização de empresas para a República Checa supõe um ódio do bloco pelos checos. Pergunta mesmo, o que tem o BE contra os checos. Não pode o PSD ser mais sério? (...)

Como eu tinha dito no início, toda a gente tem direito à sua opinião e a exprimi-la como quiser. Discordo na interpretação que Carlos Santos faz deste post de Vasco Campilho. Mas isso é uma questão de opinião, e faz parte do debate político acalorado. Se bem que isso facilmente se transforma numa conversa de "surdos"...

O meu problema particular é com uma associação que Carlos Santos faz neste post (e que repete noutro), que acho que não deve fazer parte dum debate que se quer lúcido e inteligente. É a associação entre a militância partidária de Vasco Campilho, as opiniões que ele exprime e as opiniões do seu partido. Não se devem confundir as opiniões dum militante, que é uma pessoa individual que pensa pela sua própria cabeça e que tem as suas próprias opiniões, com um partido, em que só os seus órgãos nacionais possuem a legitimidade para falar pelo próprio.

Eu sou militante do PS. Isso é público. Agradecia que não confundissem as minhas opiniões com as opiniões do próprio PS, como agradecia que não pensassem que eu apoio incondicionalmente tudo o que é decidido no Largo do Rato.

Eu sou uma pessoa livre. Que pensa pela própria cabeça. E sei que Vasco Campilho, Carlos Santos, e já agora Afonso Azevedo Neves, também o são.

[e Carlos, o Afonso Azevedo Neves (31 da Armada; A Grande Alface) não é o André Azevedo Alves (O Insurgente).

Diogo Moreira


 

terça-feira, março 24, 2009

Hino do PS francês. Ici et maintenant. Aqui e agora. Now and here.



Gosto particularmente deste hino. Porque fala do aqui e do agora. E dos indivíduos e do que nós podemos / devemos fazer hoje, já.

Finalmente, ele regressou!

O retorno mais aguardado de sempre da blogosfera lusófona!

Henrique Raposo está no Clube das Repúblicas Mortas.

E não veio sozinho.

Quando virem quem o acompanha, não vão acreditar...

Desejo as maiores felicidades ao vosso blog. Que fiquem cá para sempre!

Abraço,

Diogo Moreira

Outro atentado à memória cultural deste país


Parece que se está a tentar demolir a casa nas fotografias.
Esta foi projectada pelo arquitecto António Varela e decorada em parceria por Almada Negreiros.
Na qualidade de cidadãos preocupados deste país, cansado de assistir à destruição de património insubstituível devemos assinar esta petição que procura a sua salvação, petição desencadeada pela Ordem dos Arquitectos.
http://www.petitiononline.com/Alcolena/
Temos de parar com estes atentados.

segunda-feira, março 23, 2009

O melhor desta nação...


Quim, o nosso Guardião.

Taça


convidada

COM VITAL E SÓCRATES, PS INICIOU VOLTA À EUROPA

Oficialmente, o início da campanha para as eleições europeias está marcado para 25 de Maio deste ano. Na prática já foram dados os primeiros passos no Congresso do PS em Espinho, com a apresentação pelo Secretário-Geral, José Sócrates, do cabeça de lista às Europeias pelo Partido Socialista. Vital Moreira.

Todos sabemos que quem se apresenta primeiro fica desde logo mais cedo sujeito a maior exposição e, necessariamente, durante mais tempo. Para o melhor e para o pior. É, reconheça-se, preciso alguma coragem! Pois, Vital Moreira não tem medo. Vai à frente, portanto. Tem tempo, por isso, para ir conhecendo o terreno e começar a consolidar a sua mensagem e o seu projecto. E faz bem e o PS também em arrancar cedo para a estrada.

Os eleitores precisam de começar a familiarizar-se com a Europa e com as eleições europeias e a importância de que as mesmas se revestem para o interesse nacional.

