domingo, agosto 31, 2008

Campaigning

José --
Over the last week this race has been transformed. Barack named Joe Biden as his running mate, and they accepted the Democratic nomination at our historic open convention in Denver. Our team is complete, and our movement is growing rapidly. But now we are facing our first major challenge together. The August financial reporting deadline is tomorrow at midnight, and we have an opportunity to show that a campaign funded by ordinary people can go toe-to-toe with the Washington lobbyists and special interests lined up behind John McCain and the Republican Party. Make a donation of $15 or more before midnight tomorrow, and you'll receive a first edition Obama-Biden car magnet.

Thanks,
Obama for America
P.S. -- The deadline is midnight tomorrow, August 31st.

An Open Letter to God, from Michael Moore

An Open Letter to God, from Michael Moore

Sunday, August 31st, 2008

Dear God,

The other night, the Rev. James Dobson's ministry asked all believers to pray for a storm on Thursday night so that the Obama acceptance speech outdoors in Denver would have to be cancelled.

I see that You have answered Rev. Dobson's prayers -- except the storm You have sent to earth is not over Denver, but on its way to New Orleans! In fact, You have scheduled it to hit Louisiana at exactly the moment that George W. Bush is to deliver his speech at the Republican National Convention.

Now, heavenly Father, we all know You have a great sense of humor and impeccable timing. To send a hurricane on the third anniversary of the Katrina disaster AND right at the beginning of the Republican Convention was, at first blush, a stroke of divine irony. I don't blame You, I know You're angry that the Republicans tried to blame YOU for Katrina by calling it an "Act of God" -- when the truth was that the hurricane itself caused few casualties in New Orleans. Over a thousand people died because of the mistakes and neglect caused by humans, not You.

Some of us tried to help after Katrina hit, while Bush ate cake with McCain and twiddled his thumbs. I closed my office in New York and sent my entire staff down to New Orleans to help. I asked people on my website to contribute to the relief effort I organized -- and I ended up sending over two million dollars in donations, food, water, and supplies (collected from thousands of fans) to New Orleans while Bush's FEMA ice trucks were still driving around Maine three weeks later.

But this past Thursday night, the Washington Post reported that the Republicans had begun making plans to possibly postpone the convention. The AP had reported that there were no shelters set up in New Orleans for this storm, and that the levee repairs have not been adequate. In other words, as the great Ronald Reagan would say, "There you go again!"

So the last thing John McCain and the Republicans needed was to have a split-screen on TVs across America: one side with Bush and McCain partying in St. Paul, and on the other side of the screen, live footage of their Republican administration screwing up once again while New Orleans drowns.

So, yes, You have scared the Jesus, Mary and Joseph out of them, and more than a few million of your followers tip their hats to You.

But now it appears that You haven't been having just a little fun with Bush & Co. It appears that Hurricane Gustav is truly heading to New Orleans and the Gulf coast. We hear You, O Lord, loud and clear, just as we did when Rev. Falwell said You made 9/11 happen because of all those gays and abortions. We beseech You, O Merciful One, not to punish us again as Pat Robertson said You did by giving us Katrina because of America's "wholesale slaughter of unborn children." His sentiments were echoed by other Republicans in 2005.

So this is my plea to you: Don't do this to Louisiana again. The Republicans got your message. They are scrambling and doing the best they can to get planes, trains and buses to New Orleans so that everyone can get out. They haven't sent the entire Louisiana National Guard to Iraq this time -- they are already patrolling the city streets. And, in a nod to I don't know what, Bush's head of FEMA has named a man to help manage the federal government's response. His name is W. Michael Moore. I kid you not, heavenly Father. They have sent a man with both my name AND W's to help save the Gulf Coast.

So please God, let the storm die out at sea. It's done enough damage already. If you do this one favor for me, I promise not to invoke your name again. I'll leave that to the followers of Rev. Dobson and to those gathering this week in St. Paul.

Your faithful servant and former seminarian,

Michael Moore
MMFlint@aol.com
MichaelMoore.com

P.S. To all of God's fellow children who are reading this, the city New Orleans has not yet recovered from Katrina. Please click here for a list of things you can do to help our brothers and sisters on the Gulf Coast. And, if you do live along the Gulf Coast, please take all necessary safety precautions immediately.


sábado, agosto 30, 2008

Ainda os Olímpicos

Através do Bruno Sena Martins (Avatares de um desejo) fiquei a saber que o Nelson Évora tentou impedir que Marco Fortes fosse recambiado mais cedo para Lisboa (atitude que lhe dá outra medalha de ouro), mas Vicente Moura não acedeu às pressões de Évora (e decerto de outros atletas). Horas mais tarde, o Presidente do COP estava a abril uma cara garrafa de champagne e a fazer posse junto da medalha de Évora.
Não haverá limite para a hipocrisia desta gente? Não chega o turismo olímpico que, cada 4 anos, fazem? E ainda querem ser reeleitos? Haja vergonha! Haja pejo!
Senhor Moura, demita-se de uma vez (ah, e não vale colocar o filho/a-enteado-nora-irmão-mulher no cargo)

Criminalidade


Gráfico recolhido pelo João Miranda. Parece que está a descer...

Convenção Democrata - Update

1. Denver Colorado, verde, verdejante, Give them Hill, Ana Gomes no Causa Nossa
2. completa rendição a Obama, Ana Gomes in Público
3. Eleições a sério, GV in geometria variavel
4. América, não pudemos voltar para trás, Rita Siza in Público
5. A arma secreta de John McCain, O Inimputável in O Inimputável

Convenção Democrata - McCain on Hillary


Campaigning

José --
On Thursday night, August 28th, Barack Obama accepted the Democratic nomination for President of the United States. More than 80,000 people joined him in Denver to be part of the moment, and tens of millions more shared the experience across the country.
Watch Barack's historic speech and share it with your friends and family today.

This campaign belongs to supporters like you who have built a nationwide movement for change. Thank you for everything you're doing,
Obama for America

O resultado da Convenção



(Clique na imagem para a aumentar)

sexta-feira, agosto 29, 2008

US Open

Rui Machado está agora a jogar o 5º set contra Verdasco, nº 13 do mundo (siga aqui).
[adenda] Rui Machado perdeu por 7-6, 6-7, 4-6, 7-6, 0-6. Sem ter visto o encontro (só online), parece que o português rebentou no último set.

