sexta-feira, março 20, 2009

A Biografia de uma grande Senhora, escrita por uma grande Senhora

Chegou às Livrarias em finais de Fevereiro. Está em 3º lugar em número de vendas, na FNAC / Colombo. Para quem se interesse pela nossa História, este é um livro fundamental, que articula a vida quotidiana de uma Rainha na Corte Portuguesa com os macro-acontecimentos europeus, brasileiros e mundiais, num discurso solto, elegante, vivo e colorido por detrás do qual se entrevê uma profunda pesquisa e uma honestidade intelectual ímpar.

Li-o em duas penadas. Aconselho-o a todo o público e, de um modo particular, a jovens liceais, para que a História de um Povo se não apague.



D. Maria I biografada por Luísa Viana Paiva Boléo

Sinopse:

Nasceu princesa da Beira, a 17 de Dezembro de 1734, mas ficou para a História como D. Maria I, a Rainha Louca. Na sua conturbada vida, viveu o horror da destruição do terrível terramoto que abalou a capital em 1755, viu o seu pai, D. José I, sofrer um atentado, assistiu à execução de alguns nobres que foram acusados de conspiração, sofreu atormentada a pressão e a crueldade do marquês de Pombal, homem de confiança de seu pai, mas teve forças para o confrontar e afastar do poder. Em pouco mais de dois anos, viu morrer o seu querido marido, D. Pedro III, o filho primogénito e herdeiro da coroa, a sua filha e o genro espanhol, e o seu confessor Frei Inácio de São Caetano. Estes acontecimentos, aliados aos tempos conturbados que se viviam na Europa, graças à Revolução Francesa, marcaram de forma dramática a vida de D. Maria I e foram-lhe roubando a paz de espírito e a sanidade mental. Em 1792, considerada incapaz de governar por sofrer de doença mental, vê-se afastada do poder, dando lugar ao seu filho, D. João VI. Com ele embarca para o Brasil sob a ameaça das invasões francesas. É em terras de Vera Cruz que morre, em 1816.

© A Esfera dos Livros, Rua Garrett, n,º 19 - 2º A, 1200-203 Lisboa
Telef: 21 340 40 60 | Fax: 21 340 40 69

3 comentários:

Vera Santana disse...

PARA NÃO APAGAR A HISTÓRIA

Luisa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luisa disse...

D. Maria I também se enquadra nas mulheres no poder que, embora numa monarquia,tiveram e terão durante séculos dificuldade em serem devidamente apreciadas. Vejam o legado desta mulher a quem a loucura abreviou o tempo de governação, leiam o seu legado no livro e certamente vão compreender melhor como ainda pesa sobre as mulheres a discriminação, a dúvida quanto ao seu valor, a suspeita quanto à sua capacidade de governar, de liderar.
Façam a ponte entre o séc. XVIII e XXI e vejam como são tão poucas as mulheres na política. Porquê? Todas sabemos porquê.

Pesquisar neste blogue