Tem sido comum o desinteresse dos portugueses em participarem nas eleições europeias e é necessário contrariar esse sentimento e combater a abstenção. É preciso, por isso, desde cedo, motivar e sensibilizar o país para as questões europeias. É esse o caminho que o PS já iniciou quando Vital Moreira subiu ao palco no Congresso do PS em Espinho. Deu o primeiro passo e já está a construir a sua equipa e, consequentemente, o seu projecto. Assim, já conquistou a dianteira e cativou a atenção dos portugueses, e entalou Manuela Ferreira Leite que se está a ver em palpos de aranha para conseguir descortinar um candidato que se possa medir minimamente com a dimensão política e intelectual de Vital Moreira.

O segundo passo foi dado este sábado, 21 de Março, em Coimbra, na primeira sessão de apresentação pública do candidato do PS às Europeias. Vital Moreira, no seu discurso, salientou que as próximas eleições europeias são as mais importantes de sempre pela actual situação de crise financeira mundial.

Fez bem o PS em querer envolver todos os portugueses, desde cedo, a participarem nesta volta pela Europa, da qual todos fazemos parte!

Clara Pinto

sábado, março 21, 2009

40 / 60: IGUALDADE E PARIDADE

Porque há cerca de um ano e de 70 "posts" que escrevinho para este blog, deixo aqui um desejo - MELHOR, UM VOTO - relativo a igualdade e paridade entre sexos:


40 / 60



Lei Socialista de Zapatero: fixa os limites percentuais inferior (40%) e superior (60%) para a representatividade de cada sexo em todo e qualquer órgão de poder. Gostaria que um dia fosse Lei Socialista, em Portugal. É urgente que seja hoje. Porque é urgente a igualdade. Porque o Partido Socialista precisa dos votos femininos. Hoje mais do que nunca.


Simone Weil


sexta-feira, março 20, 2009

A Biografia de uma grande Senhora, escrita por uma grande Senhora

Chegou às Livrarias em finais de Fevereiro. Está em 3º lugar em número de vendas, na FNAC / Colombo. Para quem se interesse pela nossa História, este é um livro fundamental, que articula a vida quotidiana de uma Rainha na Corte Portuguesa com os macro-acontecimentos europeus, brasileiros e mundiais, num discurso solto, elegante, vivo e colorido por detrás do qual se entrevê uma profunda pesquisa e uma honestidade intelectual ímpar.

Li-o em duas penadas. Aconselho-o a todo o público e, de um modo particular, a jovens liceais, para que a História de um Povo se não apague.



D. Maria I biografada por Luísa Viana Paiva Boléo

Sinopse:

Nasceu princesa da Beira, a 17 de Dezembro de 1734, mas ficou para a História como D. Maria I, a Rainha Louca. Na sua conturbada vida, viveu o horror da destruição do terrível terramoto que abalou a capital em 1755, viu o seu pai, D. José I, sofrer um atentado, assistiu à execução de alguns nobres que foram acusados de conspiração, sofreu atormentada a pressão e a crueldade do marquês de Pombal, homem de confiança de seu pai, mas teve forças para o confrontar e afastar do poder. Em pouco mais de dois anos, viu morrer o seu querido marido, D. Pedro III, o filho primogénito e herdeiro da coroa, a sua filha e o genro espanhol, e o seu confessor Frei Inácio de São Caetano. Estes acontecimentos, aliados aos tempos conturbados que se viviam na Europa, graças à Revolução Francesa, marcaram de forma dramática a vida de D. Maria I e foram-lhe roubando a paz de espírito e a sanidade mental. Em 1792, considerada incapaz de governar por sofrer de doença mental, vê-se afastada do poder, dando lugar ao seu filho, D. João VI. Com ele embarca para o Brasil sob a ameaça das invasões francesas. É em terras de Vera Cruz que morre, em 1816.

© A Esfera dos Livros, Rua Garrett, n,º 19 - 2º A, 1200-203 Lisboa
Telef: 21 340 40 60 | Fax: 21 340 40 69

segunda-feira, março 16, 2009

De que se fala quando se fala em perda de valores na sociedade actual?

. . . muito resumidamente, fala-se dos meios e das formas utilizados, com mais ou menos intensidade e frequência, para atingir fins socialmente respeitados e enaltecidos. As expectativas de mobilidade social ascendente aumentaram, felizmente, com a democracia conquistada depois de Abril de 74.