Campaigning

José --
The first time I ever heard Barack speak was at a community meeting on the South Side of Chicago.He won me over with the same message that inspired millions last night.He told people who'd been knocked down that, despite everything, we need to set our sights on a better place around the bend -- and that it's up to each one of us to fight for it.
That's where you come in.More than two million supporters already own a piece of this extraordinary campaign. Will you join them by making your first donation right now? Make a donation of $5 or more today.
Now that the convention is over, time will fly between now and Election Day.
And the next two days are especially important.
The August fundraising deadline is this Sunday at midnight, and we can prove that a campaign funded by grassroots supporters can compete with John McCain and the Republicans.
The past four days in Denver -- and the amazing event last night -- showed the country that Americans are ready for change.Now it's up to each of us to make it happen.
Thanks for everything you're doing,
Michelle

Convenção Democrata - Update

Interlúdio musical

Formados em 2005, os GAZUA são uma banda de rock cantado em português com assento em Lisboa. Cedo arrancaram para os espectáculos ao vivo na procura de uma personalidade sonora, essencial para um grupo que pretende marcar uma vincada posição no panorama musical nacional. O ano de 2007 foi particularmente agitado neste campo com uma recheada agenda de concertos que culminou com a decisão de avançar com a gravação do primeiro disco da banda, a ser editado ainda antes do final de 2007.
As gravações do "Convocação" decorreram nos Estúdios Crossover em Linda-a-velha durante o mês de julho de 2007 e contaram com a participação de João Pedro Almendra (vocalista dos peste-e-sida) num dos temas do disco. À frente da gravação esteve o técnico de som Zé Pedro Sarrufo. Os GAZUA são um power trio constituído por: João, na voz e na guitarra, principiou o seu percurso musical no final dos anos 80 com os Corrosão Caótica, em 97 formou os Carbon H e em 2001 participou nos The No Counts; Paulinho, no baixo, estreou-se tambem no final do anos 80 com os Jardim do Enforcado, no inicio doas anos 90 com os M.A.D. e os Spitz Buben e, actualmente, participa com os Kamones – banda de tributo aos Ramones que conta com a participação de João Ribas (membro dos Tara Perdida e dos Censurados) ; e, por último, Quim, na bateria, iniciou-se tambem no final da década de 80 com os Condenação Pacífica, passando recentemente pelos Civic, que lhe valeu uma experiência no palco principal do Rock in Rio. São um trio no qual cada elemento já conta com muita experiência dentro do panorama musical nacional e que nos Gazua juntam forças para levar este projecto a bom porto.
O universo dos Gazua situa-se entre o Punk Rock e o Rock, com diversas influências que vão desde nomes internacionais como: Suicidal Tendencies, Ramones, Motorhead, Patti Smith, AC-DC, Thin Lizzy a nomes nacionais como: Censurados, Peste & Sida e Xutos e Pontapés. Os textos das músicas falam sobretudo de aspectos sociais que dizem respeito a todos, da interelação inevitável entre as pessoas e a consciência individual do mundo que nos rodeia. O nome do disco "Convocação", é como que um chamamento a todos para procurarem o seu lugar nesta complexa teia onde às vezes é dificil assumirmos o nosso papel.
Depois de uma série de concertos pelo país a promover o primeiro disco, a banda ganha balanço e está já a preparar a entrada em estúdio para a gravação do segundo disco. O estúdio está marcado para o mês de novembro e o lançamento para o início do ano de 2009. Estão todos convocados!!!!!

gazua - festa de lançamento


Video de «Fazia Tudo Outra Vez»

Do outro lado do espelho


1. McCain names Sarah Palin as surprise VP choice (ver ainda aqui). Obama não quis nomear Hillary, McCain nomeia Sarah Palin, a jovem e popular Governadora do Alasca. Escolha interessante, numa clara tentativa de atacar o eleitorado Hillary...

2. já está online o site da Convenção Republicana, e parece que o Nuno Gouveia vai ser enviado especial a Saint Paul, Minneapolis.

A Ler


Analyzing Obama's speech - Analysis: Obama takes on McCain, GOP critics, na CNN

Convenção Democrata - Update


Convenção Democrata - cartoons



Parece que está a correr bem

Ou não?

Convenção Democrata - Update

4. Rescaldo da DNC, Pedro Magalhães in Margem de Erro.

Campaigning

José --
After we walked off the field at Mile High, Barack and I had some official business to attend to -- signing the papers to add our names to the ballots. At that moment, the general election officially began. Since you've been at the core of this campaign every step of the way, we thought you should be there too. Watch this short behind-the-scenes video and make your first donation to the general election now.
This new phase of the campaign will move quickly. By the time you read this, we may even know who John McCain has chosen to be the next Dick Cheney. No matter who it is, it won't change the fact that John McCain simply isn't prepared to bring the change we need. But far more important than McCain's choice is the choice of whether we tackle the general election with the fierce urgency that the stakes demand. And that choice is yours. Please make a donation of $5 or more today.
Thanks,
Joe

Campaigning

José --
This night could not have happened 40 years ago -- or even 4 years ago. And it could not have happened without you. You believed, against the odds, that change was possible. I felt your passion here tonight, and I know it was shared by millions of Americans who are building this movement all across the country. Tonight is your night. But tonight is just the beginning. The general election is going to be faster and tougher than anything we've faced so far. And our opponents will do everything they can to tear us down. I need your support more than ever. Make a donation of $25 or more right now: https://donate.barackobama.com/thebeginning Our party is united. Our purpose is clear. And our goal is in sight.
Thank you for everything you've done,
Barack

Vai ficar esquecido,mas...

Este é um grande, grande discurso!!!


Obama - impressão simples

1. Estou como o Nuno Gouveia, também não me impressionou a intervenção do agora candidato oficial do Partido Democrata.
2. Não gostei da forma como Obama atacou McCain, não porque não fosse bem feita, mas porque o desloca da imagem do político anti-Washington e de uma nova forma de estar na política, prometida por Obama. A postura que apresentou é muito o contrário disso, é política tradicional, dirty politics, muito ao estilo de Washington.
3. O dia de ontem foi de festival, Alive in Denver, concerto-comício com vedetas do Rock & Roll e da política mundial. Foi um espectáculo de consumo imediato, com pouco sumo (na minha opinião, mas não vi o discurso de Al Gore, por exemplo), onde a vedeta principal - Obama - não entusiasmou nem impressionou, dando mesmo a impressão que o candidato da esperança tinha sucumbido ao candidato presidencial pragmático. Vejamos o que fazem os republicanos.
(a continuar)

O Discurso

Convenção Democrática - Update


1. Achei fraco o tributo a Martin Luther King

2. Gostei, embora esperasse mais, do «Yes we can».

3. Dizem que as filas para entrar chegaram a ter 10 km, e vê-se que ainda faltam alguns lugares no terceiro anel (ou será 4º?).