Ora, antes de 74/75, para conseguir ascender socialmente, um filho do proletariado tinha de seguir os caminhos - "tirar" um curso superior - e de cumprir as regras conviviais de cortesia e urbanidade impostos pelas classes dominantes e, ainda, de enaltecer o valor "mérito" associado à ascenção da burguesia, ou seja, passava por processos de aprendizagem mais intensivos e mais tardios do que um filho da burguesia. Dispendia mais energia e fazia-o menos precocemente que este. A mobilidade social individual era darwinista, venciam os mais fortes (ou os mais aptos...). Acrescente-se que o filho do proletário era educado dentro da família num quadro de uma moral estrita, disciplinada, frequentemente austera e ancorado no valor "trabalho", o que em muito ajudaria à interiorização de novas aprendizagens.

Ao filho da burguesia eram-lhe permitidas (nalguns casos, noutros, muito pelo contrário)mais "liberdades" e menos disciplina, porquanto o patamar social de partida era mais elevado. Muitos andaram a estudar enquanto boemiavam, não acabando - quantas vezes! - os cursos. Funcionava então o processo de "apadrinhamento" e lá se arrumava o rapaz, com curso inacabado, num banco ou numa empresa, via "cunha".

Com Abril, a generalização das expectativas de mobilidade social a um mais amplo leque de pessoas, aliada a um certo modo ocidental de olhar e de praticar liberdades burguesas - a partir de um determinado momento histórico, em nome do princípio narcisista do "prazer" nombrilista - e, ainda, conjugada com a hiper-mediatização do valor "sucesso" como finalidade social a alcançar, viria a alterar meios e modos de e para a ascenção social. Na década de 80, em Portugal, o automóvel começa a ser desejado já e agora; no século XXI, se o Pai não é rico vai-se ao BES, não importa a imprevisibilidade do pagamento das prestações; concomitantemente, o cumprimento das regras conviviais é trocado por um vazio nas trocas sociais de palavras e de gestos no quotidiano, uma vez que as formas de tratamento deixam de ser pessoalizadas ("bom dia, Senhor Joaquim", dizia-se ao entrar na mercearia) tendo-se deixado cair o tratamento pessoa a pessoa (passou a dizer-se, simplesmente "bom dia") e, mesmo este, quantas vezes é omisso!

Pode, por conseguinte, falar-se de um certo grau de "desvio social" no sentido que Merton dá ao conceito, já que, para atingir fins socialmente desejáveis - o "sucesso" - são percorridos caminhos não desejáveis mas permitidos, como o são o facilitismo nalgum Ensino Superior (e talvez mesmo no decurso do Ensino Secundário), o carreirismo nos partidos políticos (carreirismo quando se trata de subir no aparelho, ainda que as convicções sejam pouco fortes) o endividamento dos indivíduos e das famílias, a desagradabilidade no trato pessoal.

Neste cenário generalizado dos pequenos e quase surdos, porque permitidos, "desvios sociais" podem observar-se, qual tubarões a emergir no imenso mar turvo, enormes picos de grandes desviantes sociais - igualmente permitidos, até que as carecas lhes sejam postas a descoberto - como o são grupos financeiros que viveram de fraudes. E é destes que é feita a história, nos jornais, omitindo-se o pano de fundo - todos nós, ao fim e ao cabo - que somos coniventes sempre que fechamos os olhos a um diploma ou a um cargo conseguidos sem mérito ou a uma atitude de falta de cortesia para com uma pessoa, seja ela quem for. Um detalhe ínfimo: andamos todos e cada um a esquecermo-nos de tratar cada um pelo seu nome, quando enviamos emails - correio electrónico. Apesar de não ser nada difícil iniciar uma carta que vai seguir por correio electrónico por:

Maria, bom dia,

.............................


para não perdermos as pessoas, cada pessoa, na multidão, nas massas, no incógnito.

Há modos e modos de fazer. Há meios lentos e há meios rápidos para atingir fins. E, por outro lado, há media que, por definição, são rapidíssimos, como o são os emails. Bem podíamos dar-lhes um pouco da lentidão que as pessoas merecem. Tempo. E saborear o Nome do Outro, ao escrever:

M a r i a, bom dia,

............................

domingo, março 15, 2009

Ainda sobre os professores

Na sequência do post anterior só tenho mais um ponto a acrescentar, partindo da notícia do Público: Para isto já têm tempo e formação! Bendita avaliação que aí vem. Que atraso de vida se estão a tornar…

Actualizar-me é que não…

Uma professora dá aulas a uma turma. Recebe uma pen drive com a qual pode fazer um update a um software que está num computador (no caso, os erros do Magalhães) enquanto vai dando a matéria ou promovendo a actividade normal de uma aula do 1º ciclo. Não parece nada de transcendente. Presumo que o update será colocar a pen drive na porta USB e, quanto muito" dar uns cliques (mas como o software é Linux, fico-me pelo "presumo"). Situação normal?

Não. Situação motivadora de um coro de protestos. Acham que os tornaram em técnicos de informática. Uma vergonha o que este governo está a fazer.

No século XXI temos professores (não estamos a falar de qualquer um, estamos a falar de uma classe social que ensina os que serão o nosso futuro) que não evoluíram e que reclamam quando os põe a mexer com computadores. No século XXI. Não é piada, é mesmo assim.

Enfim, que dizer? É esta a classe docente que temos no 1º ciclo? Ainda bem que não tenho filhos

quarta-feira, março 11, 2009

Dia Internacional da Mulher - Update

Update do Dia de Acção Europeu sobre o Dia Internacional da Mulher.

Já tinha destacado, no último email, o relato da Ana Elisa (de Leiria) e a reportagem alargada de Budapeste e identificado os seguintes links (1) blog do PES com as informações gerais; (2) apreciações de sexta-feira; sábado (aqui e aqui); e Domingo; (3) Posts e fotos no Loja de Ideias e Les Canards Libertaires e ainda o meu Twitter; (4) Posts de Budapeste; Vilnius e Paris. A estes eventos acrescento agora os eventos da Eslovénia, de Génova e de Espanha.

Por fim, gostaria de individualizar o excelente report da Clara Pinto sobre a sessão do Palácio Foz, onde foi apresentado o «Portal para a Igualdade» e lançada a «Campanha sobre a Tomada de Decisão».

Convido-os, aliás, a lerem este último post da Clara Pinto e a comenta-lo.

Não me parece que haja mais algum Partido político (europeu) que tenha esta capacidade organizativa de organizar eventos à escala europeia. Não conheço.

Só mesmo o Partido dos Socialistas Europeus.

terça-feira, março 10, 2009

Inveja

São 23:21 e ainda estou no trabalho! Que inveja dos meus amigos sportinguistas que neste momento estão a a dormir depois de uma tremenda bebedeira...


segunda-feira, março 09, 2009

Dias de Acção Europeia I - Dia Internacional da Mulher

Meus caros,

Como sabem, o Partido Socialista Europeu está a promover «Dias de Acção Europeia» (European Days of Action - EDA), iniciativa inédita e inovadora que procura promover acções de campanha com dimensão europeia.

Neste sentido, foi organizado este fim-de-semana o primeiro destes EDA’s, aproveitando-se o Dia Internacional da Mulher. Foi criado um canal europeu para acompanhar os diversos eventos, e, de um pouco por toda a Europa, chegaram relatórios, posts, fotos do que os diversos partidos socialistas e sociais-democratas foram organizando.

Do muito que aconteceu destaco relato da Ana Elisa (de Leiria) e a reportagem alargada de Budapeste (onde esteve a Zita Gurmai, o Poul Nyrup Rasmussen, o Julian Scola e alguns membros do PES, bem como alguns activistas internacionais – entre os quais eu). Estas iniciativas vão ser repetidas em Maio, com outros temas (em altura própria receberão mais informação)

Deixo alguns links:

1 - blog do PES com as informações gerais.
2. Apreciações de sexta-feira; sábado (aqui e aqui); e Domingo
3. Posts e fotos no Loja de Ideias e Les Canards Libertaires e ainda o meu Twitter.
4. Posts de Budapeste; Vilnius, Romenia e Paris.

Do melhor que tenho visto.

É transversal, não é?

domingo, março 08, 2009

Mulheres (Martinho da Vila)

A Ler

The center moves left, por Andrew Sullivan, no The Atlantic
Portugal's Offer to Take in Gitmo Inmates, por Jeff Israely com Martha de La Cal / Lisbon, na Time

Dia da Mulher

Vivendo por Elas, contra Elas, com Elas...