4. Podem assitir a todo no site da convenção.

5. Quanto terão gastado os democratas neste evento? 100 milhões? (lembrem-se que 50 foi o que o governo federal deu só para questões de segurança...). Seria possivel organizar algo mesmo que remotamente semelhante na Europa?

6. Já regresso. A ver se hoje não adormeço...

quinta-feira, agosto 28, 2008

Cenas de Cinema que me marcaram (XIII)

Como estamos numa onda de discursos, aqui vai mais um de Al Pacino, este mais político.

Convenção Democrática


Estes tipos não brincam. Hoje faz 45 anos que Martin Luther King proferiu o célebre «I have a dream speech». Ontem foi o centenário do nascimento de Lindon Johnson. E anteontem, quando discursava Hillary Clinton, fez 88 anos que a 19ª emenda à Constituição Americana permitia às mulheres o acesso ao voto.

Uma grande surpresa.



P.S. - É por estas e por outras que John McCain é o "osso mais duro de roer" que o Partido Republicano podia arranjar.

Rise up to the moment

Primeiro foi o discurso da Carolina do Sul.
Agora a comparação com Martin Luther King.

Um dia ele não vai conseguir estar à altura das expectativas. Mas não se pode dizer que o homem não arrisca. Após um Presidente que sempre fez uma campanha baseada em muito baixas expectativas, os Democratas tentam o inverso. Elevar tanto as expectativas que o adversário não consiga acompanhar. Arriscado, mas fantástico.

Change!

De qualquer forma, aqui vai uma análise dos pontos fortes e fracos de Obama, segundo o eleitorado americano. Podes ser uma pista para os temas do discurso mais logo.


Se sua Majestade ainda não está preparada...

... o que dizer de nós?
Este anúncio foi proibido no Reino Unido. Admiro que o tenham feito, apesar de abominar a decisão de o retirar do ar (e isso na progressiva Inglaterra, imaginem o que seria por aqui...).
(via 5 dias. parece que a retirada do ar já motivou reacções



Já que estamos numa de anúncios (ou de TV escândalo), vejam esta entrevista do CEO da Ryanair, Michael O’Leary em Düsseldorf. (também via 5 dias)

Convenção Democrática - update


1. Os discursos de ontem podem ser vistos aqui.

2. Sigam os blogues do Nuno Gouveia e da Rita Siza (enviada do Público).

3. Estou a ver o discurso do Joe Biden (intervenção competente, de onde destaco a colagem Bush - McCain - «thats not change, thats more the same»), e fico com a sensação de que o aparecimento de Barack Obama de surpresa teve como principal intenção não deixar a convenção nas mãos dos Clinton. Fiquei mesmo com a sensação de que teve de vir e salvar o dia, esgotando parte do clima que se espera para hoje, dizendo «o candidato sou eu...».
.
4. [adenda] ler Roosevelt contra Roosevelt, do Rui Tavares.

Convenção Democrática - Programa



Time Shown as local – Denver, Colorado MST

3:00 PM – 5:00 PM (LOCAL)

Live Performances (before gavel)
Yonder Mountain String Band Performance

Jeff Austin, Adam Aijala, Ben Kaufmann, Dave Johnston

Voter Registration Presentation

Remarks
The Honorable Luis Gutierrez

Member of the US House of Representatives, Illinois

David Plouffe
Obama Campaign Manager

Ray Rivera
Obama State Director, Colorado

Call to Order
The Honorable Nancy Pelosi
Permanent Chair, Democratic National Convention
Member and Speaker of the US House of Representatives, California

Invocation

Rabbi David Saperstein
Director, Religious Action Center of Reform Judaism – Washington, DC

Presentation of Colors
Disabled American Veterans

Pledge of Allegiance

Shawn Johnson
US Olympic Gymnast

National Anthem
Jennifer Hudson
Academy award-winning singer and Broadway performer

Welcome
Elbra Wedgeworth

President/Chair, Denver Host Committee

Presentation of Resolutions

Democratic National Committee Vice-Chairs
Mark Brewer
The Honorable Linda Chavez-Thompson
The Honorable Mike Honda
The Honorable Lottie Shackelford
Susan Turnbull


Remarks

Honorable Bill Ritter, Jr.
Governor of Colorado

The Honorable Ed Perlmutter
Member of the US House of Representatives, Colorado

The Honorable John Salazar
Member of the US House of Representatives, Colorado

The Honorable Diana DeGette
Member of the US House of Representatives, Colorado

5:00 PM – 6:00 PM (LOCAL)

Video & Remarks
The Honorable Howard Dean
Former Governor of Vermont
Chair of the Democratic Party

Video & Remarks: Tribute to Dr. Martin Luther King
The Honorable John Lewis
Member of the US House of Representatives, Georgia
Rev. Bernice King
Daughter of the late Dr. King
Martin Luther King III
Oldest son of the late Dr. King

Remarks
The Honorable Bill Richardson
Governor, New Mexico

Live Performances
will.i.am
Accompanied by John Legend (piano), Agape Choir, and band

Sheryl Crow
Singer/songwriter

Remarks
Ray Rivera
Obama State Director, Colorado

6:00 PM – 7:00 PM (LOCAL)

Remarks
The Honorable Jan Schakowsky
Member of the US House of Representatives, Illinois

The Honorable Mark Udall
Member of the US House of Representatives, Colorado

The Honorable Tim Kaine

Governor of Virginia

Live Performance
Stevie Wonder

Remarks
The Honorable Al Gore

Former Vice President of the United States

7:00 PM - 8:00 PM (LOCAL)


Remarks
John Kuniholm

Wounded Iraq veteran

Live Performance
Michael McDonald
Singer/songwriter

Remarks
Susan Eisenhower

Granddaughter of President Dwight D. Eisenhower

Retired Generals Tribute
Air Force Maj. Gen. J. Scott Gration (Ret)
Accompanied by additional generals

American Voices Program
Roy Gross
Monica Early
Wes Moore
Janet Lynn Monacco
Nate Flick
Teresa Asenap
Pamela Cash-Roper
Barney Smith

Remarks
The Honorable Dick Durbin
US Senator, Illinois

8:00 PM – 9:00 PM (LOCAL)

Video/Remarks
SENATOR BARACK OBAMA
DEMOCRATIC PRESIDENTIAL CANDIDATE

Benediction
Pastor Joel Hunter
Senior Pastor of Northland in Central Florida

Adjournment
The Honorable Nancy Pelosi
Permanent Chair, Democratic National Convention

Bill Clinton


Ontem voltei a adormecer antes do discurso principal, pelo que não vi o Joe Biden (nem o Barack Obama, pelos vistos). Mas vi o Bill Clinton, que teve, de longe até agora, a melhor recepção ao palco do Pepsi Center.

Do que tenho visto (aqui, aqui, aqui e aqui) as opiniões são boas, variando entre as que consideram o melhor que Bill Clinton produziu, desde que saiu da Casa Branca, e os que apenas entendem que terá cumprido com a sua obrigação.

Eu acho que ele esteve bem, pior que a mulher (deliberadamente?), mostrando que, apesar de esta ser a altura Obama, o partido democrático ainda é Clinton (ou seja, Nuno, não creio que o Partido Democrata possa vir a ser de Obama tão cedo).

Cedo se verificou que o ex-Presidente não iria seguir o guião que lhe estava destinado (que era, recordamos, o tema da política externa, onde teve esta brilhante frase: "People around the world have always been more impressed by the power of our example than by the example of our power.") preferindo deambular sobre o seu legado e sobre o futuro da América. Referiu-se, também, às capacidades da mulher e à excelente campanha que proporcionou, reforçando os temas queridos do healthcare e da economia.

Foi uma intervenção que, pareceu-me, causou algum desconforto na campanha Obama, visível no ar desconfortável de Michelle Obama em muitas secções do discurso. É verdade que o apoio de Bill Clinton a Obama foi bem mais entusiasta que o de Hillary e que procurou unificar o Partido em torno do candidato à eleição de Novembro. Agora, esta intervenção provou que, apesar do candidato ser Barack, os Clinton ainda dominam o Partido.

É de questionar a estratégia de Obama em colocar o casal Clinton em destaque, porque, até agora, roubaram o show, como se costuma dizer. Claro que ainda falta a sessão de hoje, que se espera apoteótica, mas 3/4 da convenção foram dominados pela família que perdeu a nomeação. Claro que também se pode afirmar que esse era o efeito pretendido, que se elaborou uma estratégia que pretende demonstrar que Barack reconhece o papel e o legado dos Clinton, que não tem problemas em partilhar com eles o palco da sua consagração, e em boa verdade os Clinton mostraram que estão com o Partido e com Obama.

Tenho dúvidas acerca do bom sucesso desta estratégia porque (1) não me parece que os Clinton tenham grande intervenção no decurso da campanha, (2) porque Bill e Hillary foram exímios no aproveitamento do tempo do Pepsi Center (arrasando a concorrência), (3) apresentando-se, definitivamente, como reserva do Partido Democrata, no evento de um mau resultado em Novembro.

Obama já garantiu o seu lugar na história, e Hillary ainda quer o dela (primeira mulher presidente).

Discurso completo aqui. (curiosamente, no site da Convenção quase não fotos de Clinton)

Campaigning

José --

A few hours ago, Barack Obama was officially nominated as the Democratic candidate for president of the United States.

And just a few moments ago, I accepted our party's nomination for vice president.

I made my case to everyone watching -- Barack Obama will secure America at home and restore our reputation abroad. And John McCain will only extend the failed policies of George Bush.

But this isn't my moment. It's all of ours.

And the fight ahead will be like nothing you've ever seen.

The stakes couldn't be higher, and Barack and I need your help right now.

Please make a donation of $5 or more now and support this campaign to bring the change we need:

Thank you for making this possible,

Joe

É hoje...

Que faz 45 anos que este discurso foi proferido:

Obama for President

Sen. Hillary Clinton asked to cut the roll call short saying, "With eyes firmly fixed on the future, and in the spirit of unity with the goal of victory, with faith in our party and our country, let's declare together with one voice right here, right now that Barack Obama is our candidate and he will be our president."
"Is there a second?" House Speaker Nancy Pelosi of California asked the crowd of more than 4,400 delegates.
Delegates then affirmed Obama as their choice with cheers.
"The motion is adopted," Pelosi said with a broad smile, officially capping a long and hard-fought battle between Obama and Clinton.

Dos comentários para a página central

Boavida disse...
Entre futebol americano e advogados, os filmes de hollywood produzem alguns dos melhores monologos. Eu nunca esqueci este




embora prefira o interrogatório



Esta adapatação duma peça que por sua vez é uma adpatação de eventos reais, é realmente uma cena de cinema que me marcou.Existe uma outra, com o Roy Scheider a fazer o papel de professor, a ensinar um grupo de debate acerca de como debater, em que dá o exemplo do aborto, mas não sei o titulo nem tenho mais referencias (nem sei se é mesmo o Roy Scheider).

Convenção Democrática - factos & diversos


Convention Facts

  • Approximate number of hotels hosting Convention delegates and visitors: 100
  • Approximate number of hotel rooms booked in Denver for Convention week: 17,000
  • Percentage of delegation hotels that are within walking distance or accessible by public transportation to the Pepsi Center: 80%
  • Number of countries represented by journalists attending and covering the Convention: 130
  • Approximate number of people who have signed up to volunteer for the Convention: 21,000
  • Number of foreign dignitaries invited by the National Democratic Institute (NDI) : 300
  • Number of people who have attended ‘Convention Conversations’ public forums in Denver, Pueblo, Boulder and Lakewood, Colorado and Las Vegas and Salt Lake City: 750
  • Estimated increase of readership of the DNCC’s website, DemConvention.com, since January: 40%
  • Number of middle and high school students who submitted entries for the “Write to Lead” youth essay contest sponsored by the DNCC: 1,200
  • Number of Presidential winners selected from the 1,200 “Write to Lead” entries to attend the Convention: 2

America 2008





quarta-feira, agosto 27, 2008

Hillary 2012


I am honored to be here tonight. A proud mother. A proud Democrat. A proud American. And a proud supporter of Barack Obama.
My friends, it is time to take back the country we love.