Sem elas não passamos...

Esse ser que nos povoa as fantatasias,
Que nos exalta as emoções,
Que desperta em nós Homens
Sentimentos sem explicação.
Que se viva então
Na perfeita harmonia
Na humildade e convicção
De que Elas,
Mulheres,
Têm toda a nossa admiração...

Um beijinho a todas...

A Lista continua a aumentar…

Ontem, Luís Filipe Meneses adicionou à lista de putativos candidatos a candidatos ao primeiro lugar da lista do PSD para as Europeias 2009 mais dois nomes. O antigo líder do partido sugeriu Francisco Balsemão, na sua qualidade de militante nº.1, ou o Presidente da CAP (já agora, o nome dele é João Machado). Recapitulando, temos:

  • Pedro Passos Coelho
  • Marcelo Rebelo de Sousa
  • Marques Mendes
  • Francisco Balsemão
  • Presidente da CAP (João Machado)

Bem, nós temos o Professor Vital Moreira…

Novo lojista

Esta loja acaba de aumentar o número de lojistas. Talvez por ser o Dia Internacional da Mulher (ou então não tem nada a haver com isso, sendo somente uma feliz coincidência) a Loja acaba de contratar os serviços da Patrícia (Se repararem na área de Contribuidores, verão que aparece lá o nome Patrícia Castelo). Em nome dos Lojistas residentes, as nossas boas vindas!

sábado, março 07, 2009

Change! (a little bit more)

Barack Obama vai levantar as restrições impostas pela Administração Bush à investigação de células estaminais na próxima segunda-feira. Com mais esta opção, Barack Obama dá mais um sinal de que a mudança chegou à Casa Branca, ao contrário daqueles que após perceberem o resultado que ia (como veio) a acontecer no passado dia 4 de Novembro de 2008, se apressaram a dizer que na realidade pouco iria mudar na política americana. O fecho de Guantanamo, as restrições aos lobbies, o périplo de Hillary Clinton pelo Médio Oriente bem como as suas (importantíssimas) declarações em relação ao conflito israelo-palestiniano e em relação ao papel do Irão, a reaproximação à Rússia e as células estaminais (só para nomear algumas medidas). Isto claro, sem deixar de actuar no combate À crise mundial, cujos resultados das suas acções só se verão mais tarde.

Com isto tudo, acho que já é seguro dizer-se que realmente a mudança chegou, embora seja preciso continuar a mesma.

Além disso, e numa nota mais virada para o consumo interno, Barack Obama promoveu tudo isto enquanto combatia a crise.

Algo que a oposição alguns políticos e comentadores portugueses esforçam-se por esquecer. É que há mais vida para além da crise.

Descoberta Inútil?

"Cientistas podem ter descoberto causa dos cabelos brancos"

Uma descoberta extremamente útil, principalmente para homens como George Clonney ou Richard Gere cujo charme é muito induzido pelos seus cabelos…

PES in Budapest. Turning Europe in a new direction

you can see all the PES activities live here.
Sebastian is twitting from Germany; Aleksandre is in Paris; me, Rikke and PES Women are in Budapest.

Women's Day - Budapest (2)

Budapest


twitting from Budapest




    follow me on Twitter


    Budapest

    Amanhã, vou estar em Budapeste para um evento organizado pelo Partido Socialista Europeu e pelo Partido Social-democrata Hungaro. Estarei a twittar durante o dia (como o fiz em Bucarest); agora com a particularidade de o fazer em simultaneo para a toda a Europa, via o canal do PES.
    Convido-o a acompanharem o evento.

    sexta-feira, março 06, 2009

    Sem dúvida de esquerda

    Foi hoje aprovado no Parlamento o projecto do PS que altera a lei das uniões de facto. Esta proposta, que entre outras coisas prevê "que em caso de morte de um dos elementos, o outro tem direito a residir na casa de morada de família e ao uso do recheio, dando o direito de preferência no arrendamento ou compra, passado um mínimo de cinco anos", foi hoje aprovada com os votos do PS, PCP, BE e Os Verdes.

    Pelo menos nesta proposta ninguém tem dúvida que é de esquerda!