Foram estas as primeiras palavras da senadora nova-iorquina num discurso partido em três partes e meia. Palavras de união, de lealdade partidária e de convicção democrática numa excelente intervenção a provar que a a ex-primeira-dama está em boa forma e veio para ficar. Mesmo.
A primeira parte da intervenção foi dedicada a... Hillary Clinton, que revisitou a sua campanha e os seus principais temas (Healthcare e Womens Rights) com destreza e impunidade. Entendo que alguns tenham tido dificuldade em entender esta secção na Convenção de consagração de Barack Omaba. Regressaremos ao tema.
A segunda secção foi de apoio a Obama, e aí Hillary não poupou palavras nos elogios ao senador do Illinois, muitas vezes utilizando o estilo emotivo e exemplificativo tão característico do candidato democrático. Foi, devo dizer, um apoio sentido e bem explícito, que deveria ter terminado com a desconfiança de alguns em relação às intenções de Hillary (destaco, nesta parte, os elogios a Michelle Obama, muito felicitada pela intervenção de ontem à noite).
A terceira parte, como lhe era exigido, foi de ataque a John McCain. Aí, numa linguagem forte e directa, colou o candidato republicano a George W. Bush como lapa à pedra (sobressaindo a frase «four more years of the last eight years...NO». Não tenho assistido a todas as intervenções, mas foram 5 minutos de bruta pancadaria com o campo do adversário de elevada qualidade, demonstrando que a senadora do Estado de Nova Iorque também sabe jogar para a equipa.
Controversa pode ser a forma como Hillary terminou a sua intervenção (a tal meia parte), pois a última secção do seu discurso, curta, voltou a ser acerca de ... Hilary Clinton. Aqui, numa sucessão de ideias ritmadas com boa cadência, voltou a referir os pontos acerca do healthcare e dos direitos das mulheres, acabando a sua quase meia hora e deixar uma genuina interrogação se não deveria ser ela a discursar na quinta-feira. Certo é que terá ganho muito espaço para 2012, caso Novembro corra mal à familia Obama.
Foi um excelente discurso, com diferentes reacções (quer de apoio quer de critica) com passagens brilhantes a recordar que Hillary apanhou a sua forma tarde demais na campanha eleitoral. Hoje está preparada. Claro que poderia ter apoiado mais Obama; claro que poderia ter baixado a nota do auto-elogio; mas fazê-lo seria não ser Hillary, nem manter bem acesa a tocha de 2012. Hillary Clinton é, hoje, das mais sólidas figuras do Partido Democrata, totalmente liberta do seu marido, e o discurso de ontem provou isso mesmo (transcrição aqui. vejam ainda os outros discursos).
Hoje fala o marido.

Para o Boavida.

Cenas de Cinema que me marcaram (XII)

Aqui está um filme que não me lembro de o ver por cá no cinema. Eu, pessoalmente, só o vi em DVD. Um filme tipicamente para americano, ou não fosse ele sobre futebol americano. Mas Al Pacino tira, mais uma vez, uma grande cena da manga.


Convenção Democrática


Ontem não resisti e adormeci. Vou ver as principais intervenções no site da Convenção. Já venho.
Entretanto, este é o programa do dia de hoje:
Wednesday, August 27:
Securing America’s Future (tema)
Barack Obama offers a new, tough foreign policy that is neither Republican nor Democratic, but is a strong, smart American foreign policy to make our country more secure and advance our interests in the world. Wednesday night’s Convention program will feature the voices of Americans who share Barack’s vision of making America stronger and safer.
The headline prime-time speaker on Wednesday will be Vice Presidential Nominee Senator Joe Biden.
Featured speakers will include: Former President Bill Clinton; former Senator Tom Daschle; Governor Bill Richardson and Senators Evan Bayh, John Kerry and Jay Rockefeller. Senate Majority Leader Harry Reid, Convention home state Senator Ken Salazar, House Majority Whip James E. Clyburn, and Congressman Robert Wexler (D-FL) along with Chicago Mayor Richard Daley. Representative Patrick Murphy (D-PA) and Iraq War veteran Tammy Duckworth will lead a tribute honoring those who give so much to secure our nation’s future – veterans, active duty military and their families.

McCain on Leno

Alguns excertos da resposta de John McCain à Convenção Democrática: foi ao Tonight Show with Jay Leno...

terça-feira, agosto 26, 2008

Impostos no EUA

Resposta ao contraditório

Rui,

Desde que escreveste este texto que espero por uma boa oportunidade de te responder. Queria te dizer que é necessários que existam Marcos Fortes. E Nelson Évora. E Vanessas e Pedros e Saras. Que o desporto Olímpico não se resume à conquista de medalhas, nem à mentalidade ganhadora que referes.
Não pode. E não se pode argumentar que o desporto hoje é profissional, de que todos pagamos para que exista delegação olímpica. Fazê-lo seria não entender a ideia de que o desporto deve ser natural à existência humana nas suas diferentes dimensões. Para muitos importa a prática desportiva, para alguns a competição, para poucos as vitórias (outros ainda vagueiam entre esta tipologia).
É necessário ter em consideração estas dimensões para que o debate sobre as políticas de desporto em Portugal (existem?) possa ser prospectivo. Faz sentido pedir uma medalha ao Marcos Fortes? Claro que não. Mas a sua presença em Pequim possibilitou que um miúdo de 15 anos da Reboleira pense que pode ir a Londres em 2012. Isso já é uma vitória.
Entretanto, é necessário distinguir bem entre o que consideramos ser o desporto de manutenção, de prospecção e de competição (e dentro deste o de alta e o de média competição).
Desporto de manutenção deve ser o que é promovido individualmente com o propósito do desporto em si, da melhoria ou manutenção da nossa condição física. Deve ser essencialmente privado, se bem que possa ser promovido institucionalmente (pelo Governo, por Câmaras Municipais, Clubes desportivos, etc).
A dimensão prospectiva é o interface entre a prática desportiva casual e a competitiva; e devem existir mecanismos para bem identificar os que apresentam talento para o desporto de competição. Aqui a prestação institucional é mais premente, dos Clubes Desportivos e Câmaras Municipais ao Governo e às Universidades. Julgo que este interface ou não existe, ou não funciona ou não produz resultados.
Por fim, o desporto de competição deve funcionar com métodos e meios claros e definidos. Porque não construir um fundo desportivo (ou fundo olímpico) com dinheiro do Futebol (que também é desporto olímpico)? Podia-se taxar os jogadores a sério e essa contribuição ficaria anexada a esse fundo desportivo, para ser gasta no planeamento da actividade desportiva profissional. Outra ideia é a preparação de médio prazo, ou seja, em vez de se pensar apenas na olimpíada seguinte (Londres 2012) ter a capacidade de ambicionar mais além (2016). Isso significaria que teria de ser criada uma política desportiva e de recrutamento que permitisse captar novos valores (que terão 20 anos em 2016 e que agora estarão entre os 8 e os 12 anos) e não apenas que o trabalho se processe em quem já demonstrou capacidades (que é o que vai acontecer para 2012).
Temo que enquanto se pensar exclusivamente no futuro próximo, que enquanto não existir uma nova geração de dirigentes (desportivos e políticos) pouco se possa esperar, globalmente, do desporto em Portugal. É essa a mentalidade que tem de mudar, Rui; e não a de muitos atletas (mas isso já é outra conversa).

(Ah, comecei a escrever este texto com a intenção de remeter para a última crónica do Rui Tavares sobre o Marco Fortes algumas das minhas preocupações sobre política desportiva. Acidentalmente escrevi alguns parágrafos, mas não deixo de recomendar o Rui. Esta cada vez melhor).

Convenção Democrática

1. Curtas de Denver

  • Estima-se que sejam gastos entre 150 e 200 milhões de dólares nos 4 dias da Convenção.
  • Cada Convenção recebeu do Governo Federal um subsidio de 50 milhões de dólares para preparar a segurança (parece que com razão)

2. Apreciações da Convenção

Campaigning

José --

I am so lucky to be married to the woman who delivered that speech last night.Michelle was electrifying, inspiring, and absolutely magnificent. I get a lot of credit for the speech I gave at the 2004 convention -- but I think she may have me beat.You have to see it to believe it.
And make sure to forward this email to your friends and family -- they'll want to see it, too.

You really don't want to miss this.

And I'm not just saying that because she's my wife -- I truly believe it was the best speech of the campaign so far.

Barack

Campaigning

José --
My mom, the girls, and I left home in Chicago and got to Denver yesterday. What a beautiful city! The convention started this morning, and everyone here is getting ready for the big week. All the work you've done is at the heart of what's happening here, and our team filmed a short video to give you a look behind the scenes at the convention center. Take a minute to check out the video and share it with your friends: (here)
This week, folks from across the country will get to know Barack and our family a little better. Tonight I'm giving a speech at the convention, and I'm planning to share a few stories about the Barack I know -- the husband, the father, and the man who shares my dreams for our girls, for this country, and for our future. Before my speech, we're also going to show a video introducing our family to families across the country. Make sure to turn on your TV at 10:30 p.m. EDT (8:30 p.m. MDT) to see it, or you can watch here.
This is such an important moment, and I hope you'll join me by tuning into the convention tonight and all week long.
Thanks,
Michelle

Convenção Democrática

Começou a convenção do Partido Democrático.

O primeiro dia foi morno, mesmo fraco segundo alguns comentadores. Entendo que para alguns a política seja um constante campo de batalha com uma necessidade constante de ocupação, onde não faz sentido não atacar o inimigo ou gastar tempo sem passar mensagens fortes. Haverá tempo para isso.

Eu julgo que a estratégia de Obama é evidente: (1) apresentar a família à América (em especial a mulher), (2) apresentar a experiência de Joe Biden, (3) ligar-se à tradição Kennedy e (4) Clinton e (5) construir o momento para o discurso de aceitação a decorrer no estádio dos Denver Broncos, com 75.000 lugares há muito vendidos. Estes são os pontos a reter. Claro que haverá oportunidade para os esperados ataques a McCain, mas não julgo que esta será uma convenção marcada pela dirty politics. Veremos, mas julgo que a ideia é concentrar o spin nos main speakers de cada dia (ontem Michelle Obama, hoje Hilary Clinton, amanhã Joe Biden – com concorrência de Bill Clinton, e, claro, o discurso final de Obama na quinta-feira).

Entretanto, ontem foi a noite de Michelle Obama que, num discurso muito emotivo, apresentou-se como uma primeira-dama moderna, energética e muito senhora de si. É verdade que discursou num tom muito próximo do marido, mas fê-lo demonstrando que uma «nova América» está a chegar ao topo da política norte-americana, provando que «sim, é possível» que alguém como ela ou o marido possam ocupar a casa branca.

Caroline Kennedy também se destacou, ela que foi diversas vezes apresentada como provável VP, apresentando o tributo ao seu tio e lembrando cirurgicamente o pai e a sua herança. Por fim, Teddy Kennedy, que manteve incerta a sua presença no palco de Denver, consolidou a associação Kennedy-Obama, apresentando o senador do Ilinois como o principal herdeiro do legado dos seus irmãos.

Segui, como tenho feito no passado, a excelente emissão da CNN (vejo que o Nuno Gouveia também tem esta limitação) e procurarei continuar a fazê-la todas as noites.

Deixo o programa de hoje:

Senator Hillary Clinton will be the headline prime-time speaker and former Virginia Governor Mark Warner will deliver the keynote address on Tuesday night. Pay Equity pioneer Lilly Ledbetter will also address the Convention on Tuesday.

Other Tuesday speakers will include:Governor Brian Schweitzer of Montana; Governor Deval Patrick of Massachusetts; Governor Kathleen Sebelius of Kansas; Governor Janet Napolitano of Arizona; Governor Joe Manchin of West Virginia; Governor Jim Doyle of Wisconsin; Governor Ed Rendell of Pennsylvania; Governor Ted Strickland of Ohio; Governor David Paterson of New York; Governor Chet Culver of Iowa; Senator Bob Casey, Jr., of Pennsylvania; Senator Patrick Leahy of Vermont; former Secretary of Energy and Transportation Federico Peña; House Majority Leader Steny Hoyer; House Democratic Caucus Chair Rahm Emanuel; Representative Xavier Becerra (D-CA), Assistant to the Speaker of the House; and Democratic Congressional Campaign Committee (DCCC) Chair Chris Van Hollen, who will use his time to showcase his top candidates for change.

Representatives Nydia Velazquez (D-NY), Linda Sanchez (D-CA), Tammy Baldwin (D-WI), Eleanor Holmes Norton (D-DC), Mike Honda (D-CA), California Controller John Chiang, Planned Parenthood President Cecile Richards, Change To Win’s Anna Burger, and AFL-CIO President John Sweeney will also speak.