    Sondagem SIC/Expresso/RR


    Legislativas - projecção (%) Março 2009
    PS - 39,0
    PSD - 28,3
    CDU - 9,6
    CDS/PP - 7,7
    BE - 10,4
    Outro - 5,0

    Mais informações aqui.



    quarta-feira, março 04, 2009

    Sabemos pelos outros, mas sabemos

    O Diogo Moreira vai estar no programa Edição Internacional, da Rádio Renascença, a debater a visita de Gordon Brown a Washington, o périplo de Hillary Clinton pelo Médio Oriente e as eleições na Galiza e País Basco com o Bernardo Pires de Lima , do 31 da Armada.

    Claro que tivémos de saber isso pelo 31 da Armada, mas o Diogo decerto que não escreveu aqui porque foi muito em cima da hora, e estava sem acesso à .net

    A Indecisão

    Como era esperado, quer a esquerda quer a direita andam entretidos a atacar Vital Moreira. Para uns, é um potencial ditador de direita, para outros um fraquíssimo homem de esquerda. Nesta altura, o CDS nada diz sobre as europeias, o PSD anda entretido a tentar empurrar uns e outros para a Europa (conforme as tendências), do PCP nada também nada se sabe, como é habitual, e o BE presume-se (mas ainda não foi confirmado) que o cabeça de lista se mantém.
    Com um cenário destes é caso para perguntar: Decidam lá a vossa casa e depois ataquem à vontade.
    De qualquer forma, noto que ainda ninguém percebeu uma das grandes vantagens de ter uma pessoa como Vital Moreira como cabeça de lista.

    Anunciem os vossos cabeças de lista que eu depois opino sobre uma das maiores vantagens.

    segunda-feira, março 02, 2009

    Vital Moreira is nº. 1 in the Portuguese list to the European Elections.







    PES activists Portugal had the opportunity to be at the Portuguese Socialist Party Congress. This Congress was held this week-end in Espinho, in the north of Portugal, and we had the pleasure of sharing a stand with PES. We printed some materials (namely the cubes in Portuguese) and it was with joy that we saw the vast interested in our work, in the European dimension of politics and in the next European campaign.
    The Congress was general dominated by internal politics. And that was expected, as 2009 will be the «year of all elections». Nevertheless, the Portuguese Socialist Party took the opportunity to announce his top candidate to the European Elections Saturday night. And, after some speculation, the Portuguese socialist party announced Vital Moreira as the next head of the list to the present at the Europarliament elections, next June.
    After some days of expectation, the name of Vital Moreira surprised only because he was not one of the regularly names indicted by the Portuguese media, as were the ones of Luis Amado, Freitas do Amaral or Edite Estrela. We taked with José Lello, responsible for the International Relations of the Portuguese Socialist party, and a member of the PS Secretariat, that said that it was the «right, coherent and influent choice». We agree.
    Vital Moreira is a known academic from Coimbra University, specialist in Constitutional Law, with a long record of public intervention on the area of democratic socialism and in the blogosphere (he is one of the main authors of Causa Nossa, an important collective blog in the Portuguese blogosphere community; Ana Gomes, Portuguese MEP also writes in Causa Nossa). Although today he presents himself as an independent scholar and left wing political commentator, his personal political evolution drove him from the orthodox Portuguese Communist Party in the mid-70’s to the democratic socialism in the 90’s.
    Vital Moreira said, in his acceptance speech, that it was the right time to accept the invitation of José Socrates, as today Europe has the opportunity to change and to move from the right wing politics that have been dominated the European political landscape towards a new direction that could bring a more balanced and socially aware Europe. A direction lead by the socialists, social-democrats and labour political forces.
    Joel Hasse Ferreira, Portuguese MEP, commented that «Vital Moreira is a positive choice, as he is someone with high intellectual capacity, a profound knowledge of European affairs and a personal parliamentary vocation. He is highly competent in the domain of European construction and has high social and economical sensitivity, important to deal with European issues».
    The presentation of Vital Moreira was the main European headline from the Congress of the Portuguese Socialist Party; a Congress that reelected José Socrates as the leader of the party and that gave him all the conditions to present himself the at the general elections later on the year. In his speech, Socrates reminded the importance of the European elections in the context of the Portuguese political cycle. Portugal will held, in 2009, European, General and Local elections.
    As for the PES activists stand, we claim success, as we finished all our material (PES cube in 3 formats and postcards) and managed to obtain more than 150 new inscriptions.