O problema de ter razão antes de tempo

"Polícia americana detém quatro homens suspeitos de planearem assassinar Barack Obama"

"Um dos homens foi detido no domingo, depois de a polícia descobrir duas espingardas de grande potência no seu camião alugado. "Ìamos atirar contra Obama de uma posição favorável... com uma espingarda a 750 metros", confessou um dos suspeitos"

Mas quando Hillary Clinton disse "My husband did not wrap up the nomination in 1992 until he won the California primary somewhere in the middle of June, right? We all remember Bobby Kennedy was assassinated in June in California. I don't understand it," she said, dismissing calls to drop out" estava desesperada (para não dizer pior)...

Consequências Previsíveis da Independência Unilateral do Kosovo

Rússia reconhece independência da Ossétia do Sul e da Abkházia

Bem vindos à nova realidade internacional!

A Melhor Descrição do Conflito na Ossétia do Sul

Fonte: http://planteink.com/cartoons.cfm

Onde tudo começou

domingo, agosto 24, 2008

Apoio ao Cinema nacional

Olá a todos,

Como alguns de vocês sabem, estou neste momento a preparar a minha próxima curta de ficção e estou num ponto onde preciso muito da vossa ajuda.

Este filme tem lugar numa Lisboa atemporal. Sem referências à contemporaneidade. E preciso de encontrar uma casa de família de classe média, com look anos 70/80. Terá de ser uma casa já mobilada, com móveis dessa época que poderão estar misturados com alguns elementos dos dias de hoje.

Uma casa simples, habitada, viva, com mobília de madeira, talvez herdada.

Para filmar preciso das seguintes divisões:

- um quarto para um miúdo entre os 13/14 anos,
- uma casa de banho com espaço para uma família,
- uma cozinha grande,
- um corredor que dê acesso à porta de entrada.

Para estimular as vossas mentes envio algumas fotos que podem ajudar. Vejam se se lembram da casa da amiga, do tio, que tem 2 filhos, ou o pai do primo do amigo que vive em benfica, ou ainda a casa da avó que está fechada há não sei quanto anos. Todas as ideias são preciosas e possíveis.

Aguardo com muita fé as vossas sugestões!

Um beijo a todos e obrigada,

Cláudia Varejão

Olímpicos


Bye bye Beijing.






Hello London








Campaigning


José --

I have some important news that I want to make official.I've chosen Joe Biden to be my running mate.

Joe and I will appear for the first time as running mates this afternoon in Springfield, Illinois -- the same place this campaign began more than 19 months ago.I'm excited about hitting the campaign trail with Joe, but the two of us can't do this alone. We need your help to keep building this movement for change.

Please let Joe know that you're glad he's part of our team. Share your personal welcome note and we'll make sure he gets it.

Thanks for your support,
Barack

P.S. -- Make sure to turn on your TV at 2:00 p.m. Central Time to join us or watch online here.

Cenas de Cinema que me marcaram (XI)

Esta é mítica...

Name The Movie

Resposta nº1 (fácil)


Taxi Driver
Resposta nº2 (esta deu-me trabalho, pois só conhecia a música dos Metallica com este nome :) )



E Justiça para Todos - And Justice for All
Resposta nº3 (depois de saber as duas anteriores é fácil)

Heat - Sob Pressão
mas também pode ser este... (não percebi se eles teriam que contracenar ou basta participar no mesmo filme)

Padrinheo parte 2- The Godfather part 2


P.S. - O terceiro filme que junta os dois actores é Righteous Kill que estreia em Portugal a 16 de Outubro.By the way continuei a restante conversa nos comentários onde puseste as perguntas

sábado, agosto 23, 2008

sexta-feira, agosto 22, 2008

Ainda Praga



A ler «Praga Luz e Sombras», pelo Rui Bebiano e viver em Praga, depois de 68, testemunho de Rosa Ventura, filha de Cândida Ventura e de Américo de Sousa, dirigentes históricos do PCP. Ambos os textos no excelente caminhos da memória.

Cenas de Cinema que me marcaram (X)

Dois actores a quem, na minha opinião, já devem uma estatueta dourada. Fantástica cena.

A Ler


Vergonha



Esta capa é uma verdadeira vergonha. Num dia em que se conquistou a quarta medalha de ouro olímpica para o país, o destaque do Record é... uma entrevista ao Reyes.

Vergonhoso!!!

quinta-feira, agosto 21, 2008

17.67 metros






Parabéns Nelson.

(a regressar)

E ninguém pára o Nelson!!!




Direito ao Contraditório

Ao que parece não percebeste. O problema de Marco Fortes não é o seu “trato fino, humilde e inteligente do Marco, muito longe do tonto que tentaram criar”. Para saber isso bastava ter visto a primeira conferência de imprensa de Marco Fortes para ter percebido (“eles são todos muito grandes, mas não são Fortes!”). O problema de Marco Fortes (e não está sozinho nisso, mas foi o que teve o melhor soundbyte) é uma questão de mentalidade. A mentalidade de que o que obteve não foi uma vitória, foi A vitória. Foi o de não demonstrar ambição de querer ir mais longe.

Repara no contrário da coisa: Emanuel Silva falha a final de K1 1000 metros (canoagem) por 35 centésimos, depois de ter obtido a final da mesma prova há quatro anos atrás, em Atenas. Qual foi a reacção do mesmo?
"Pensar que 35 milésimos de segundo me puseram fora da final olímpica dá-me estímulo para trabalhar ainda mais para superar essa diferença"

Já aqui falaste no blog no fantástico Michael Phelps. Phelps, num dos mundiais atrás, perdeu uma prova em que era favorito para, se não me engano, um holandês, por meia dúzia de centésimos. Em vez de se esconder atrás das outras vitórias todas (e era tão fácil fazê-lo), arranjou uma foto do rapaz que lhe roubou a vitória e pô-la no espelho da casa de banho para vê-lo todos os dias. Vê o resultado.

Ou então, por exemplo, na prova de 100 metros mariposa passou aos 50 metros em 7. Com 6 medalhas já conquistadas e a prova de estafetas que faltava cumprir ser praticamente para cumprir calendário, tal era a superioridade americana, podia ter desistido da conquista, que faria na mesma 7 vitórias e entraria para a história dos Jogos. Mas não desistiu e ganhou a prova por um centésimo.

Perguntaram numa conferência de imprensa, uma vez, a Trapattoni, depois de um resultado menos conseguido do Benfica, o que é que separava aquela equipa do Glorioso das vitórias para a conquista do título. O velho “trapalhadas” respondeu que técnica e tacticamente a equipa estava bem. O que faltava era La Mentalitá.

Foi isso que faltou ao Marco Fortes. La Mentalitá.


P.S. - Vânia Silva disse, a seguir a ter obtido um resultado decepcionante no lançamento do martelo, que "Estava bem, fiz o aquecimento bem. A única explicação é que, infelizmente, não sou muito dada a este tipo de competições"

P.P.S. - Também podemos discutir o papel do Comité Olímpico no apoio dado aos atletas e na forma como está a lidar com todos estes casos...

Recambiado


Marco Fortes esteve hoje no programa da RTP «noites olímpicas», onde referiu que tinha sido elegantemente convidado a abandonar Pequim, quando estava previsto ficar até ao final das olimpíadas. Foi, ao que se sabe, o único atleta nessas condições.
Para quem - como o COP ou os responsáveis da Missão Pequim - estava preocupado com a impressão que os atletas causavam nos Media (e, com uma facilidade paternal, os ensinavam a falar com os jornalistas) esta medida é um tiro no Porta-aviões, afundando toda a esquadra de responsáveis e dirigentes portugueses. Alguém me explica qual é a lógica da sua exclusão? Do seu enxuto?
Quem ouviu e viu as declarações do Marco entende perfeitamente que as disse num tom humorado. Quem o ouviu hoje confirmou o trato fino, humilde e inteligente do Marco, muito longe do tonto que tentaram criar.
É verdade que não é o 5º Gato Fedorento (e deles não deve escapar…), mas também é verdade que a medalha do lançador do peso já estava ganha, na sua participação; e relembro que, por exemplo, a nadadora italiana Frederica Pellegrini também se queixou do horário das finais, marcadas para as manhãs cedo de forma a conciliar-se com o horário norte-americano.
Ainda por cima, não entendo como não se entende que se deve valorizar o trabalho, a força de vontade e o espírito de conquista do Marco Fortes, que tudo tinha para ser (mais) um marginal e nunca um atleta olímpico.
Quem é que pode recambiar os dirigentes portugueses para a casa de partida? Que o faça. Rápido. Deixem lá os atletas.

Catch me if you can...

Lightning Bolt



Pontos nos ii

No último post fiz referência a um blogue recentemente descoberto, o suite de ideias.


Deles retiro esta explicação para a expressão «pôr os pontos nos ii».

Significado: Esclarecer determinada situação; realizar uma tarefa com o máximo rigor e minúcia; falar ou expor sem subterfúgios.Origem: A origem desta expressão remonta à época em que se começou a acentuar o i gótico para evitar que, quando dois ii aparecessem seguidos, se confundissem com um u. Os ii começaram por ser assinalados através de acentos da esquerda para a direita, que, no século XVI, foram substituídos por pontos. Consequentemente, surgiu a expressão pôr os pontos nos ii.


Esta não sabia

Descobri, já nem sei bem como, o blogue suite de ideias (deve ser um primo). Nele vi a referência à data de 14 de Agosto, como a data da batalha de Aljubarrota. Há quem diga que esse é que deveria ser feriado, e não o 15.
Conheça aqui o excelente site da Fundação Batalha de Aljubarrota e aqui o trailer da batalha.

Pop

Gosto do novo visual Pop do Womenage a trois. Gosto mesmo.

20 de Agosto de 1968

Foi há 40 anos que os tanques entraram em Praga.








quarta-feira, agosto 20, 2008

Pick Your President

O Washington Post está a fazer um concurso para que todos possam escolher o seu P.O.T.U.S. Este concurso está só disponível para residentes nos Estados Unidos da América, no entanto qualquer um poderá fazer as suas previsões just for fun... and bragging!

É aqui.

Recebido via email

Da indiferença dos governados

Há algum tempo que se vem notando, na blogoesfera, um conjunto de criticas e análises politicas ao governo, que acabam por descambar numa análise critica da democracia e das falhas do nosso sistema democrático.
Esta critica enuncia a lei de bronze da oligarquia, de Robert Michels, que oferece uma explicação de como a classe politica se vai afastando do eleitorado, conforme o sistema político se vai estabilizando, e acaba por se isolar dos elementos de renovação. É interessante de ver como um postulado de 1911, feito com base em pressupostos de outras realidades politicas se adequa à actualidade da democracia portuguesa. O problema reside nas diferenças…
Concordo plenamente com a ideia de que a classe politica dirigente “se bloqueia e isola do resto do mundo, afastando os elementos de renovação” a partir do momento que alcança o poder. Aliás, parece-me uma ideia tão universalmente aceitável que muito provavelmente este enunciado tem origem na própria natureza humana. O problema reside na eficácia da classe politica dirigente.
Em 1911 os limites à participação no processo democrático eram bastante maiores do que agora. Também os processos internos dos partidos políticos eram muito mais estanques e limitativos no aproveitamento de forças renovadoras dentro dos partidos. Agora se olharmos para as diferenças entre as barreiras à participação dos governados no processo de decisão dos governantes vemos que não existe nenhuma razão para a classe politica dirigente ter hipótese de conseguir afastar qualquer tipo de ímpeto renovador de maneira sistemática e permanente…
Ou seja, se a classe politica dirigente realmente quer afastar qualquer força que ameace o status quo, mas não tem mecanismos para o fazer de maneira sistemática, e mesmo assim o status quo se mantêm, então talvez o problema não resida nos governantes mas sim nos governados.
Sem sequer analisar a ideia do Rui A. sobre a influência da União Europeia no imobilismo da classe politica dirigente, parece-me que o problema se centra na incapacidade dos portugueses agirem de acordo com aquilo em que acreditam, em vez de nos mantermos como treinadores de bancada, sempre capazes de fazer melhor do que os que lá estão, mas nunca fazendo nada. Assim esperamos sempre por um D. Sebastião, uma qualquer intentada, revolução ou afins, que mude o status quo mas… que não nos obrigue a mexer muito, esquecendo que em democracia para mudarmos o status quo só temos de ter mais votos que os outros!

João Boavida

P.S. – Só para evitar alguma confusão, eu não acho que os políticos sejam santos, mas se classe política dirigente tem culpas no afastamento dos governantes e dos governados, não são os únicos!

Pesquisar neste blogue