    [post also published in PES yourspace and Les Canards Libertaires]

    domingo, março 01, 2009

    A Dignidade do Congresso

    Ontem à noite houve uma falha de energia que obrigou a que o congresso do PS tivesse que encerrar os trabalhos por volta das dez e meia da noite, em vez da hora normal das 2/3 da manhã. Obviamente, isso significou que vários delegados não puderam falar ao congresso, usando os três minutos de que dispõem. Seria natural que o congresso no dia de hoje tivesse que se prolongar para permitir que esses delegados inscritos pudessem usar da palavra.

    No entanto, o meu camarada Vitalino Canas disse às câmaras de televisão que o congresso encerraria com o discurso de José Sócrates por volta da uma da tarde de hoje, e pedia compreensão aos delegados que assim não poderia falar ao congresso. Mais tarde, Almeida Santos rectificaria essa posição de Vitalino Canas dizendo que seria feito o máximo esforço para que todas as pessoas inscritas pudessem falar. Penso que essa posição é a única sustentável à luz dos princípios do PS.

    Mas este episódio levanta dúvidas sobre o papel do congresso do partido na lógica institucional do PS.

    Sabemos que do ponto de vista mediático, os congressos são eventos planeados para o exterior, para a comunicação social, de forma a apresentar as principais linhas do partido ao país. Mas tal função de mediatismo não pode ofuscar a importância do congresso como órgão máximo do partido.

    Apenas dois órgãos são escolhidos por votação entre todos os militantes do PS em eleição directa. O secretário-geral e os delegados ao congresso.

    O congresso é o órgão máximo do PS! Os seus delegados aprovam a moção global de estratégia do partido até ao próximo congresso, e elegem a comissão nacional que é quem vai nomear a comissão política e o secretariado do partido. E mais do que isso, os delegados eleitos representam directamente todos os militantes. E falam pelos militantes.

    Mesmo que estejam a falar para uma sala quase vazia, mesmo que utilizem os seus minutos para declamar poesia à Edite Estrela, ou para cantar o "malhão malhão". Eles são os representantes de todos os militantes.

    É preciso respeitar isso!

    Diogo Moreira

    As Credenciais de Vital Moreira

    Não estão em causa os méritos, reconhecidos por todos, de Vital Moreira como um excelente constitucionalista ou até mesmo como um dos mais famosos bloggers da nossa praça. Ele é a escolha de José Sócrates para cabeça-de-lista do PS às eleições do Parlamento Europeu (PE) e será certamente ratificado pela comissão política que sairá eleita hoje.

    No entanto, houve uma frase que Vital Moreira disse aos jornalistas ontem, depois do anúncio da sua escolha, que me deixou francamente preocupado sobre se Vital Moreira realmente conhece o partido pelo qual vai ser cabeça-de-lista.

    Vital Moreira disse que tinha credenciais suficientes como académico (!) e comentador político (!) para ser bem sucedido como candidato do PS ao PE.

    Credenciais de Académico? Credenciais de comentador político? Para se ser candidato do PS a eleições???

    Como diz um amigo meu, isto é (ainda) o Partido Socialista!

    No PS, não existem honoríficos académicos ou de outra tipo (não existe os doutores, os drs, os engenheiros, as excelências, etc..). Somos todos camaradas. O único título que se acrescenta quando se está a falar de ou com camaradas é o cargo partidário (e é raro). José Sócrates não é o engenheiro José Sócrates no PS, é o camarada José Sócrates ou o camarada Secretário-Geral.

    E obviamente que os cargos políticos não são mencionados em reuniões partidárias. Não existem ministros ou deputados em reuniões do partido. Existem apenas camaradas. O contrário seria confundir o partido com o Estado.

    E isto não é apenas uma questão de estilo ou de semântica. Na raiz do tratamento "camarada" como a única forma de trato aceitável no Partido Socialista está um conceito fundamental da militância socialista e da social-democracia: a igualdade de todos os militantes dentro do PS!

    Não interessa se uma pessoa é rico ou pobre, está empregado ou desempregado, é um académico/comentador político ou um cidadão anónimo. Todos somos iguais dentro do partido.

    Aliás, esta igualdade está também na génese da própria democracia. Todos os cidadãos são iguais. Os seus votos valem o mesmo e todos se podem candidatar a eleições.

    É candidato do PS a eleições quem os órgãos do partido decidirem que é candidato. Esta é a única condição para ser-se candidato pelo PS. Ter a confiança do partido.

    Essa ideia de Vital Moreira de que o facto de ser académico ou comentador político dá-lhe condições para desempenhar bem o cargo, é a mesma coisa que dizer que pessoas que não são académicos ou comentadores políticos não teriam condições para desempenhar o cargo? É esse o intuito por detrás da sua frase?

    A bem do PS e do próprio Vital Moreira, espero que tenha sido uma frase infeliz. Porque basta percorrer na história do PS e doutros partidos quantos foram os candidatos que eram académicos e/ou comentadores políticos para ver o ridículo.

    Já sabíamos que os comentadores políticos vivem num mundo sobre si mesmos, falam uns para os outros, e muitos parecem que estão noutro planeta. O mesmo se pode dizer dos académicos.

    Nunca pensei é que essa cegueira fosse tão grande.

    Diogo Moreira

    Convidados Indesejáveis

    José Lello afirmou que o PS tinha convidado representantes de vários partidos socialistas, sociais-democratas e trabalhistas para o seu congresso que agora está a decorrer. Entre esses convites, estariam o MPLA de Angola, o PSUV de Hugo Chavez e o Partido Comunista Chinês.

    Estou absolutamente espantado que o meu camarada José Lello considere partidos de regimes ditatoriais (como o regime totalitário chinês ou a ditadura de José Eduardo dos Santos) ou partidos cujas acções estão claramente a pôr em causa a democracia no seu país (como é o caso do partido de Hugo Chavez), como sociais-democratas. A social-democracia, corrente ideológica do PS, nasceu para combater todas as formas de autoritarismo, e sempre teve a democracia como o único mecanismo para resolver questões políticas. Os sociais-democratas não são revolucionários e não impomos os nossos ideais pela força!

    O PC chinês, o MPLA de Angola e Hugo Chavez não são sociais-democratas. Nem sequer são democratas.

    Por isso, não consigo compreender como é que o congresso dum partido democrático como o PS aceita ter como convidados de honra, representantes de regimes autoritários que oprimem as suas respectivas populações. A sua presença no órgão máximo do PS, perante delegados eleitos em processo democrático por todos os seus camaradas, é um insulto a todos aqueles que no PS lutaram pela implantação da democracia em Portugal.

    Sabemos por Nuno Gouveia que os representantes do partido de Hugo Chavez não vieram a Portugal, e que os representantes do regime totalitário chinês foram aplaudidos pelo congresso (!!!). Mesmo que tenham sido apenas aplausos de circunstância, na minha opinião é um acto vergonhoso. O PS defende a democracia. Não aplaude ditadores ou os seus representantes.

    Tendo ouvido várias vozes a dizer que era necessário convidar estes indivíduos ao congresso do PS de forma a continuar a assegurar boas relações de Portugal com os respectivos países. A meu ver, argumentos como este representam uma concepção distorcida do que é um partido em democracia, mesmo quando está no poder.

    Nos regimes autoritários, é normal que o partido dominante (ou único) seja confundido com o próprio Estado. Serão uma e a mesma coisa.

    Em democracia, os partidos que estão no poder, que é sempre transitório, nunca se podem confundir com o Estado!

    Portugal pode sentir a necessidade de ter boas relações diplomáticas com ditaduras. Isso é uma questão de política externa, definida pelos órgãos de soberania da República. Em nenhuma circunstância podem as acções do Estado português ser confundidas ou influenciarem acções partidárias. Da mesma forma que é inadmissível que interesses meramente partidárias possam influenciar as acções do próprio Estado.

    O PS é uma coisa. O governo de Portugal é outra.

    Quem não consegue compreender isto, não percebe o que é o PS ou a democracia.

    Pesquisar neste blogue